Pilhas e baterias


Usamos pilhas e baterias a todo momento e nem sempre nos damos conta o quanto são importantes para o nosso cotidiano. Se você já se perguntou do que as pilhas e baterias são feitas, agora você irá descobrir. Neste artigo, daremos um panorama geral sobre pilhas e baterias e quais são as principais diferenças entre elas.

Pilhas

Como muito das coisas que temos nos dias atuais, a possibilidade de transmitir energia, como acontece com as pilhas, foi descoberta de forma acidental, quando um cientista trabalhava na resolução de outra questão. Aconteceu mais ou menos assim: em 1786, um anatomista chamado Luigi Galvani estava trabalhando ao dissecar uma rã bem próximo a um aparelho eletrostático. Foi então que, por acaso, um de seus assistentes tocou a rã com o bisturi e no aparelho ao mesmo tempo. Eles observaram que, exatamente neste momento, ocorreram contrações nos músculos do animal. Galvani então resolveu fazer outros experimentos e percebeu que era o aparelho que estava transmitindo energia para a rã.

Pilhas

Anos mais tarde, em 1800, o físico Alessandro Volta continuou a fazer experimentos com energia, e acabou criando a primeira pilha, causando assim uma verdeira revolução no mundo e possibilitando a criação de um universo de novos produtos eletrônicos.

Todas as pilhas são formadas por dois eletrodos e um eletrólito, ou seja, pelo polo positivo e polo negativo. Elas geram energia e fazem os aparelhos eletrônicos funcionarem devido à reação química que ocorre dentro do seu interior. Elas também são capazes de manter uma energia potencial entre os polos de forma constante.

Existem pilhas primárias e pilhas secundárias. As pilhas primárias são as mais comuns e também são chamadas de pilhas secas de Leclanché, pilhas ácidas, pilhas alcalinas e também de pilhas de lítio ou dióxido de manganês. O que elas têm em comum é o fato de jamais poderem ser recarregadas. Quando uma pilha primária sofre a reação química dentro dela até o fim, não poderá passar pelo mesmo processo novamente e então para de produzir energia elétrica para sempre.

As pilhas comuns se diferem entre si de acordo com o elemento químico capaz de produzir energia. As mais comuns são formadas por zinco, grafite, carvão em pó, dióxido de manganês, cloreto de zinco, cloreto de amônio e água. As pilhas alcalinas, que tem uma durabilidade um pouco maior do que as pilhas comuns, tem hidróxido de sódio ou hidróxido de potássio no lugar de cloreto de amônio. Além da durabilidade ser maior, as pilhas alcalinas também são muito mais seguras contra vazamentos quando comparadas com as pilhas comuns.

As pilhas de lítio são aquelas pequenas geralmente utilizadas em relógios de pulso e calculadoras. Elas são compostas somente por dióxido de manganês e lítio e também não podem ser recarregadas. Os tipos de pilha que existem hoje são:

* Pilha de zinco / carbono
* Pilha de mercúrio
* Pilha de prata
* Pilha de lítio
* Pilha alcalina

Baterias

As baterias, são na verdade, formadas por diversas pilhas que funcionam em série e geralmente são secundárias, ou seja, recarregáveis. As baterias geralmente são de chumbo e ácido, como as utilizadas nos automóveis, ou de íon de lítio, como as que são utilizadas nos aparelhos celulares. As baterias de chumbo são produzidas a partir de várias placas de chumbo intercaladas e ácido sulfúrico. As baterias de íon de lítio são compostas por lítio e grafite e são as mais modernas.

As baterias secundárias podem ser recarregáveis porque a ação química que acontece no interior delas pode ser refeita várias vezes, sempre que for ligada. Este tipo de tecnologia representa um grande avanço tecnológico e ainda garantem que o planeta seja menos poluído pois podem ser reutilizadas. Os tipos de bateria que existem hoje são:

* Baterias de chumbo
* Baterias de níquel – cádmio

Para escolher o melhor tipo de pilha ou bateria para os aparelhos eletrônicos é preciso conhecer qual é o nível de tensão que o aparelho suporta. E quanto mais alta for esta tensão mais curta será a vida útil da pilha ou da bateria. Por outro lado, quando a tensão for mais estável e não tão alta, a pilha ou bateria terá uma vida útil bem mais longa. Além da tensão, outra questão que interfere diretamente na vida útil e na qualidade da reação química é a temperatura ambiente. Quanto mais frio estiver o ambiente mais difícil será para a pilha fazer sua reação química.

Mas, independente do tipo de pilha ou bateria, é preciso muito cuidado ao fazer o descarte destes produtos, pois são compostos de materiais químicos que podem causar poluição e problemas ao meio ambiente e até à saúde das pessoas. E este cuidado deve ser tomado tanto com pilhas primárias que não podem ser recarregáveis quanto com as pilhas e baterias recarregáveis. Atualmente existem diversos locais especializados em receber este tipo de descarte.