Condroblastoma


Também conhecido como tumor de Condman, o condroblastoma é um tumor ósseo que se desenvolve de forma lenta. Geralmente é benigno e aparece em ossos como o fêmur, úmero ou tíbia. O tumor costuma formar cartilagem e corresponde a aproximadamente 1,8% dos tumores ósseos.

condroblastoma

Os homens costumam ser mais afetados por esse tipo de tumor, e a faixa etária que mais costuma sofrer com o problema se encontra entre os 10 e 20 anos de idade. As causas mais comuns para o aparecimento da doença estariam relacionadas a mutações que ocorrem em alguns cromossomos ou genes.

Como o tumor pode atingir também as articulações é comum que seja confundido com a artrite, já que apresenta a dor intensa na região afetada como um dos principais sintomas. Essa é a razão pela qual os médicos solicitam a realização de vários exames, justamente para descartar a existência de outras doenças e confirmar o diagnóstico do condroblastoma.

Vamos conhecer mais sobre essa doença, seus sintomas, diagnóstico e formas de tratamento:

Sintomas de condroblastoma

O condroblastoma, assim como outros tipos de tumores, também apresenta sinais que indicam que há algo errado com o corpo. Os sintomas costumam ser restritos e podem não chamar atenção inicialmente, podendo ser confundidos com lesões comuns do dia a dia ou de outras doenças, como a artrite.
São sintomas comuns desse tipo de tumor:

• Dor nos ossos

A dor pode ser leve, moderada ou intensa, e costuma aparecer sem uma explicação lógica, como lesão causada por atividades físicas intensas, por exemplo.

Sua duração é de meses ou até mesmo anos, e o que costuma chamar a atenção dos médicos e pacientes é a longa duração da dor na região sem que tenha ocorrido alguma lesão.

É o sintoma mais comum e, aproximadamente 80% dos pacientes reclamam de dores na região afetada, a qual não sara por mais que mudem hábitos de vida ou adotem tratamentos para outras doenças.

• Dificuldade de mover articulações, andar, correr ou subir escadas

Dependendo da região afetada pelo condroblastoma, é comum que o paciente note dificuldade e dor ao mover articulações da mesma forma que, quando o tumor aparece no fêmur ou na tíbia, a queixa maior envolve não conseguir caminhar, correr e até mesmo subir escadas sem sentir dor ou rigidez na região.

• Inchaço no local afetado

Costuma ser observado também o aparecimento de um edema ou massa palpável na região afetada pelo condroblastoma. É possível notar a presença de um inchaço anormal.

É o segundo sintoma mais comum de um paciente que apresenta a doença. Como existe o crescimento de células anormais e a formação de cartilagem, o resultado é um inchaço do osso que ainda se encontra em fase de crescimento, já que afeta pacientes com idades entre 10 e 20 anos.

• Artrite e atrofia muscular

Pacientes que sofrem de condroblastoma podem apresentar também artrite e atrofia muscular juntamente com o tumor, no entanto, esse sintoma é raro e costuma aparecer em poucas pessoas.

O mais comum é que as dores na região das articulações sejam confundidas com a artrite.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da doença é obtido a partir de análise do histórico do paciente juntamente com a queixa de sintomas. Além disso, o médico poderá também solicitar exames de imagem como radiografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética e cintilografia óssea e exames físicos.

É comum que uma biopsia da região afetada seja solicitada, além de exames que descartem a existência de outras doenças que apresentam sintomas semelhantes. Quando confirmada a presença do condroblastoma, é comum que apareçam nos exames cartilagens imaturas, células gigantes e edema medular.

O tratamento dessa doença pode ser feito através de algumas técnicas:

• Curetagem

Envolve a raspagem da região atingida pelo tumor. Geralmente é adotada como uma primeira etapa e agregada a outros tratamentos abaixo descritos.

• Transplante ósseo sobre lesão que passou por curetagem

Após a curetagem é realizado transplante ósseo para evitar que o condroblastoma volte a aparecer.

• Implantação de gordura como enxerto ósseo

Considerado um dos tratamentos mais eficazes juntamente com a curetagem. Após a raspagem do tumor, é feita a implantação de gordura como enxerto ósseo, o que evita a reincidência da doença.

• Cauterização química após curetagem

Consiste na aplicação de uma substância química que possui fenol na região atingida pelo condroblastoma logo após a realização da curetagem. O objetivo é evitar a volta do tumor.

• Crioterapia

Expõe a região afetada a uma temperatura bastante baixa. Geralmente é feita com nitrogênio líquido.

• Ressecção

Envolve a remoção do osso afetado. É adotada apenas quando a lesão se encontra em estágio muito avançado e o osso se encontra danificado. Geralmente, se faz necessária a substituição do osso afetado – transplante ósseo – ou a colocação de uma prótese.

No caso dos tratamentos, a curetagem seguida de implantação de gordura, como enxerto ósseo, é o mais eficaz e comumente adotado na grande maioria dos casos diagnosticados de condroblastoma.