Resumo sobre Pablo Pícasso Biografia


Gênio das artes plásticas, Picasso teve vida social agitada e muitas mulheres

Pai do artista foi seu primeiro grande professor e incentivador. Pablo Picasso morreu aos 91 anos, na França.

Nascido na cidade de Málaga, em 25 de outubro de 1881, Pablo Picasso já poderia ser considerado um ser especial e diferente apenas por sua nominação. Porém, o tempo mostrou que ele ganharia o mundo mesmo por conta de seu talento e particularidades artísticas geniais.

O interesse pela arte surgiu cedo, logo aos 7 anos de idade, quando Picasso começou a desenhar a lápis e recebeu seus primeiros ensinamentos vindos de seu pai, José Ruiz y Blasco, que mais tarde o apresentou à prática de pintura a óleo. Blasco era pintor naturalista e conhecido por seus traços que retratavam pássaros.

Pablo Pícasso Biografia

Até hoje não existem muitas informações sobre sua mãe, Maria Picasso y Lopez, que também era mãe de duas filhas. Em 1923, Picasso produziu o único retrato conhecido de sua progenitora. Por isso nosso resumo sobre a biografia de Pablo Picasso não pode fornecer informações como sua profissão, idade ou outras características pessoais.

Em 1891, toda a família do artista se mudou para cidade de La Coruña, devido ao novo emprego do patriarca, que começou a atuar como professor de arte. Relatos afirmam que foi exatamente nesta mesma época que o pai de Pablo Picasso impressionou-se com o início da pintura de um pombo, produzida por seu filho, que então tinha 13 anos de idade, porém com um talento que já superava o de José Ruiz, que até então era o especialista neste tipo de pintura da casa.

Já em 1895, a itinerante família de Pablo Picasso acabou se mudando para Barcelona, onde Picasso teve sua primeira tela de pintura a óleo, com as dimensões de 166 x 118 cm, foi exposta. Ela tinha sua irmã Lola como modelo e ganhou o nome de “A Primeira Comunhão”. Durante esse período , o artista já estava matriculado em uma academia, conhecida como Academia La Lonja.

Tendo cada vez mais certeza de seu talento, José Ruiz investiu na carreira do filho e permitiu que ele se mudasse para Madrid, onde se matriculou na Academia São Fernando, porém não se manteve no local por muito tempo, pois acreditava que a instituição era conservadora, contrariando assim o seu pai. Porém durante esse tempo em que se manteve na academia, Picasso se dedicou a visitar constantemente o Museu do Prado e conhecer a fundo, principalmente as obras do pintor maneirista El Greco.

Durante o começo de sua carreira, as obras do artista espanhol eram assinadas como “Pablo Ruiz Picasso”, nomenclatura que foi diminuindo depois para “Pablo R. Picasso” para depois se tornar unicamente “Picasso”. Muitos acreditam que dessa forma, Picasso buscasse uma forma de se desvencilhar da figura do seu pai, já que estava adotando apenas o sobrenome da mãe, porém, a verdade é que o artista optou por usar a forma que já era chamado informalmente por seus amigos e pessoas conhecidas.

Doente de escarlatina, Picasso então voltou a Barcelona seguindo as recomendações de seu médico, mais tarde, foi para um local chamado Horta de Sant Joan, onde ficou cercado pela natureza tipicamente espanhola.

Inquieto, em 1899, o pintor já estava de volta a Barcelona, onde começou a socializar com outros artistas, frequentar cafés e ter contato com a ideologia anarquista e se preocupar com a pobreza encontrada em diversos locais da cidade. Com a obra “Últimos Momentos” exposta na Exposição Universal de 1900, Picasso viaja a Paris na companhia de seu amigo e também pintor Carlos Casagemas.

Durante a viagem, ele teve contato próximo com Isidro Noel, que o influenciou em sua vida pessoal e também em sua obra. Após esse período, Picasso viajava constantemente a França até que finalmente resolveu morar em Paris de forma definitiva.
Nesta época, Picasso passou por diversas dificuldades financeiras, vivendo praticamente de favor na casa de um amigo, o poeta Max Jacob, onde tinha somente uma cama.

Pouco depois, o artista apaixona-se por Fernand Olivier e distancia-se da vida sofrida que levava anteriormente. Podemos dizer neste resumo sobre a biografia de Pablo Picasso, que foi nesta época que o artista começou a ter um maior convívio social na capital francesa, passando a se relacionar com pessoas importantes.

Entre elas o escritor Guillaume Apollinaire e Matisse, que foi seu amigo pelo resto da vida.

No ano de 1911, Picasso separa-se então de Ferdinand e começa a se relacionar com Marcelle Humbert, a quem muitos estudiosos definem como o primeiro amor que serviu de inspiração para suas obras. O relacionamento foi interrompido em 1917, quando Marcelle faleceu.

Outro fato relevante para o nosso resumo sobre a biografia de Pablo Picasso é que em 1918, ele se casou com a bailarina Olga Koklova, que havia conhecido durante uma breve passagem por Roma em 1916. O casamento, que durou até 1935, resultou em um filho, chamado Paulo. No mesmo ano em que se casou com Olga, Picasso participou de uma exposição de Matisse e conseguiu ser reconhecido de maneira popular como artista.

Em 1935, Picasso tem uma nova eleita, Marie Thérèse Walter, com quem teve uma filha, que recebeu o nome de Maia. Porém, na mesma época, outra mulher com quem o artista também mantinha um relacionamento, Dora Maar, também foi retratada em suas telas.
Mais tarde, em 1943, Picasso teve dois filhos, Claude e Paloma, com o seu então novo amor, a artista Françoise Gilote. A separação aconteceu em 1953 e oito anos depois, em 1961, o pintor se casa novamente, agora com Jacqueline Roque.

Parte importante em nosso resumo sobre a biografia de Pablo Picasso é a iniciação do artista na técnica de escultura em madeira e cerâmica, que aconteceu nesta época.

Com pouca visão e saúde fragilizada após duas cirurgias, uma em sua próstata e outra na vesícula, o artista morreu em 8 de abril de 1973, aos 91 anos de idade. A sua morte aconteceu em sua casa na cidade de Mougins, na França, onde ele trabalhou de maneira ativa até esse momento.

Ao todo, Picasso criou um surpreendente número de mais de 20 mil obras de arte, todas repletas de sua identidade pessoal. Entre as técnicas desenvolvidas por ele estão telas, esculturas e murais, entre outras.