Redação


Já fazem mais de 4.000 anos que o ser humano desenvolveu a arte de escrever e ela ainda permanece viva. O grande motivo é que, por meio dela, conseguimos expressar nossos desejos, pensamentos e atos. Reunir ideias em palavras, frases e, finalmente, em um texto é um processo árduo, resultado de uma prática constante. Para escrever um texto com qualidade, é necessário muita leitura, estudo, prática e dedicação. Ler apenas por ler não é o suficiente, é preciso interpretar o conteúdo do texto e de seus contextos para produzir suas próprias opiniões sobre ele em sua escrita.

Há dois elementos primordiais em qualquer redação: a coesão e a coerência. A primeira consiste em vincular de maneira orgânica os vários parágrafos do texto, de modo que o leitor não sinta estranheza com relação à mensagem ao cruzar de uma parte para outra. Já a segunda diz respeito à organização de ideias de forma que passe a mensagem correta e não deixe nenhuma dúvida ou questionamento em quem estiver lendo. Sem os dois, o texto não é nada mais do que um amontoado de palavras, o que tira dele todo o significado.

Redação

Alguns tipos textuais permitem que sejam utilizados elementos como metáforas e ambiguidades para o enriquecimento da escrita, enquanto outros pedem uma linguagem mais objetiva, que vá direto ao tema abordado. Independentemente de tais situações, uma boa redação deve ter começo, meio e fim bem estruturados. O leitor deve conseguir se situar em meio a novas informações que surgirem e compará-las com o tema central, de modo a produzir significado.

Outro recurso interessante é o da intertextualidade. O autor que lança mão desta técnica combina tudo o que produz com um conhecimento que já existe por meio de referências. É muito difícil escrever algo inédito no ramo da literatura. Assim, os escritores fincam raízes nos clássicos e com citações que remetem à universalidade dessas histórias, criam seu próprio universo narrativo e carregam seus escritos com uma tridimensionalidade que os torna mais vívidos.

Tipos e estruturas textuais

Os textos podem ser caracterizados dentro de cinco tipos textuais:

• Dissertação: O texto dissertativo é uma forma de discussão de determinados assuntos. Geralmente se dá um tema central sobre o qual o escritor deve discorrer e defender um ponto de vista utilizando argumentos sólidos, sem ferir os direitos humanos. É importante que o autor tome um lado ao final do texto, já que passou a redação inteira defendendo um lado e não seria aceitável se contradizer nas conclusões. A estrutura mais comum é introdução (apresentação do tema), desenvolvimento (argumentação) e conclusão (amarra as ideias e dá a posição do autor).

• Descrição: É basicamente um texto que fala sobre uma pessoa ou objeto. No decorrer da escrita, o autor deve se preocupar em passar para o público a imagem. Há um maior uso de adjetivos que visam delimitar o tema central, além do uso de palavras que remetem aos mais diferentes sentidos: cheiros, cores, texturas, temperaturas, barulhos, sabores, etc.

Narração: O texto narrativo é baseado em personagem, tempo, ação e lugar. A redação narrativa pode ser uma crônica, um conto ou até mesmo uma novela e um romance, dependendo do tamanho. Geralmente, segue o esquema apresentação, desenvolvimento, clímax e conclusão, por vezes resultando em algum tipo de lição acerca da temática ou deixando um final em aberto para uma sequência.

• Argumentação: É escrito para persuadir o leitor. Um dos exemplos mais comuns são os artigos e teses acadêmicas. A estrutura mais comum é formada por introdução (apresentação da hipótese), desenvolvimento (discussão de argumentos que provem dessa hipótese) e conclusão (prova desses argumentos). É importante ressaltar que este tipo de texto é bastante parecido com o dissertativo e, quando cita fatos no meio do texto, é comumente chamado de dissertativo-argumentativo.

• Injunção: Conhecido popularmente como tutorial. É geralmente aquele tipo de texto que indica ação, como bulas de remédios, leis e receitas.

Dicas para escrever melhor

Grande parte dos concursos, vestibulares e exames realizados no Brasil possui uma questão discursiva ou uma redação. É importante seguir algumas dicas para se dar bem na hora de disputar sua vaga no trabalho ou na universidade:

• Leia muito: Aqueles que leem bastante desenvolvem maior facilidade de compreensão e organização de ideias, o que auxilia na hora de redigir o texto.

• Estude o português: Ter domínio do idioma é importantíssimo para escrever um bom texto.

• Estruture seu texto: Monte um diagrama com as principais ideias que você precisa colocar na sua redação. É um jeito excelente de delinear o começo, o meio e o fim de seu texto.

• Seja objetivo: Não “encha linguiça”, opte por ir direto ao ponto e utilize frases curtas de fácil entendimento. Seus argumentos são a espinha dorsal de seu texto, dedique um tempo a eles.

• Pratique: É escrevendo que se escreve! Reserve um tempo para praticar a escrita e tenha alguém que leia e faça críticas ao seu texto, só assim você vai se desenvolver.