Nomenclatura de Ácidos


O melhor caminho para compreender a essência e as características de um tipo de substância química, é se baseando nas teorias de algum pesquisador consagrado que tenha feito esse trabalho de classificação e categorização. É por isso que, neste artigo, para falar a respeito da nomenclatura de ácidos, vamos nos basear no conceito de Arrhenius.

De nada adianta saber dar nome a uma substância sem conseguir identificá-la ao se deparar com ela. Por isso, não tem como ir para a nomenclatura de ácidos se ainda restar qualquer dúvida sobre o que são eles, quais as características e como se identificam.

Nomenclatura

De acordo com a teoria de Arrhenius, é considerada ácida toda a substância que quando é colocada em meio aquoso, se dissocia e se ioniza, liberando o íon H+. Portanto, é esse íon, um cátion, que caracteriza os ácidos.

Entre as características em comum que os ácidos apresentam é o sabor azedo e o fato de que, quando estão dissolvidos em água são capazes de conduzir corrente elétrica, justamente por causa dos íons que liberam: o H+ e um cátion ligado a ele.

Nomenclatura de ácidos

O primeiro passo a ser seguido quando você deseja dar nome a um ácido é classificá-lo em um dos dois subgrupos possíveis:

• Hidrácidos: são os ácidos que não possuem oxigênio em sua composição

• Oxiácidos: esses, ao contrário, são os que contêm átomos de oxigênio

Saber se você está de frente com um hidrácido ou um oxiácido influencia totalmente na nomenclatura de ácidos. Primeiro, vamos ver como se dá o nome para os ácidos que não possuem oxigênio na sua fórmula.

• Hidrácidos

É muito simples realizar a nomenclatura de ácidos nesse caso, basta seguir o seguinte modelo:

ÁCIDO (NOME DO ELEMENTO LIGADO AO H+)-ÍDRICO

Confira alguns exemplos para que essa definição possa ficar mais clara:

HCl: o elemento que se liga ao H+ é o cloro, por isso, seguindo a regra citada acima, temos o ÁCIDO CLORÍDRICO. Por questões de sonoridade, a última letra O da palavra “cloro” é removida, para evitar o encontro de duas vogais.

HBr: esse ácido é formado pelo cátion H+ ligado ao bromo. Dessa forma, o modelo é o mesmo do ácido anterior: ÁCIDO BROMÍDRICO, novamente a última letra do bromo é retirada, para que a pronúncia fique mais limpa.

HI: um átomo de iodo ligado ao íon H+, como consequência, o chamamos de ÁCIDO IODÍDRICO.

HF: aqui temos um ácido formado pela combinação de H+ com o elemento flúor. Nesse caso, o nome do elemento não termina com vogal, por isso, não é preciso retirar nada, apenas acrescentar o sufixo –ídrico, obtendo o seguinte:

ÁCIDO FLUORÍDRICO.

• Oxiácidos

A nomenclatura de ácidos que possuem oxigênio na fórmula também é fácil, no entanto, exige um pouco mais de atenção para não cometer nenhum erro. É preciso esboçar o processo de ionização dos ácidos (dividi-los em seus íons) e verificar qual é o ânion que está se ligando ao H+. A partir disso, você deverá seguir essa regrinha:

Ânion terminado em –ITO → Ácido terminado em –OSO
Ânion terminado em –ATO → Ácido terminado em –ICO

É um pouco mais complexo porque acaba sendo necessário ter conhecimento sobre os nomes dos ânions, já que, sem isso, não há como dar o nome para o ácido. Vejamos alguns exemplos:

HClO → H+ + ClO-

Observe que o ânion formado é o hipoclorito. Portanto, como o ânion termina em –ITO, o ácido produzido por ele terá esse sufixo substituído pelo –OSO. Nesse caso, ÁCIDO HIPOCLOROSO.

H2CO3 → 2 H+ + CO3(-2)

Temos o ânion CO3(-2), cujo nome é carbonato. Assim, fazendo a substituição do sufixo, trocando o –ATO pelo –ICO, teremos o ÁCIDO CARBÔNICO.

HNO2 → H+ + NO2-

O ânion NO2- é conhecido como nitrito. Por consequência, esse ácido que acabamos de ionizar é o ÁCIDO NITROSO. E é nesse mesmo modelo que segue a nomenclatura de ácidos que possuem oxigênio. Vale a pena focar em conhecer os nomes dos ânions

Ácidos no dia a dia

No nosso cotidiano, nos relacionamos com vários ácidos diferentes, com ou sem átomos de oxigênio, que seguem o conceito de Arrhenius. Vamos ver alguns exemplos e observar o quanto a química é próxima de nós:

• Ácido Carbônico – H2CO3 – é um dos componentes das bebidas gaseificadas, como os refrigerantes;

• Ácido Nítrico – HNO3 – este exemplo é amplamente utilizado nas indústrias químicas, na produção de explosivos, como o TNT. Além disso, também está presente na composição do famoso salitre;

• Ácido Clorídrico – HCl – é o ácido presente no suco gástrico do estômago do ser humano, indispensável para o processo de digestão;

• Ácido Fosfórico – H3PO4 – usado na produção de fertilizantes para a agricultura;

• Ácido Sulfúrico – H2SO4 – é um ácido forte e com alto poder de corrosão. Sua aplicação se dá principalmente no setor da indústria petroquímica, com a fabricação de papel, de baterias para automóveis e, também, de corantes.