Citologia: O que é e Estudo das Células


A biologia é, por definição, a ciência natural que se encarrega dos estudos de todos os tipos de vida. No entanto, no mundo existem milhões de seres vivos diferentes e cada um deles pode ser estudado sob diversos pontos de vista.

Por isso, para organizar as linhas de pesquisa, a biologia foi subdividida em segmentos, de modo que cada um deles se preocupa em estudar uma coisa diferente, mas que esteja dentro da proposta dessa área, ou seja, todos esses segmentos representam um olhar diferente sobre a vida.

Citologia

A citologia é um dos ramos da biologia. Venha saber o qual é o seu objeto de estudo principal e quais são os temas mais detalhados que ela abrange.

O que é citologia?

É uma corrente dentro da biologia que se dedica a estudar as células que compõem os organismos vivos. Por isso, também pode ser chamada de biologia celular, uma nomenclatura bastante propícia.

A citologia é uma área de extrema importância, uma vez que todos os seres vivos são formados por células. Eles podem ser unicelulares (quando possuem uma única célula) ou pluricelulares (formados por várias células).

As células são formadas, basicamente, por membrana plasmática, citoplasma e núcleo.

O conhecimento mais básico da citologia é em relação aos tipos de células. Existem dois:

• Células procarióticas: são aquelas que não possuem uma membrana envolvendo o núcleo, por isso, o material que faz parte dele fica espelhado no meio do citoplasma. São as células mais primitivas, porque surgiram há bilhões de anos e possuem uma estrutura extremamente simples. Elas possuem apenas uma organela: o ribossomo, que tem como principal função produzir proteínas.

• Células eucarióticas: essas contêm uma membrana que delimita o núcleo, deixando o seu material isolado. Elas são mais complexas do que as procarióticas e possuem inúmeras organelas, cada uma com uma função diferente. Os animais, vegetais, protozoários, fungos e algas possuem esse tipo de célula.

A célula é a menor unidade que compõe um ser vivo do ponto de vista biológico. Um conjunto de células forma um tecido, um conjunto de tecidos forma um órgão, um conjunto de órgãos forma um sistema e um conjunto de sistemas forma um organismo completo. É claro que essa é a lógica de seres vivos de maior complexidade, como plantas e animais em geral.

A título de curiosidade, um ser humano adulto é formado por, aproximadamente, 75 TRILHÕES de células! Um número extremamente alto, que reforça ainda mais a importância da citologia como área de conhecimento.

As diferenças entre as células animais e vegetais não são muitas:

• Enquanto as células animais possuem apenas a membrana plasmática como estrutura de revestimento, as vegetais também têm uma parede celular formada por celulose, o que lhes conferem maior rigidez;

• As células animais possuem organelas chamadas lisossomos, que não existem nos organismos vegetais;

• Os plastos são organelas exclusivas das células vegetais. Suas principais funções são armazenamento e fotossíntese.

Organelas celulares

O estudo das organelas presentes nas células é uma parte fundamental da citologia, pois é a partir disso que se pode determinar como funcionam as estruturas celulares e quais são as suas funções.

As organelas são os órgãos das células, ficando mergulhadas no citoplasma, local onde acontece a maior parte das reações químicas e metabólicas celulares. Elas são importantes para manter as células vivas e, por consequência, o organismo saudável.

Observe quais são e para que servem as organelas:

• Mitocôndrias: são responsáveis pelo processo de respiração das células. Sim, as células também precisam respirar para obterem energia. Essas organelas possuem o seu próprio material genético e são encontradas em todas as células eucarióticas.

Complexo de Golgi: normalmente fica próximo do núcleo e tem a secreção celular como responsabilidade principal. É ele que forma os lisossomos e também os acrossomas.

• Lisossomos: são organelas que possuem enzimas que servem para digerir substâncias orgânicas, portanto, executam a função de digestão celular. Eles não são encontrados em células vegetais. Quando produzidos em excesso, por conta de alguma anomalia, podem destruir a célula por um processo de autodigestão.

• Vacúolos: colaboram com a digestão dentro das células.

• Retículo Endoplasmático Liso: é responsável pela produção de lipídios (como os fosfolipídios, por exemplo) e de esteroides, como o estrogênio e a testosterona, que são hormônios sexuais.

• Retículo Endoplasmático Rugoso: diferencia-se do anterior por ter ribossomos em sua superfície. Participa do processo de síntese proteica.

• Ribossomos: são as organelas responsáveis pela produção de proteínas.

• Centríolos: produzem cílios e flagelos (o espermatozoide, por exemplo, precisa disso para se movimentar) e participam da divisão celular.

• Peroxissomos: atuam no processo de desintoxicação das células.

• Citoesqueleto: ajuda a dar forma e sustentação para as células, além de contribuir com o transporte de substâncias.

Essas são as principais organelas estudadas pela citologia. Como você percebeu, apesar de cada uma ter a sua própria função, trabalham em conjunto para manter a célula viva e saudável.