Lei Periódica: As Tríades de Dobereiner


No início do século XIX, houve uma grande evolução nos estudos da química no que se refere à descoberta de elementos e compostos. A partir dessa identificação, os especialistas buscaram conhecer mais profundamente as propriedades de cada substância, sobretudo aquelas que têm natureza experimental. Portanto, quando as massas atômicas de diversos elementos foram calculadas, os químicos passaram a examinar em laboratório quais eram as prováveis relações entre a massa dos elementos ou compostos e suas características. Com o desenvolvimento da ciência ao longo dos anos, foi possível concluir que existe uma forte influência da massa atômica no chamado comportamento químico. Conseguiu-se comprovar, também com base nas novas informações obtidas no período, que há semelhanças entre os elementos que permitiriam agrupá-los conforme suas características. Assim foi criada a revolucionária generalização que estabeleceu uma ordem para os elementos de acordo com suas propriedades, a lei periódica.

As Tríades de Dobereiner

Ainda que vários químicos tenham sido importantes para o progresso da ideia de periodicidade dos elementos, alguns nomes destacaram-se por sua contribuição para o conceito. Entre esses estudiosos, pode-se citar o russo Dimitri Ivanovich Mendeléiev, bem como o alemão Julius Lothar Meyer, que foram responsáveis por posicionar suas conclusões em uma sólida e vasta análise experimental. Originou-se de suas observações uma das ferramentas mais conhecidas para o estudo da química: A Tabela Periódica dos Elementos. Porém, o sucesso dessa noção tão fundamental dependeu do esforço e da dedicação de muitos cientistas ao longo dos anos, para que ela fosse organizada da forma que se conhece hoje.

Tendo em vista que já eram sabidos os valores aproximados da massa dos átomos em um elemento no começo do século XIX, é possível compreender como o químico de origem germânica Johann Dobereiner colaborou para essa discussão. Nessa época de grande evolução científica, ele definiu uma nova lei periódica: As Tríades de Dobereiner.

Breve História das Tríades de Dobereiner

Foi no ano de 1824, enquanto Dobereiner estudava os elementos químicos cálcio (Ca), bário (Ba) e estrôncio (Sr), que ele constatou uma relação básica entre suas massas atômicas. Isto é, o pesquisador percebeu que a média da massa de um átomo de estrôncio era muito semelhante à massa atômica dos dois outros elementos. Essa noção foi denominada de Tríades de Elementos e, inicialmente, não causou grande interesse na comunidade científica. No entanto, é inegável o seu mérito em ter sido o pioneiro ao demonstrar o que ele acreditava ser uma correspondência entre os elementos químicos com massas atômicas de valores parecidos. Dessa forma, pode-se dizer que Dobereiner realizou o que seria um esboço inicial da Tabela Periódica que a sucedeu e que ainda é amplamente utilizada. Entre os exemplos de conjuntos que formam suas Tríades de Elementos está:

• cloro (Cl), bromo (Br) e Iodo (i)

Outro grupo de elementos químicos descoberto por Dobereiner foi:

• enxofre (S), selênio (Se) e telúrio (Te).

Dessa forma, pode-se dizer que Dobereiner realizou o que seria um esboço inicial da Tabela Periódica que a sucedeu e é utilizada até hoje.

cloro 35,5
bromo 80
iodo 127

lítio 7
sódio 23
potássio 39

enxofre 32
selênio 79
telúrio 128

cálcio 40
estrôncio 88
bário 137

Nessa lista que apresenta algumas massas atômicas observadas naquela época, nota-se que os elementos no centro da tríade, ou seja, o bromo na primeira, o sódio na segunda, o selênio e o estrôncio na terceira e na quarta respectivamente, possuem uma massa atômica similar a média dos elementos que os precedem e sucedem. Segundo Dobereiner, esses valores deveriam atribuir a cada um dos trios uma semelhança nas propriedades químicas de seus componentes.

Outras classificações periódicas dos elementos

Além do trabalho de Dobereiner, cabe destacar outros cientistas que fizeram contribuições relevantes para o estudo da periodicidade dos elementos químicos:

• A Classificação de De Chancourtois

Alexandre-Emile Béguyer de Chancourtois, engenheiro e geólogo francês do século XIX, é frequentemente citado como o primeiro a idealizar um método de categorização dos elementos que se fundamentava nas massas atômicas. Entretanto, uma série de aspectos do trabalho desenvolvido fica pouco clara e certas premissas defendidas por ele são vistas como arbitrárias. Por isso, seu esquema enfrentou grande resistência e os achados decorrentes não são bem aceitos. Ainda assim, o método criado por de Chancourtois demonstra com clareza que existe uma periodicidade entre os elementos.

• A Lei das Oitavas

Em 1864, o químico britânico John Newlands observou que se um indivíduo considerasse uma classificação fundamentada na massa atômica veria que um determinado elemento, como por exemplo, o lítio, tem propriedades análogas a do oitavo elemento a partir dele. No caso citado, a substância seria o sódio. Newlands nomeou essa correlação de Lei das Oitavas, que ele definia como um tipo de repetição semelhante a que acontece nas oitavas da escala musical. A princípio, o cientista foi ridicularizado pela Sociedade de Química de Londres. Porém, seus estudos indicam, a partir do uso da lei das oitavas, um sistema de classificação dos elementos que já conta com noções empregadas na tabela periódica em vigor na atualidade.