Nomenclatura e Classificação dos Sais


Os sais fazem parte das funções inorgânicas da química, assim como os ácidos, as bases e os óxidos. Existe uma grande diversidade deles e muitos são bastante presentes no dia a dia, por isso, é importante conhecê-los, saber o que os caracterizam e quais são as propriedades.

Dentro dos conceitos de Arrhenius, que são muito bem aceitos pela química clássica, os sais são formados pela reação entre ácidos e bases. Um ácido mais uma base sempre resulta em sal e água.

Antes de continuar, vamos recordar brevemente:

Sais

• Ácido: toda substância que em água se dissocia e libera o íon H+

• Base: toda substância que em água se dissocia e libera o íon OH-

Vamos escolher um ácido e uma base qualquer para entender como ocorre a formação de um sal. Tomemos como exemplo o ácido iodídrico (HI) e o hidróxido de sódio (NaOH). Se essas duas substâncias forem colocadas em um recipiente para reagir, vai acontecer o seguinte:

HI + NaOH → NaI + H2O

O íon de hidrogênio (H+) que é liberado pelo ácido, nesse caso, o iodídrico, se une com o ânion hidroxila (OH-) que é liberado pela base, que dessa vez foi o hidróxido de cálcio. Quando o H+ é liberado do HI, o que sobre é o I- (equilíbrio de Nox, iodo tende a ficar negativo). E, quando o OH- se dissocia do NaOH, sobra o Na+ (sódio é metal alcalino, tende a ficar positivo),

Sendo assim, o I- combina-se com o Na+, resultando no sal NaI, que é chamado de iodeto de sódio (logo mais você vai aprender quais são as regrinhas que regem a nomenclatura dos sais).

Entre as principais características gerais dos sais, encontram-se:

• O sabor é salgado. O sal de cozinha, por exemplo, é um deles: NaCl. Seu verdadeiro nome é cloreto de sódio;

• Quando são dissolvidos em água, tornam-se condutores de corrente elétrica;

• São capazes de reagir com ácidos, bases, metais e outros sais;

• Normalmente, possuem a coloração branca;

• Os mais comuns no cotidiano são: bicarbonato de sódio (NaHCO3), carbonato de cálcio (CaCO3), sulfato de cálcio (CaSO4), fluoreto de sódio (NaF) e nitrato de sódio (NaNO3).

Classificação dos sais

Os sais podem ser classificados de acordo com a sua estrutura, ou seja, com os íons pelos quais são formados. Por isso, para realizar essa classificação, é preciso dissociá-los. Temos sais ácidos, básicos, neutros, mistos e hidratados, como você vai ver agora:

• Sais ácidos: são todos aqueles compostos por dois cátions, ou seja, dois íons positivos e apenas um ânion, íon negativo. Como o NaHSO4, que é formado por Na+, H+ e SO4-.

• Sais básicos: ao contrário dos anteriores, são os que contêm dois ânions e apenas um cátion. O Al(OH)Cl é um deles, pois se o desmembrarmos, teremos um Al+, OH- e Cl-.

• Sais neutros: são aqueles que resultam de uma neutralização total entre um ácido e uma base, portanto, em sua fórmula, não sobra nenhum H+ e nenhum Cl-. Como exemplo, temos o NaCl.

• Sais mistos: deve ser formado por dois cátions ou dois ânions diferentes, sendo que nem o H+ e nem o OH- contam. Um exemplo é o NaKSO4: Na+ K+ SO4-2.

• Sais hidratados: como o próprio nome diz, em sua fórmula são encontradas moléculas de água.

Nomenclatura dos sais

Além de reconhecer os sais, é importante saber dar nome a eles. Para isso, observe o seguinte:

• Ácidos que terminam em –ídrico, originam ânion terminado em –eto;

• Ácidos que terminam em –ico, originam ânion terminado em –ato;

• Ácidos que terminam em –oso, originam ânion terminado em –ito.

Exemplo: o Cl- vem do HCl, ácido clorídrico, portanto, esse ânion se chama cloreto, é só substituir o sufixo.

Para dar nome a um sal, na maioria dos casos, você vai seguir a seguinte fórmula:

NOME DO ÂNION QUE O ORIGINOU + DE + NOME DO ELEMENTO DO CÁTION

Vamos entender com os exemplos!

KCl: é um ácido originado a partir do ânion Cl- e do cátion K+. Já vimos esse ânion acima, portanto, sabemos que o nome dele é cloreto. Assim, seguindo a regra, o nome completo do sal é CLORETO DE POTÁSSIO.

CaSO4: é formado pelo ânion SO4-, que por sua vez, vem do ácido H2SO4, chamado ácido sulfúrico. Se o ácido termina em –ico, o ânion vai terminar em –ato. Ao pé da letra, seria “sulfurato”, mas por uma questão de facilitar, foi transformado em sulfato. Nesse caso, temos o SULFATO DE CÁLCIO.

AgNO3: o ânion existente em sua composição é o NO3-, do HNO3, o ácido nítrico. Mais uma vez, um exemplo de ácido terminado em –ico, que vai originar um ânion terminado em –ato. Aqui, fica ao pé da letra mesmo, portanto, nítrico vira nitrato. Como o cátion é o Ag+, ou seja, a prata, temos o NITRATO DE PRATA.

Para os outros sais, basta seguir essa mesma regra de nomenclatura.