Bico-de-lacre


Ave passeriforme da família Estrildidae, o Bico-de-lacre é uma espécie originária da África do Sul e Senegal, que chegou ao Brasil graças aos marinheiros que trabalhavam nos navios mercantes.

Bico-de-lacre

Hábitos e Características

Considerada uma ave de pequeno porte, o Bico-de-Lacre tem 13 cm de comprimento e 14 cm de envergadura. É encontrado principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, as fêmeas apresentam cor acastanhada no corpo, o peito em tons de cinza, além de bico rubicundo e uma linha vermelha em torno dos olhos. Em contrapartida, os machos da espécie possuem tom mais avermelhado na região do peito e a parte debaixo da cauda preta.

O Estrilda astrild – nome científico – prefere viver em comunidades não se importando, inclusive, com a presença de aves que pertençam a espécies diferentes. De temperamento calmo acostumam-se facilmente com humanos, característica essa que faz do Bico-de-lacre uma espécie fácil de ser criada em cativeiro.

Tem hábito alimentar granívoro, ou seja, consomem grãos e sementes, porém, às vezes podem ingerir pequenos insetos, principalmente durante o período reprodutivo quando necessitam de uma maior quantidade de proteínas. Apesar de não serem competitivos quando o assunto é comida, podem causar grandes estragos às plantações de arroz.

Reprodução

Os Bico-de-lacre podem se reproduzir durante todo o ano, porém, geralmente, optam por descansar em períodos mais frios – meses de junho, julho e agosto -. Com relação à sexagem, não é nada fácil diferenciar os machos das fêmeas, algumas características que podem ajudar nessa missão são as cores e o canto.

Apresentando maturidade sexual aos 10 meses, essas aves gostam de ninhos feitos a partir de feno, fibra de coco e outros materiais macios. O período de incubação – feito por ambos os sexos – varia entre 12 e 13 dias, no geral, são postos de quatro a cinco ovos. Os filhotes permanecem no ninho por 21 dias, isso significa que tem o desenvolvimento lento, se comparado a outras espécies.

As pequeninas aves apresentam plumagem incompleta e apesar da cor vermelha ao redor dos olhos e no bico, característica da espécie, a coloração das aves ainda é muito fraca. Os pequenos só irão se alimentar sozinhos cerca de três semanas depois, as cores mais vívidas também só vem com o passar do tempo.

Cerca de 40 dias depois da primeira leva de filhotes o macho e a fêmea já estão preparados para tomar conta de outro ninho. Estima-se que um casal de Bico-de-lacre produza de quatro a cinco ninhadas por época reprodutiva e justamente por apresentarem um ciclo reprodutivo, razoavelmente curto, são capazes de obter entre 15 e 20 crias por ano.

Uma curiosidade a respeito dessas aves é que criam pequenos ninhos menores sobre o verdadeiro ninho, com a intenção de despistar os predadores aos desviar a atenção dos verdadeiros ovos.

Criando Bico-de-lacre em cativeiros

Tal qual mencionado no início deste artigo, o Estrilda astrild apresenta comportamento calmo, por isso pode ser, facilmente, criado em cativeiro. Se depois de ler este texto você está pensando em ter uma ave dessas algumas informações são de suma importância:

• Semente e proteínas: por se tratarem de granívoros opte pelas sementes, as do “tipo para exóticos” certamente se tornarão uma das preferidas no cardápio. Mas fique atento, na época de reprodução as aves necessitam de mais proteína, por isso, não deixe faltar alimentos à base de ovo e pequenos insetos, na dúvida, a mosca da fruta é uma ótima pedida.
• Areia: esterilizada e limpa pode ser oferecida junto de complexo mineral.
• Farinhada: no período reprodutivo as fêmeas podem consumir uma mistura de 50% de ração e 50% de fubá de milho grosso.
• Vitaminas: durante três vezes na semana você pode investir em um poli-vitamínico que deverá ser servido no bebedouro.
• Água: lembre-se de servir ao Bico-de-lacre água filtrada. A bebida deve ser renovada diariamente e o bebedouro deve estar sempre limpo.

Outras informações importantes são com relação ao ambiente onde estas aves deverão ser mantidas. O ideal é que vivam em cativeiros com colônias formadas por vários casais, lembre-se, o Bico-de-lacre gosta de viver em comunidade.

As gaiolas para o período reprodutivo devem ter, no mínimo, 35 cm de altura X 30 cm de comprimento e 25 cm de largura. Para esse período providencie ainda, material macio para os ninhos.

Lembre-se também de anilhar suas aves, o anel é o método mais seguro para manejo, identificação e rastreabilidade de aves domésticas. No Bico-de-Lacre podem ser utilizadas anilhas de 2,00 até 2,30 mm.

Além de terem se proliferado com facilidade pelo Brasil, os Bico-de-lacre também povoam boa parte do continente Europeu, por esse motivo, e também, por serem criados, facilmente, em cativeiros não são uma espécie considerada em extinção.

De qualquer maneira, nunca é demais reforçar a ideia de cuidado com os ecossistemas e seus habitantes, afinal, cuidar da natureza também é cuidar do homem.

Não deixe de conferir nossos demais artigos. Até a próxima pesquisa!