Conceitos e Apresentação sobre a Ecologia e o Ecossistema


ECOLOGIA

População – qualquer conjunto de indivíduos de uma mesma espécie capazes de intercruzar-se e que coexistem em uma mesma área geográfica por um certo período de tempo. Habitat – local ocupado por determinada popu­lação ou ambiente onde uma espécie pode ser en­contrada. É o “endereço” desta.
Na definição de Dajoz (1973), Ecologia é a “ciência que estuda as condições de existência dos seres vivos e as interações, de qualquer natureza, existentes entre es­ses seres vivos e seu meio”. A palavra ecologia, criada pelo biólogo alemão Ernest Haeckel, em 1866, tem origem nos termos gregos oikos = casa, ambiente e logos = estudo, trabalho.

Ecologia e o Ecossistema

Ecossistema

A unidade funcional dessa ciência é o ecossistema, conjunto de comunidades biológicas mais os fatores abióticos do meio onde se encontram, no qual ocorre a trans­ferência de matéria e energia entre o meio abiótico e os seres vivos de determinada região. Para facilitar o entendimento do tema proposto, é importante compreender alguns conceitos, apresentados a seguir.

Espécie – é a unidade básica de classificação e pode ser definida como grupamento de indiví­duos que apresentam características semelhantes, capazes de se cruzar em condições naturais e produzir descendentes férteis, estando, ao mes­mo tempo, reprodutivamente isolados de indiví­duos de outras espécies.

Comunidade, biocenose ou biota – qualquer conjunto integrado de populações que vivem em uma mesma área, por um determinado período de tempo. A biocenose é a parte viva do ecossistema.

Biótopo – são fatores físicos e químicos presen­tes no ambiente. Em seu conjunto, esses compo­nentes formam o biótopo: “o local onde vive a biocenose”. Na floresta, por exemplo, o biótopo é o conjunto formado pelo solo (com seus minerais e água) e pela atmosfera (com seus gases, umida-de, temperatura, grau de luminosidade, etc.).

Ecossistema – termo utilizado para referir-se à unidade natural em que fatores abióticos intera­gem e atuam sobre fatores bióticos (comunida­des). Ecossistema é, portanto, a interação entre biocenose e biótopo.

Ecótone – zona de contato entre regiões ecolo­gicamente distintas. Pode-se dizer que se trata de uma “linha de tensão”, pois espécies de ecos­sistemas diferentes tentam expandir seus domí­nios, dando origem a uma região de transição entre dois ecossistemas. É normal encontrar no ecótone uma grande diversidade de vida (fauna e flora), pois a região é invadida por organismos de diferentes comunidades, estabelecendo vários nichos ecológicos.

Bioma – comunidade-clímax de um ecossistema, isto é, o conjunto de seres vivos de uma deter­minada área.
Biosfera – conjunto de todos os ecossistemas da Terra, isto é, regiões habita­das do planeta.

Biodiversidade – designa coletivamente os di­versos organismos vivos presentes no planeta. A biodiversidade pode ser definida em termos de genes, de espécies e de ecossistemas, tais como se apresentam após cerca de três milhões de anos de evolução. A espécie humana depende da bio­diversidade para a sua sobrevivência. Pode-se assim considerar, na prática, esse termo como sinónimo de “vida sobre a Terra”.

Nicho ecológico – conjunto de atividades funci­onais realizadas por uma espécie em relação a outras espécies e com o meio físico, que permi­tem a manutenção de sua vida.

Atualmente, cerca de 1,7 milhão de espécies já foram identificadas. O número exato é ainda des­conhecido, mas estima-se que haja entre 5 e 100 milhões de espécies no planeta. Enquanto os jovens Cisca e Darwin exploram a folhagem, outro membro do grupo aproveita para testar a postura
bípede com o auxílio de galhos e da cauda.

Hipótese Gaia

A Hipótese Gaia, ou de Gaia, foi formulada pelo químico inglês, especialista em questões atmosféricas, Dr. James Lovelock, e apoiada pela Dra. Lyn Margulis, microbióloga norte-americana. Segundo essa hipótese, exis­te um mecanismo de auto-regulação da composição da atmosfera terrestre, isto é, os organismos e o meio abiótico interagem entre si, modificando o meio físico para torná-lo adequado à presença de vida.