Características, Ciclo de Vida e Reprodução das Pteridófitas e Gimnospermas


Ciclo de Vida e Reprodução das Pteridófitas e Gimnospermas

Pteridófitas
As pteridófitas são plantas vasculares que não possuem sementes, formadas apenas por raiz, caule, normalmente subterrâneo e fo¬lhas, que costumam se subdividir em folíolos.
A palavra pteridófita vem do grego pteridon, que significa ‘feto’; com phyton, que quer dizer ‘planta’. Isso porque as folhas, quando em brotamento, lembram a posição de um feto humano no útero da mãe.
Nesse grupo de plantas se incluem as Samambaias, Avencas, Xaxins e Cavalinhas, por exemplo.
A maioria das pteridófitas é terrestre e vivem bem em lugares locais úmidos e sombreados.

Reprodução e ciclo de vida das pteridófitas
As pteridófitas se reproduzem em um ciclo de duas fases: uma fase sexuada e outra assexuada.
As samambaias, por exemplo, são plantas assexuadas, produzindo os chamados esporos. Ao longo do ano, na superfície inferior das folhas, pode-se perceber vários pontinhos escuros, os soros, que contém inúmeros esporos, indicando que elas estão em época de reprodução.
Ao amadurecerem, os soros se abrem, os esporos caem no solo úmido e cada esporo pode germinar e originar um prótalo. O prótalo é uma planta sexuada, produzindo gametas responsáveis pela inseminação e fecundação da planta. O anterozoide se desloca em meio líquido e “nada”” em direção à oosfera, fecundando-a. Surge então o zigoto, que se desenvolve e forma o embrião que se tornará uma samambaia.

Gimnospermas
Gymnos vemd o grego que significa ‘nu’ e sperma que significa ‘semente’. São plantas terrestres que vivem, preferencialmente, em ambientes de clima frio ou temperado. Como os pinheiros, as sequoias e os ciprestes.
As gimnospermas possuem raízes, caule e folhas; e ramos reprodutivos com folhas modificadas, as chamadas estróbilos.
Elas produzem sementes nos estróbilos femininos, mas não produzem frutos. Por isso o nome, pois suas sementes são “nuas”, não ficam envolvidas em frutos.
Reprodução e ciclo de vida das gimnospermas
O estróbilo masculino produz grãos de pólen. O estróbilo feminino produz óvulos. No interior de um óvulo maduro surge um grande esporo.
O estróbilo masculino se abre e libera grande quantidade de grãos de pólen, que espalha no ambiente e pode ser levado até o estróbilo feminino. Então, o grão de pólen forma o tubo polínico, de onde se origina o núcleo espermático, o gameta masculino. O tubo polínico cresce até alcançar o óvulo, introduzindo o núcleo espermático.
Dentro do óvulo, esporo abrigado se desenvolve e forma uma estrutura que guarda a oosfera, o gameta feminino. O núcleo espermático fecunda a oosfera. e forma o zigoto. Ele se desenvolve, origina um embrião até se transformar em uma semente.
Nos pinheiros, as sementes são os pinhões. Eles se formam e o cone feminino passa a ser chamado pinha. Quando elas se espalham, as sementes podem germinar e originar uma nova planta.