Reciclagem de lâmpadas fluorescentes


Existem alguns materiais que precisam ser devidamente descartados, como as lâmpadas fluorescentes, por exemplo. Isso porque esses objetos contêm Mercúrio em pequenas quantidades, o que não impede que ela se torne tóxica se jogadas de forma errada.

Reciclagem de lâmpadas fluorescentes

Aqui no Brasil são mais de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes consumidas todos os anos. No entanto, quase 6% desse total é descartado em lixos comuns e acabam sendo levados para aterros sanitários, o que pode fazer com que elas poluam o solo, os lençóis freáticos e até mesmo causar doenças perigosas.

Tentando mudar esse cenário, alguns pontos de coleta foram instalados em vários lugares do País e um sistema de recuperação criado para reutilizar nada menos do que 98% de toda a matéria-prima presente nessas lâmpadas.

Como acontece a reciclagem de lâmpadas fluorescentes

Os processos de reciclagem são realizados em locais especializados, que sabem como retirar o mercúrio dos objetos sem que ele contamine o meio ambiente e também sem que as pessoas tenham qualquer intoxicação. Você pode encontrar postos de reciclagem em sites especializados ou da prefeitura do seu município.

A reciclagem acontece em um sistema a vácuo, que quando associado a altas temperaturas consegue separar o mercúrio dos outros elementos químicos presentes na lâmpada como alumínio, pó fosfórico, cobre e também do vidro.

O que acontece se a lâmpada quebrar?

É preciso que você tenha muito cuidado na hora de realizar uma faxina ou na hora de trocar suas lâmpadas. Mas se acontecer de alguns desses objetos quebrar, é preciso ter calma e retirar todos os animais e as crianças do loca, antes mesmo de pegar a vassoura ou qualquer pano de chão.

Depois, abra todas as janelas e portas e ventile bem o ambiente no qual o “acidente” aconteceu. Na hora de começar a limpeza, use luvas para proteger sua saúde e retire os cacos de vidro, colocando-os em sacos plásticos. Na hora de pegar o pó que sai de dentro da lâmpada, use fita adesiva. Lembre-se de jogar todas as fitas em um saco que possa ser lacrado. Para terminar a limpeza desses resíduos, use papel toalha úmido que te ajudará a retirar tudo o que sobrou.

Caso as lâmpadas tenham se rompido em cima de tecidos, no sofá ou em qualquer outro material, saiba que você não poderá mais usar esse item, mesmo que o mande para lavagem. Isso porque o Mercúrio não é retirado com facilidade e o contato com ele pode te fazer mal.

O ideal é que você jogue a peça em um saco lacrado e que a descarte de acordo com as necessidades. Para isso você pode usar o site da prefeitura ou até mesmo o telefone de atendimento ao cidadão para saber onde pode levar a peça.

O que o mercúrio pode causar

O elemento químico é altamente toxicológico e nas lâmpadas é misturado com outro material perigoso, o chumbo. De acordo com a ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas o Mercúrio só pode ser encontrado, no máximo, em uma concentração de 100 miligramas para cada quilo de resíduo.

Pessoas que tem contato com índices mais elevados dessa substância podem ter problemas sérios de saúde no fígado, rins, medula óssea, pulmão, glândulas salivares e sangue. Em contato com a pele ele pode causar pústula ulcerosa, irritação da derme e edema. Já se ele for inalado, os pacientes podem apresentar vômito, anormalidades nos reflexos, convulsões, tremores, sede excessiva, confusão mental, perda de memória, diarreia, edema pulmonar, bronquite e até mesmo coma e morte.

Entre os problemas mais graves estão o hidragirismo, que tem como consequência a dispneia, dores no peito e também tosse.

Já quando falamos do Meio Ambiente, os problemas podem ser ainda piores. O despejo irregular em rios pode causar chuvas volatizadas, que contaminam o resto do meio ambiente, assim como os peixes e pequenos organismos dos rios, que acumulam a substância e podem ser ingeridos pelo ser humano e por outros animais. Dessa maneira, as chances de erradicação são nulas.

Antes, países como Estados Unidos e Alemanha permitiam que as lâmpadas fossem descartadas sem maiores controles, causando assim a poluição dos aterros sanitários. No entanto, hoje já é proibido que esses objetos sejam jogados de forma indiscriminada no lixo.

Onde descartar as lâmpadas fluorescentes

No Brasil, a quantidade de lâmpadas descartadas ainda é muito baixa. Para tentar melhorar esse quadro, algumas empresas já coletam o material para depois os enviarem a empresas especializadas que fazem a reciclagem, já que as indústrias de reciclagem costumam atender apenas grandes empresas.

O mais comum é que grandes redes de supermercados e também a redes de material de construção coloquem pontos de coleta especializados para receber as lâmpadas fluorescentes e enviá-las sem causar nenhum perigo aos seres humanos ou ao meio ambiente. Dessa maneira todos ganham.