Degradar e biodegradar


Os termos degradar e biodegradar possuem nomes parecidos, embora tenham significados diferentes. Enquanto a palavra degradação se refere ao processo pelo qual as grandes moléculas são quebradas e transformadas em moléculas menores, a palavra biodegradação se refere ao processo pelo qual os organismos vivos utilizam matérias como fonte de energia. Dessa forma, podemos identificar os materiais como degradáveis ou biodegradáveis, sendo estes últimos considerados como materiais ecologicamente corretos.

Degradar e biodegradar

Como exemplo de materiais degradáveis, podemos citar as sacolas plásticas e os filmes rígidos, entre outros. Basicamente, esses são materiais classificados como degradáveis porque são resistentes até que sofram oxidação. Isto é, são materiais que não são absorvidos pela natureza e que contribuem para a poluição do meio ambiente. Em relação a materiais biodegradáveis, podemos citar as sacolas plásticas biodegradáveis e o papel biodegradável, que possuem decomposição natural com o auxílio de fungos e bactérias.

Quer saber mais sobre Degradar e Biodegradar? Confira nesse artigo todas as dicas e informações que temos para você! Veja abaixo:

• O que e quais são os materiais não biodegradáveis?

Os materiais degradáveis, isto é, as matérias que não são biodegradáveis, são aqueles que apresentam características nocivas ao meio ambiente porque contribuem para a poluição dos solos e não sofrem o processo de decomposição natural. Isso quer dizer que são materiais, como produtos de limpeza, pilhas, baterias e sacolas plásticas, entre diversos outros exemplos, que são resistentes e só se decompõem depois de muitos anos, quando sofrem oxidação.

Os produtos de limpeza que não são biodegradáveis, por exemplo, prejudicam a natureza porque possuem, em sua fórmula, substâncias que contaminam os rios e redes de esgoto. Já as sacolas plásticas contribuem para o aumento do acúmulo de resíduos na superfície do planeta e demoram anos até que sejam “digeridas” pela natureza. As pilhas e baterias, pelas substâncias presentes em sua estrutura, também demoram muitos anos até que sofram o processo de decomposição e contaminam o solo.

Mesmo com os materiais que não são biodegradáveis, no entanto, ainda assim é possível dar um destino mais sustentável à essas matérias com processos de reciclagem. As garrafas pet, por exemplo, já são utilizadas para a confecção de diversos objetos sustentáveis, como puffs e vasos de plantas, enquanto as latas de alumínio estão sendo recolhidas em larga escala para que possam ser reutilizadas pela indústria. Tudo depende de como o lixo é coletado, portanto.

Confira a lista de exemplos de materiais que não são biodegradáveis:

  • Óleo de cozinha;
  • Sabão em pó não biodegradável;
  • Detergente não biodegradável;
  • Sacolas plásticas;
  • Petróleo;
  • Embalagens plásticas;
  • Latas de alumínio;
  • Garrafas plásticas;
  • Vidros;
  • Metais;
  • Pilhas e baterias;
  • Borracha.

• O que e quais são os materiais biodegradáveis?

Hoje é muito fácil saber quais são os produtos e materiais biodegradáveis porque, atualmente, há uma grande luta pela conscientização das pessoas e as empresas já informam no rótulo de seus produtos quais são as opções que não agridem a natureza. De forma geral, as matérias biodegradáveis são benéficas ao meio ambiente porque, além de sofrer o processo de decomposição natural de forma mais rápida, alimentam a natureza, já que servem como fonte de energia para bactérias e fungos.

Entre esses materiais, estão os produtos de limpeza, como sabão em pó e detergentes biodegradáveis, as sacolas plásticas biodegradáveis e o papel biodegradável, entre outras matérias possíveis de serem citadas. Basicamente, são o que chamamos, também, de materiais renováveis. Isto é, que podem ser reaproveitados de forma natural e que não são considerados nocivos em termos de poluição e agressão ao meio ambiente.

Outra dúvida comum se refere a materiais biodegradáveis e reciclagem. Basicamente, é possível dizer que as matérias biodegradáveis não precisam estar incluídas no processo de reciclagem, pois a própria natureza é a responsável pela decomposição desses produtos. A reciclagem e o reaproveitamento de resíduos, sobretudo, são processos ecológicos que visam reduzir a quantidade de lixo depositados na natureza, como forma de contribuir para um planeta mais sustentável.

Confira a lista de exemplos de materiais que são biodegradáveis:

  • Detergentes biodegradáveis (informações sempre no rótulo);
  • Sabão em pó biodegradável (informações sempre no rótulo);
  • Sacolas plásticas biodegradáveis, composta por materiais naturais;
  • Restos de comida, que alimentam fungos e bactérias, sofrendo processo natural de decomposição;
  • Papel biodegradável, composto por papéis reaproveitados;
  • Garrafas de plástico biodegradável, compostas por materiais naturais e finas lâminas;
  • Suturas médicas absorvíveis;
  • Restos de origem animal (carcaças, gorduras, ossos etc.).

Ou seja, quando o assunto é Degradar e Biodegradar, é importante ter em mente que os materiais biodegradáveis são os que fomentam a sustentabilidade no planeta, mostrando-se como uma solução para diminuir os altos índices de poluição em todo o mundo.

Esse artigo sobre Degradar e Biodegradar foi útil para você? Comente e conte para nós qual é a sua opinião!