Resumo sobre os Moais da Ilha de Páscoa


Os Moais são esculturas gigantes feitas de pedra, na Ilha de Páscoa (Chile), localizada no meio do Oceano Pacífico, a 3.700 quilômetros da costa chilena. Esse território foi ocupado por volta de 1.000 d.C. por um grupo de polinésios, conhecidos como Rapanui.

Resumo sobre os Moais na Ilha de Páscoa

Veja um breve resumo sobre Moais:

  • Foram construídos entre 1200 e 1500 d.C., pelo povo Rapanui;
  • Quando os europeus chegaram à ilha no século XVIII os Moais já estavam lá;
  • Costumam ter de 5 a 7 metros de altura;
  • Feitos com pedras do vulcão Rano Raraku, rochas calcárias porosas feitas de cinzas consolidadas, que eram mais fáceis de esculpir;
  • Eram esculpidos primeiro nas rochas do vulcão e depois levados ao local em que seriam erguidos, por último era colocado o “pukao”, que pareciam uma coroa, simbolizando os cabelos dos Moais;
  • O “pukao” era feito de uma rocha avermelhada esculpida que pesava até 12 toneladas;
  • Existem cerca de 887 estátuas espalhadas pela Ilha de Páscoa, algumas estão inacabadas;
  • Uma de suas características mais marcantes são suas enormes cabeças, que apresentam uma expressão enigmática, como se estivessem pensativas;
  • Eram usados para cultuar antepassados importantes (sacerdotes, reis, guerreiros, entre outros)
  • Acredita-se que os Moais eram feitos por artesãos polinésios nativos;
  • Alguns dos Moais trazem gravadas inscrições na língua Rapanui, mas, embora lembrem hieróglifos egípcios, até hoje não conseguiram desvendar os seus significados;
  • Metade do corpo dos Moais era enterrada no solo, estratégia que fez com que elas permanecessem em pé até hoje;
  • Ainda não se sabe, com certeza, como esse povo transportava os Moais aos altares dispostos na costa, que se encontram a até 10 quilômetros de distância. Entretanto, a teoria mais provável foi feita por Jo Anne Van Tilburg, uma arqueóloga, que prendeu as estátuas em forquilhas de troncos das árvores e com cordas de fibra vegetal.

Resumo sobre Moais: diferentes tipos

Por apresentar centenas de estátuas, algumas com características distintas, é possível dividir os Moais em três categorias:

• Na primeira categoria, se encontram os Moais entalhados com pálpebras e olhos e que apresentam o “pukao”, uma espécie de chapéu. Pertencem a esse grupo mais ou menos 250 estátuas, localizadas à beira mar, mas com suas faces voltadas para a ilha, de costas para o mar. Algumas dessas esculturas foram posicionadas em conjunto sobre um “ahu” (monumentos funerários). É daí que vem a crença de que os Moais são homenagens aos ancestrais desse povo e que serviam como proteção aos moradores locais.

• Já o segundo grupo traz as estátuas feitas na encosta do “Rano Raraku”, com desenhos elaborados entalhados e inscrições na língua dos Rapanui, o rongorongo. Essas estátuas foram finalizadas, mas não trazem as pálpebras esculpidas nem o “pukao”. Como a linguagem desse povo permanece um mistério, não é possível saber por meio das inscrições nos Moais a razão de estarem cobertas por símbolos e se diferenciarem das outras.

• Por fim, a terceira categoria é a das estátuas “tukuturi”. Essas apresentam pernas que lembram a posição e o formato de estátuas pré-incaicas, sendo que essa singularidade é sua principal característica. Esse grupo de Moais é o mais famoso e pode apresentar genitálias fálicas. Boa parte das estátuas de pedra dessa categoria apresentam tamanho em torno de 4 e 6 metros, pesando entre 1 e 27 toneladas e a maior delas mede mais de 20 metros de altura.

Alguns pesquisadores acreditam que as diferenças entre cada uma dessas categorias dividem os Rapanui em classes, mas isso ainda não foi comprovado.

Curiosidades sobre os moais

Além do resumo sobre Moais, confira algumas outras curiosidades que envolvem essas famosas estátuas de pedra:

• Mesmo sem ter sido finalizada, a estátua “El Gigante” é a mais conhecida. Estudos indicam que se ela tivesse sido acabada, ao ser erguida teria 21 metros de altura.

• Jacob Roggeveen foi o primeiro ocidental a chegar na Ilha de Páscoa, em 5 de abril de 1722. Seus relatos afirmam que encontrou polinésios de pele clara e cabelo avermelhado, vivendo em cabanas pequenas feitas com colmo;

• O povo Rapanui ainda habita a ilha, representando 60% de sua população;

• Ahu Tongariki é o maior altar (tem mais de 200 metros de extensão) e também o principal ponto turístico da Ilha. Se caracteriza por ser um conjunto de 15 estátuas Moais e está localizado no sudeste do território;

• Ahu Akivi é único altar localizado no interior da ilha e não nas encostas;

• Na década de 60, um maremoto fez danos em alguns Moais, que pesavam até 12 toneladas – mas um dos Moais deste altar pesava mais ou menos 80 toneladas. 3 décadas depois o altar foi restaurado com a ajuda de uma empresa japonesa de guindastes;

• Há quem acredite que essas estátuas de pedra foram construídas por seres alienígenas, mas não existe nenhum embasamento científico para tal afirmação.