Miguel de Cervantes


Miguel de Cervantes Saavedra foi um dos sete filhos de Rodrigo e Leonor de Cortinas, tendo sua data de nascimento reconhecida oficialmente no dia 29 de setembro de 1547, embora existam algumas controvérsias sobre o dia exato de seu nascimento. Da mesma forma, sua cidade natal é alvo de discussões, embora o mais provável é que tenha nascido em Alcalá de Henares, mesma cidade em que foi batizado.

Miguel de Cervantes

Com apenas 16 anos, Miguel mudou-se para a cidade de Sevilha com sua família – mudança esta que seria fundamental para seu futuro na literatura, pois foi em Sevilha que Miguel iniciou seus estudos em latim e gramática.

Já no ano de 1971, com 24 anos, Miguel serve ao exército do Rei espanhol Filipe II, participando da batalha naval de Lepanto. Durante o combate, Miguel é ferido no peito e na mão, incidente que faria com que perdesse completamente os movimentos de sua mão esquerda.

Pouco mais tarde, em 1575, quando retornava à Espanha após um período na Itália, Miguel é sequestrado por corsários, sendo levado para a Argélia, onde é mentido por quase cinco anos. Após ser resgatado por sua família, Miguel de Cervantes passa os quatro anos seguintes trabalhando como soldado, oportunidade na qual conhece Portugal, retornando à Espanha apenas em 1584.

Após seu retorno para seu país natal, Miguel de Cervantes passa a se dedicar mais intensamente à literatura, publicando seus primeiros trabalhos, além de ter contato com importantes literatos de sua época.

Ainda em 1584, Miguel se casa com Catarina de Palácios e Salazar, e passa a viver em Esquivias, um povoado de La Mancha, local de onde sua esposa era originária. Pouco depois, foi encarregado pelo rei de coletar impostos, trabalho que o levaria a ser preso futuramente por atrasos em depósitos e pagamentos à coroa.

Vida literária de Miguel de Cervantes

Em 1585, Miguel de Cervantes edita sua primeira novela, La Galatea, o livro que faz com que o escritor passe a ser conhecido por um público bastante sofisticado na época. O conhecimento de sua obra passa a ser ainda maior com a ajuda de seu círculo de amigos, o qual incluía pessoas como Luiz Gálvez de Montalvo.

Em seguida, aproveitando seu contato próximo com alguns importantes literatos da época, Miguel de Cervantes escreve outros dois poemas dramáticos de destaque, Los Tratos De Argel e La Mumancia, obras que ajudam a lhe consolidar como um importante escritor.

Sua principal obra, no entanto, é publicada apenas em 1605, com a primeira parte de Dom Quixote, que é até os dias de hoje uma das mais importantes obras literárias da história. Há indícios de que Dom Quixote possa ter sido escrito, ou ao menos planejado, durante o período em que Miguel de Cervantes esteve preso, porém, não há provas de que isto seja real.

Com o sucesso de Dom Quixote, Miguel de Cervantes pôde passar a dedicar-se somente à literatura, juntando suas economias e sem precisar de outra ocupação. Porém, o sucesso de sua publicação trouxe algumas outras consequências, como, por exemplo, a publicação falsa de uma continuação de Dom Quixote, que posteriormente seria atribuída a Alonso Fernández de Avellaneda.

A publicação falsa fez com que Miguel de Cervantes se revoltasse pelo uso não autorizado de sua obra, o que lhe levou a escrever a segunda parte de Dom Quixote, “O engenhoso cavaleiro dom Quixote de La Mancha”, publicado em 1615, sendo mais uma vez um grande sucesso, posteriormente traduzido a mais de 60 idiomas diferentes.

Durante o tempo entre as duas partes de Dom Quixote, Miguel de Cervantes ainda escreveu outras obras de grande importância, como “As Novas Exemplares”, conjunto de crônicas de 1613, “A Viagem de Parnaso”, de 1614 e “Oito comédias e oito entremezes novos nunca antes representados”, também de 1615.

Além disso, Miguel de Cervantes escreveu “A Numancia”, um de seus mais populares dramas, que ficou inédito até o fim do século XVIII, assim como “O Trato de Argel”.

Morte de Miguel de Cervantes

Assim como sua data de nascimento, a data da morte de Miguel de Cervantes é alvo de algumas discussões sobre o dia exato. No entanto, o dia oficial de sua morte é 23 de abril de 1616, na cidade de Madrid, na Espanha, sendo a causa mais provável de sua morte a cirrose.

A importância de Miguel de Cervantes para a literatura e sua história é tamanha, que a data oficial de sua morte, 23 de abril, ganhou a comemoração do dia mundial do livro. Além disso, a proximidade com a morte de William Shakespeare (que morreu poucos dias depois de Cervantes) faz com que a ocasião seja ainda mais importante para a literatura.

Após mais de quatro séculos de sua morte, Miguel de Cervantes é ainda hoje um dos maiores nomes da literatura mundial, sendo sua obra objeto de análise e admiração a um incontável número de pessoas, que tem em seu trabalho a inspiração deixada por Miguel de Cervantes.

Fontes: Info Escola / Wikipedia / Substantivo Plural