André-Marie Ampère


André-Marie Ampère foi um matemático, filósofo, físico e cientista nascido e crescido na França, sendo que ele se tornou famoso principalmente por conta de suas investigações e contribuições envolvendo os fenômenos de caráter eletrodinâmicos. O físico era um verdadeiro autodidata, ou seja, estudava de maneira individual e singular. Desde cedo ele começou a dedicar os seus estudos para a área matemática, demonstrando grande interesse e facilidade com os conceitos do cálculo.

Com apenas 12 anos de idade, Ampère tinha pleno domínio sobre os principais teoremas tanto da geometria, como também da álgebra, dando início às suas leituras de obras como Jakob Bernoulli e Leonhard Euler, grandes referências inspiratórias do físico.

Ampère

O espírito de André-Marie Ampère era verdadeiramente enciclopédico, já que a sua curiosidade no ramo científico era quase que interminável. Por isso, não tardou para que ele começasse a usar o seu entendimento matemático para ingressar nos estudos da química, física, letras e história (tanto latina quanto natural). Quando ainda era jovem, teve a ideia de criar uma linguagem universal, que seria falada por todos. Porém, a complexidade de sua ideia (mesmo que com certa lógica) fez com que ela não desse assim tão certo.

Um pouco da vida de André-Marie Ampère

Nascido no ano de 22 de janeiro de 1775, em Lyon, na França. Com apenas 18 anos de idade, teve que passar por uma situação no mínimo assustadora: a perda do pai, que foi uma das vítimas do tribunal revolucionário que tomou conta do país nessa época.

A tragédia fez com que o emocional de Ampère fosse extremamente abalado, até porque agora ele era o homem responsável pelo sustento da família. Visto na obrigação de proporcionar algo bom e digo para seus parentes, ele fundou uma escola de matemática com os seus pequenos recursos e nos intervalos, estudava e lia com muita vontade os tratados e conceitos de química criados por Lavoisier.

Em 1799, Ampére se casou, poucos meses depois de nascido o seu primeiro filho. Nessa época, ele conseguiu também um cargo de professor em uma escola francesa, a École Centrale de Bourg. Porém, para assumi-lo, ele deveria trocar de cidade.

Em busca de seu sonho, o físico deixou a esposa em Lyon e aceitou a vaga, onde começou a se dedicar de forma exclusiva (e muito complexa) nos estudos da química. Foi assim que ele escreveu a sua primeira obra bibliográfica e de caráter científico, a “Considerações sobre a Teoria Matemática do Jogo”. Passados alguns anos, em 1803 ele recebeu uma proposta para lecionar novamente em Lyon, ao lado de sua esposa.

Alguns meses depois, outra circunstância pega Ampère de surpresa: sua esposa falece. Foi então que o matemático decidiu seguir a sua carreira em Paris, na capital. Ele acreditava que seria a forma mais fácil de se reerguer após tantos choques. Em Paris, ele deu aulas na École Polytechnique, Collège de France e Faculte des Lettres.

Em 1814, ele foi eleito para ingressar ao Institut de France, onde pode contribuir com inúmeros estudos e pesquisas na área da física, química e matemática. Após a morte da esposa, sua vida era voltada unicamente para as pesquisas e para dar aulas, até a sua morte em 1836.

André-Marie Ampère e o eletromagnetismo

Basta ler o seu sobrenome para que o nosso cérebro já crie uma relação entre o físico e um dos conceitos mais conhecidos da química: o eletromagnetismo.

A obra criada por Ampère fala sobre uma amplitude de temas, e as pesquisas voltadas para os fenômenos tanto magnéticos como elétricos foram as de maior destaque, sendo elas publicadas em 1826 como a Teoria dos Fenômenos Eletrodinâmicos, inteiramente deduzida da experiência.

A sua principal descoberta no ramo da química/física foi a de que dois fios condutores, quando atravessados por algum tipo de corrente elétrica, poderiam exercer ações de caráter recíprocas umas às outras, ou seja, proporcionando uma mutualidade de benefícios.

Esse conhecimento tornou-se público em 1920, em Paris, sendo apresentado pela Académie des Sciences. Neste ano, entre os meses de setembro, outubro e novembro, ele dedicou-se exclusivamente a apresentação de sua pesquisa às academias e universidades, tendo como principal intuito estabelecer quais seriam as bases da ciência para o eletromagnetismo.

Ampère foi também o criador do primeiro eletroímã, quando teve a ideia de envolver um fio (este enrolado em uma hélice) com uma barra de ferro.

Sendo assim, André-Marie Ampère é o verdadeiro criar da teoria que tornou possível construir uma série de aparelhos eletromagnéticos que conhecemos nos dias de hoje. Ele descobriu, também, que as leis de repulsão e atração que ocorrem entre as correntes elétricas, o que possibilitou desenvolver, além do eletroímã, o primeiro telégrafo elétrico e um galvanômetro.

Para homenagear o grande físico e matemático francês, o nome de Ampère foi atribuído à unidade de medida que mede a própria intensidade de correntes elétricas.