Ciclo do Carbono, Poluição do Ar, Inversão Térmica, Chuva Ácida e Buraco na Camada de Ozônio


ciclo-do-carbono-poluicao-do-ar-inversao-termica-chuva-acida-e-buraco-na-camada-de-ozonio

A atividade humana contribui com diversas mudanças atmosféricas. Algumas destas mudanças são bastante nocivas paras as espécies biológicas e até colocam a vida na Terra em risco.

Ciclo do carbono
O carbono é um elemento tão essencial para a vida na Terra que está ligado a diversos fenômenos. O chamado ciclo do carbono, onde ocorre uma renovação do carbono atmosférico, tem início com os organismos autótrofos:

– As plantas absorvem o CO2 através da fotossíntese;

– Animais comem as plantas e o carbono é repassado para a cadeia alimentar;

– As plantas em decomposição e a respiração animal devolvem o C02 para a atmosfera.

Poluição do ar
A cadeia de carbono na manipulação humanada dos recursos naturais é bastante prejudicial. A atividade industrial e o próprio trânsito contribuem com a poluição do ar, que significa com uma piora da qualidade do que respiramos.

Neste caso, o ciclo de poluição se dá assim:

– Humanos extraem combustíveis fósseis do interior da Terra;

– Os combustíveis fósseis são queimados por indústrias e carros e liberam, em grande quantidade, níveis de CO2 e outros poluentes na atmosfera.

Inversão Térmica
A inversão térmica ocorre quando camadas de ar frio ficam mais próximas do solo. Isso deixa o ar mais poluído e contribui com o efeito estufa. Quem naturalmente deveria estar mais próximo do solo são as camadas de ar quente, que normalmente são mais densas.

Chuva ácida
A queima de combustíveis fósseis também libera na atmosfera poluentes como o dióxido de enxofre. Em contato com as nuvens de chuva, esses poluentes podem deixar a água ácida.

E em caso de precipitação, o fenômeno é chamado de chuva ácida. Ela é capaz de destruir vegetações, contaminar solos e gerar doenças em humanos.

Buraco na camada ozônio
A camada de ozônio serve como se fosse um protetor da Terra contra radiações poderosas, como a ultravioleta. Contudo, a atividade humana, principalmente a industrial, acabou gerando um buraco nesse manto.

A partir deste buraco concentrações altíssimas de radiação conseguem chegar até as cidades.