Glicídios


No artigo de hoje iremos falar sobre glicídios, assunto já tratado em outros textos deste mesmo site. Então vamos lá:

O que são glicídios?

Definidos como biomoléculas orgânicas compostas de oxigênio, hidrogênio e carbono, os glicídios tem importante papel no organismo humano, sendo suas funções: 1)formar partes do corpo dos seres vivos, e, 2)gerar energia. Portanto, tais moléculas são vitais a saúde do homem.

Os glicídios podem ser divididos em diferentes grupos a depender de onde são encontrados, e também, de suas funções. Vamos a alguns exemplos?

Glicídios

– Celulose: considerado o principal polissacarídeo estrutural das plantas, a celulose auxilia na formação das paredes das chamadas “células vegetais”.

– Glicose: encontrada na uva, também no açúcar e no mel, a glicose é um glicídio do tipo energético.

– Amido: atua, principalmente, nas plantas como reserva de energia.

– Sacarose: certamente você já deve ter ouvido falar da sacarose, ela é o tipo de açúcar mais utilizado em todo o mundo, podendo ser encontrada na já conhecida cana-de-açúcar, e também, na beterraba.

Apesar de comumente serem denominados de açúcares os glicídios, na maioria das vezes, não apresentam sabor adocicado. Sendo assim, sempre que você for usar o termo açúcar, em lugar de glicídio tome muito cuidado para não acontecerem mal entendidos.

Importância para os seres vivos

Como já mencionado no início do texto os glicídios tem função vital na saúde humana, sendo considerados fontes primárias de geração de energia no corpo humano. Além disso, tem função estrutural compondo as paredes de células vegetais (celulose), e paredes celulares de fungos (quitina).

Pode-se citar ainda uma terceira função dos glicídios: reconhecimento e sinalização entre as células. Grosso modo tal função serve para que o organismo identifique determinada célula como sendo dele, evitando assim a entrada de parasitas e proliferação de doenças no corpo humano.

Por ser a principal fonte de energia para os humanos é possível encontrar glicídios em diversos alimentos, por exemplo: mel, cana-de-açúcar, beterraba, leite (onde está presente a lactose) e em frutos (onde estão a frutose e a glicose).

Cabe ressaltar ainda que além da importância que tais biomoléculas têm dentro do organismo humano – seja para geração da energia, estrutura, ou mesmo, sinalização das células – há diversos glicídios que atuam em outras áreas como, por exemplo, a celulose que está presente em tecidos, além de ser a matéria-prima para fabricação do papel.

Os tipos de glicídios

Existem três tipos básicos de glicídios: monossacarídeos, polissacarídeos e dissacarídeos.

– Monossacarídeos: são os glicídios mais simples formados por três, ou no máximo, sete átomos. O prefixo “mono” indica que é constituído apenas de uma molécula. Como exemplo pode-se citar a galactose, a frutose e a glicose.

– Dissacarídeos: prefixo “di” indica a formação por meio da união de dois monossacarídeos. Vamos a alguns exemplos: sacarose (frutose + glicose), lactose (glicose + galactose) e maltose (soma de duas glicoses).

– Polissacarídeos: formados pela junção de centenas, e até milhares, de monossacarídeos. Os principais exemplos são o amido, o glicogênio e a celulose.

Consumir alimentos ricos em glicídios faz mal?

É claro que tudo que é consumido em excesso faz mal a saúde, e com os glicídios isso não seria diferente. Há diversos estudos que comprovam que o consumo exagerado de glicídios pode levar a um quadro de obesidade.

Isso acontece porque o organismo humano é “programado” a utilizar certas quantidades de açúcares e carboidratos para geração de energia, caso tais substâncias venham em excesso será criada uma espécie de “reserva” de gordura.

Além disso, quanto mais doce se come, mais doce se quer comer, tal fato ocorre em virtude de uma substância liberada em nosso organismo à medida que ingerimos açúcar, é a famosa insulina.

Portanto muito cuidado, a ingestão excessiva de glicídios pode trazer sérios riscos a saúde.

E o contrário?

Entretanto, o baixo teor de açúcar, ou mesmo, o não consumo de glicídios pode levar a vários problemas, alguns inclusive descritos em pesquisas científicas.

Diversos especialistas acreditam que a glicose funciona como uma espécie de “combustível” para o cérebro, portanto, quando menor for a ingestão dessa substância maior a dificuldade de concentração, e mesmo, realização de algumas atividades como estudar, escrever e ler de maneira produtiva.

Além disso, a falta dessas substâncias pode afetar de tal modo algumas pessoas levando a sérios problemas de humor, por exemplo. Tal comportamento é facilmente notado durante dietas alimentares.

Com isso finalizamos mais esse artigo. Não deixe de dar uma olhada em outros textos complementares sobre o mesmo tema, e lembre-se o “Resumo Escolar” é o site mais completo para seus estudos e sua pesquisa. Até a próxima!