Resumo da Química Orgânica


A química orgânica é uma divisão da química que foi sugerida pelo químico Torbern Olof Bergman, no ano de 1777 e pode ser definida como uma divisão química que estuda os compostos extraídos de estruturas vivas.

Há muito tempo, os povos antigos usavam os corantes extraídos das plantas para tingir roupas ou para preparar bebidas através da fermentação da uva. Esse processo, até meados do século XIX, fazia com que os cientistas acreditassem que era possível obter alguns compostos orgânicos a partir de organismos vivos como vegetais e animais.

Para explicar melhor o que há por trás desse processo, será feito um resumo da química orgânica.

Química Orgânica

A química orgânica, suas descobertas e suas funções

No sentido de entender o que acontece nesse ramo da química, é preciso voltar até o século XVIII. Por isso, vai ser feito um resumo da química orgânica no que se refere às suas principais características.

Naquela época, todos os compostos químicos eram divididos entre orgânicos, que apresentam em sua fórmula mais de um átomo de carbono e hidrogênio e inorgânicos, que podem conter um único átomo de carbono na sua composição. Abaixo, algumas das principais descobertas feitas em torno desse assunto.

• 1807: Jöns Jacob Berzelius funda a Teoria da Força Vital, baseada no conceito de que os compostos orgânicos precisavam de uma força maior para serem sintetizados;
• 1828: Friedrich Wöhler produziu a ureia a partir do aquecimento de cianato de amônio e esse processo ficou conhecido como síntese de Wöhler;
• 1854-1866: Pierre Eugene Marcellin Berthelot realiza várias experiências e, dentre elas, consegue sintetizar o acetileno e obtém, por aquecimento, a polimerização do acetileno em benzeno. A partir daí, é quebrada a Teoria da Força Vital.

Ainda, podem-se destacar dentro da química orgânica as funções orgânicas, que são compostos orgânicos de características químicas e físicas bastante parecidas. Existem muitas funções, dessa forma, segue abaixo um resumo da química orgânica quanto às funções mais comuns:

• Hidrocarbonetos: formados unicamente por carbono e hidrogênio unidos por ligação covalente;
• Haleto: substâncias derivadas de compostos orgânicos a partir da troca de um ou mais hidrogênios por halogênio;
• Álcool: possui, na sua estrutura, um ou mais grupos de hidroxilas ligados a carbonos saturados;
• Enol: é caracterizado pela presença de hidroxila ligada a um carbono primário ou secundário;
• Éter: tem na sua cadeia carbônica a presença de um oxigênio entre dois carbonos;
• Aldeído: função orgânica em que as moléculas apresentam o grupo formila ligado a um radical aromático ou alifático, tanto de cadeia aberta quanto de fechada;
• Ácido carboxílico: são oxiácidos orgânicos que têm como característica a presença do grupo carboxila;
• Aminas: compostos orgânicos nitrogenados derivados teoricamente da amônia, a partir da substituição de um, dois ou três hidrogênios por grupos alquila ou arila;
• Nitrilas: substâncias químicas que são obtidas devido à substituição do hidrogênio do gás cianídrico ou cianeto de hidrogênio por um radical orgânico;
Compostos de Grignard: reação que envolve compostos organometalicos de magnésio e alquila ou arila.

O elemento carbono: surgimento, importância e características

O carbono é a unidade fundamental da química orgânica, sendo assim, merece ser estudado mais profundamente. Por isso, na sequência do resumo da química orgânica serão expostas particularidades sobre esse composto.

Na segunda metade do século XIX, a estrutura do carbono passa a ser estudada com mais atenção entre 1831 e 1892, por Archibald Scott Couper e nos anos de 1829 até 1896, por Friedrich August Kekulé. Anos mais tarde, esses estudos foram chamados de postulados de Couper-Kekulé porque analisam o comportamento químico do carbono.

Considerado como um elemento químico cristalino constitui muitos compostos orgânicos e inorgânicos. São cerca de 0,2% da crosta terrestre e 0,03% em volume da atmosfera, encontrados na forma de dióxido de carbono. Também, é o principal elemento que compreende toda a matéria animal e vegetal, carvão, petróleo e gás natural.

Como se não bastasse, ele desempenha, ainda, função primordial para a vida através do ciclo do carbono. Esse processo ocorre quando o dióxido de carbono do ar se junta com a água e é absorvido pelas plantas. Logo, é convertido em hidrocarbonetos e atua no processo da fotossíntese. Em consequência, as plantas e os animais consomem os hidrocarbonetos e devolvem o dióxido de carbono à atmosfera por meio da respiração, da excreção e da fermentação.

Os elementos de carbonos que compõem a cadeia carbônica são classificados de acordo com a quantidade de ligações que fazem com outros carbonos:

• Primário: carbono que está ligado somente a um átomo de carbono ou os que não estão ligados a nenhum outro átomo de carbono;
• Secundário: ligado a dois átomos de carbono;
• Terciário: ligado a três átomos de carbono;
• Quaternário: ligado a quatro átomos de carbono.

Ou quanto ao tipo de ligação:

• Saturado: considerado por realizar somente ligações simples;
• Insaturado: é aquele que fizer ligações duplas ou triplas. Em outras palavras, tem que haver pelo menos uma ligação pi (π).