Aprendizado em um Contexto de Mudança


O sociólogo estadunidense Howard Becker (1928-), em seu livro Outsiders (1963), mostrou que os comporta­mentos desviantes são recorrentes e fazem parte da própria dinâmica da sociedade.

Becker denominou os grupos sociais que se incumbem de disseminar as suas próprias regras de comportamen­tos aos demais membros da sociedade de empreendedores morais. São personagens e instituições fundamentais para as mudanças sociais.

Aprendizado

Como a nossa sociedade está em constante transformação, comportamentos considerados corretos e aprová­veis são revistos o tempo todo. Ocasionalmente, há verdadeiras cruzadas pedagógicas dedicadas à condenação científica e moral de certos hábitos “antigos”.

Devido à dinâmica própria da sociedade contemporânea, são sempre crescentes, entre nós, as ofertas de algum tipo de serviço relacionado ao aprendizado, ao treinamento escolar. Especialmente na sociedade ocidental contemporânea, circula e se reproduz um enorme repertório de conhecimentos produzidos coletivamente.

De fato, pode-se constatar que muitas pessoas atualmente dedicam-se a fazer cursos, com finalidades diversas, tais como hobbies ou alguma formação profissional. Por exemplo: cursos de idiomas, mangas, música, mecânica, entre tantos outros, sem esquecer das academias de ginástica, onde é possível aprender novos ideais de bem–estar, de cuidado e treinamento do corpo, compatíveis com as exigentes expectativas estéticas do mundo atual.

Trata-se, portanto, de uma sociedade em que o aprendizado incessante é uma exigência, necessário tanto para as operações básicas da vida cotidiana como para a aprovação em determinados meios sociais, a manutenção do emprego ou a ascensão profissional ou, até mesmo, para a manutenção de vínculos afetivos e da qualidade de vida.

Em maio de 2008, Paul Krueger, um “Sem Teto”, foi preso pela polícia de Atlantic City acusado de dar golpes em mulheres inscritas em um site de relacionamento. Segundo a promotora da cidade: “Um mendigo com um laptop consegue um tremendo acesso ao mundo exterior”.

Charles Pitt, morador das ruas de São Francisco, possui perfis nos sites MySpace, Facebook e Twitter, além de comandar o fórum SF Homeless, que possui 140 membros. Nele, os participantes podem ser alertados sobre encontros para moradias públicas, entre outras informações. Para Pitt, “Você não precisa de uma TV. Você não precisa de um rádio. Você não precisa nem mesmo de um jornal. Mas você precisa da internet”.

diferentes meios de aprendizagem

O aprendizado se realiza também pelos mais diferentes meios. Ler revistas e jornais, assistir a filmes e do­cumentários são recursos para instrução e atualização. Isso envolve uma enorme indústria de bens culturais, que se confunde muitas vezes com o lazer.

Atualmente a internet é um dos veículos mais poderosos para o acesso a informações e cada vez mais utilizada como ferramenta útil para o ensino à distância. O Brasil é considerado um dos países recordistas em todo o mundo no tempo de navegação na internet. Durante o mês de julho de 2009, segundo mensuração do IBOPE, divulgada pela Folha Online (15 j u l. 2009), o brasileiro navegou em média 44 horas e 59 minutos na internet. O tempo se refere tanto à navegação doméstica quanto àquela feita no trabalho.

Segundo o Comité Gestor da Internet no Brasil, em 2008, havia cerca de 60 milhões de usuários da internet no país. Constatou-se um significativo crescimento de usuários a partir de 2005 quando políticas públicas, dedicadas à
redução de preços e formas de financiamento de computadores pessoais para as baixas camadas médias, tornaram possível o acesso aos equipamentos. Ainda assim, apenas 20% dos domicílios urbanos e 4% dos domicílios rurais estão conectados à rede.

Os dados demonstrados revelam que há ainda poucos usuários da internet no Brasil. Não obstante, aqueles que, entre nós, têm acesso à rede batem recordes mundiais de tempo de navegação. Essa situação apenas revela a cisão social que se traduz na exclusão digital. Atualmente, um dos desafios para democratizar o acesso às novas tecnologias da informação é, além de manter o acesso aos equipamentos, facilitar e baratear o acesso à banda larga.

CONCEITO SOCIOLÓGICO

Instituições sociais: são instâncias que têm por função programar as condutas individuais para a vida em sociedade. São instituições sociais: a linguagem, a família, a escola, etc.

Papéis sociais: são prescrições acerca das funções e da conduta dos indivíduos nas instituições sociais.