Óxidos anfóteros


Primeiramente, vamos começar com o conceito dos óxidos. Os óxidos são compostos binários, ou seja, componentes formados pela mistura de dois diferentes elementos. Um deles sempre é o oxigênio, já que esta é a substância de maior eletronegatividade entre todos os óxidos.

Óxidos anfóteros

Os óxidos, neste sentido, podem ser compostos por uma grande variedade de elementos – sendo a única obrigatoriedade que este reaja à presença do oxigênio. Os únicos compostos que não se caracterizam como óxidos (devido à menor eletronegatividade do que quando em comparação ao átomo de oxigênio) são os seguintes: O²F² e OF².

A seguir, vamos conhecer quais são as características dos óxidos anfóteros.

Óxidos anfóteros: o que são?

Os óxidos anfóteros consistem em óxidos de comportamento bipolar: isso porque, quando na presença de bases, eles se comportam como óxidos ácidos; e na presença dos ácidos, eles se tornam óxidos básicos.

Sendo assim, o comportamento dos óxidos anfóteros varia dependendo do ácido/base em sua formação. Mas, afinal, qual é a diferença entre os óxidos básicos e os óxidos ácidos? Vamos lá.

1. Óxidos básicos: esse tipo de óxido é aquele que não reage quando na presença de ácido. Neste sentido, ele pode produzir água e sal;

2. Óxidos ácidos: já esse óxido gera água e sal após a reação com uma base.

Os óxidos anfóteros, neste sentido, são óxidos que reagem exclusivamente com bases ou ácidos fortes (ou seja, com boa capacidade química). Se estes forem fracos, não haverá nenhuma reação.

Os óxidos anfóteros, no geral, possuem características bem similares aos sólidos iônicos, sendo algumas delas:

– Pouca solubilidade quando presentes na água;
– Produção de sal e água quando há fortes reações com as bases/ácidos.

Um esquema que facilita a compreensão dos óxidos anfóteros é a seguinte:

Óxido anfótero mais ácido forte igual à produção de sal e água
Óxido anfótero mais base forte igual à produção de sal e água

Os óxidos anfóteros também podem ser conceituados como semi metais e/ou metais de transição, já que apresentam oxidação de 3 ou 4+. Esse valor é fundamental para a reação com as bases ou ácidos (no fornecimento de água e sal).

A característica de ácido do óxido se torna maior quando seu elemento de composição se aproxima dos não-metais (em relação à tabela periódica). Já o caráter básico deste mesmo óxido irá aumentar sempre que seu elemento de composição chegar perto dos metais alcalino-terrosos ou metais alcalinos.

Reações dos óxidos anfóteros

Já no que diz respeito às reações dos óxidos anfóteros, confira a seguir alguns exemplos envolvendo dois diferentes compostos: o óxido de alumínio (AL²O³) e o óxido de zinco (ZnO).

A seguir, será possível observar situações em que eles reagem como bases e situações em que eles reagem como ácidos.

Vamos lá:

• Caso nº 1: quando os óxidos anfóteros reagem com fortes ácidos. Neste caso, eles produzem sal e água, comportando-se como se fossem óxidos básicos.

Os exemplos são:

Óxido anfótero (base da reação) + ácido forte = sal e água

ZnO (zinco) + H²SO  ZnSO + H²O
Ou
AL²O³ (alumínio) + 6 HCL  2 ALCL + 3 H²O

• Caso nº 2: quando os óxidos anfóteros reagem com fortes bases. Neste caso, eles produzem sal e água ao se comportarem como óxidos ácidos.

Os exemplos são:

Óxido anfótero (base da reação) + base forte = sal e água
ZnO (zinco) + 2 NaOH  Na²ZnO + H²0
AL²O³ + 2 KOH  2 KAlO + H²0

Vale lembrar que as reações típicas com ácidos formam água e sal (pela transformação do metal do óxido em cátion de sal) e as reações com bases também formam os mesmos elementos, desta vez, pela formação do ânion do sal (garantida pela mistura entre oxigênio e metal formador do óxido).


Os maiores representantes dos ácidos anfóteros, como você já deve ter notado, são os óxidos de alumínio e óxido de zinco. Este segundo, por sua vez, também é popularmente conhecido na química inorgânica como “alvaide”, uma espécie de pó branco, inodoro, amorfo e totalmente insolúvel quando presente na água. Porém, quando em presença de demais soluções ácidas, ele se torna solúvel e de fortíssima reação.

Não à toa, o alvaide é utilizado com frequência em pinturas corporais, tais como em rostos de palhaços, maquiagens em geral e em outros trabalhos neste sentido. Além disso, a solução também é utilizada como protetor solar e como adstringente – em formas de gelatina, loção ou até mesmo como ‘unguento’.

Outros exemplos clássicos de óxidos anfóteros são:

• Fe²o³ – óxido de ferro
• SnO – óxido de estanho
• AL²O³ – óxido de alumínio
• SnO² – óxido de estanho
• ZnO – óxido de zinco

Uma observação importante sobre os óxidos anfóteros é a seguinte: independentemente de qual seja o número de oxidação dos óxidos Zn, Pb, As, Sn e Sb, todos eles são caracterizados como óxidos anfóteros. Além disso, eles sempre são formados por esses mesmos elementos: Pb, Al, Sb, Zn, Bi, As e Sn.