Reação de oxidação de aldeídos e cetonas


Entende-se que na reação de oxidação acontece uma perda significativa de elétrons, que são partículas consideradas indispensáveis na hora de criar campos de caráter eléctricos e magnéticos. Quando esse processo ocorre entre aldeídos e cetonas, somente os aldeídos reagem. Isso se deve ao fato de que o elemento carbono, que está ligado diretamente ao átomo de oxigênio na carbonila, torna-se positivo.

Esses compostos orgânicos citados acima são considerados parecidos no que diz respeito a sua estrutura porque os dois possuem, em sua cadeia, o grupo funcional denominado carbonila. Esta, por sua vez, é caracterizada como um grupo funcional composto por apenas um carbono e um oxigênio, ambos atrelados por uma ligação dupla. Compreenda melhor o que ocorre em uma reação de oxidação entre aldeídos e cetonas.

Reação de oxidação

As reações de oxidação

É bastante normal que profissionais de química ou afins realizem, em laboratórios, algum tipo de reação de oxidação para descobrir e identificar se uma substância em particular é uma cetona ou um aldeído. Para isso, são utilizados oxidantes denominados reativos. Veja os três tipos que são comumente usados.

• Reativo de Tollens: é uma solução composta de amoniacal de nitrato de prata que tem como objetivo distinguir os aldeídos das cetonas. Estes compostos orgânicos fornecem um precipitado de prata metálica que, por sua vez, formam um espelho de prata;

• Reativo de Fehling: caracterizado por uma solução de alcalina em meio básico e tartarato duplo de potássio e sódio. Representado pela cor azul-escura, tem em sua cadeia um íon complexo de cobre II;

• Reativo de Benedict: reagente químico composto basicamente por uma solução de sulfato de cobre e citrato de sódio. De cor azulada, é utilizado normalmente para revelar a presença de maltose, manose, lactose, glicose e galactose, chamados também por açúcares e açúcares redutores.

Os aldeídos, as cetonas e suas principais características

Por possuírem na extremidade de sua cadeia um átomo de carbono, os aldeídos são chamados compostos carbonílicos porque também realizam ligação dupla com um elemento de hidrogênio e um de oxigênio. A principal característica desses compostos é que são incolores. Outro fator determinante é que, em uma cadeia de tamanho inferior, o cheiro é considerado bastante peculiar, beirando o irritante. Já em uma cadeia carbônica maior, o cheiro é muito aprazível.

Tais compostos orgânicos podem ser encontrados na natureza nas fases gasosa, sólida ou líquida sob a forma de açúcares, corantes, fragrâncias, hormônios e por aí vai. Podemos classificar os aldeídos em três variações principais: etanal, metanal e formol.

• Etanal: utilizado principalmente como matéria-prima em indústrias de medicamentos e pesticidas, este composto possui como fórmula C2H4O. Conhecido também por aldeído acético, tem função essencial para a criação de espelhos. Isso ocorre porque o composto etanal tem o poder de diminuir os sais de prata por meio da reação. Logo, fixa-os no espelho para, a partir desse processo, possibilitar que a imagem seja refletida;

• Metanal: conhecido como o composto orgânico mais simples dentro de uma função dos aldeídos é encontrado, no ambiente, como um gás incolor. De caráter bastante irritante, tem como ponto de ebulição quando chega aos -21 ºC. Podemos obtê-lo através da oxidação do metanol de modo industrial, pela destilação seca da madeira ou por meio da sua desidrogenação. Ao ser dissolvido na água, transforma-se em formalina ou formol e fica concentrado em massa por mais ou menos 41%;

• Formol: também denominado formaldeído, é capaz de corromper proteínas, fazendo com que elas fiquem resistentes à decomposição pelas bactérias. Nesse sentido, tem como função primordial a conservação de corpos mortos, tanto para preservar espécies biológicas quanto como fluido que serve para embalsamamento.

Podemos definir como cetonas todo composto orgânico que tiver em sua cadeia o grupo funcional caracterizado como – CO –, uma vez que, como pode ser verificado, estão diretamente ligadas a dois átomos do elemento carbono. Tanto para compostos orgânicos de aldeídos quanto para compostos orgânicos de cetonas, este grupo é chamado de carbonila, pois como foi descrito no início deste artigo, ambos possuem este grupo funcional em sua cadeia, até mesmo quando sofrem uma reação de oxidação.

A variação mais trivial da cetona é a propanona, que também pode ser chamada de acetona. Ela é comumente utilizada em vernizes, solvente de esmaltes, resinas e graxas. Ainda, é encontrada na fabricação de medicamentos e anidrido acético e na comercialização de óleos vegetais. A propanona é tida como um líquido solúvel em água, incolor e inflamável que tem, na maioria das vezes, um cheiro muito aprazível.

Este composto é encontrado na natureza principalmente em frutos e flores ou até mesmo em nosso próprio organismo, em que são constituídos como membros dos corpos cetônicos localizados na nossa corrente sanguínea, porém em quantidade pequena. Outra forma de se utilizar as cetonas, sejam elas de caráter artificiais ou naturais, são em perfumes e alimentos ou ainda como substâncias medicinais, que se manifestam nos compostos cetônicos da urina.