Classe Cestoda (Tênia): Características e Ciclo de Vida da Taenia solíum


Classe Cestoda (Tênia)

A Taenia Solium, ou tênia, pertence a classe de animais chamada cestoda, possuem um corpo achatado e comprido, em formato de fita e podem atingir metros de comprimento. Esses vermes platelmintos também são comumente conhecidas por solitárias, graças a sua característica de habitarem sozinhas no organismo de seu hospedeiro.

O ciclo de vida das tênias é digenéticos, ou seja, acontece em dois hospedeiros diferentes, um em seu período de larva e o outro em sua fase adulta. O seu hospedeiro inicial, ou chamado também de hospedeiro intermediário, é o porco e elas concluem seu ciclo de vida no ser humano. Os corpos desses vermes são repletos de proglótides, que são compostas de músculos, mesênquima e células-flama.

Antes da fase adulta da tênia, as proglótides estão ligadas aos canais excretores e a dois cordões nervosos longitudinais. O escólex da T. Solium possui ventosas e ganchos e ajuda a fixá-la no hospedeiro. Quando próxima a idade adulta há um afastamento do escólex, amadurecimento da proglótide e formação dos órgãos reprodutivos masculino e feminino. A reprodução desse verme é por meio da autofecundação.

Após realizada a autofecundação, a proglótide é transformada em um compartimento de ovos, os quais são desvinculados da tênia e liberados nas fezes do hospedeiro. As larvas são denominadas de cisticerco e conseguem permanecer por um longo tempo no hospedeiro intermediário, alojadas na musculatura do animal hospedeiro. Em alguns casos, normalmente não chegam a fase adulta por não encontrarem hospedeiro humano.

Quando entram na corrente sanguínea do porco, basta que sua carne seja consumida de forma mal cozida que o ser humano será infectado pelo verme. A parasitose resultante desse quadro é chamada de teníase. A ingestão de larvas, por meio de verduras e legumes mal higienizados, pode causar também cisticercose, doença de difícil tratamento e cura, podendo ser fatal.