Etapas da Fotossíntese e Espectros Eletromagnético e da Luz Visível


Etapas da Fotossíntese

A fotossíntese é um processo que consiste na produção de energia por meio da luz solar e fixação de carbono proveniente da atmosfera. Nada mais é do que o processo de transformação da energia luminosa em energia química.
Ela ocorre em duas grandes etapas: a primeira é a fase clara, luminosa ou fotoquímica, e a segunda é a fase escura, ou fase química.
Fase clara
Na fase clara, as reações ocorrem apenas pela presença de luz, na membrana dos tilacoides do cloroplasto. É ali que se forma uma estrutura por meio da absorção de luz solar e da transferência de elétrons pelos fotossistemas – conjuntos de proteínas, pigmentos e transportadores de elétrons.
Nessa fase se produz oxigênio, ATP e NADPH2, que serão utilizados na fase escura. A luz penetra nos cloroplastos, atinge o complexo de pigmentos e provoca alterações nas moléculas de água.
Dois processos acontecem nessa fase: a fotofosforilação – adição de um P (fósforo) ao ADP (Adenosina difosfato), resultando na formação de ATP. E a fotólise da água – quebra da molécula de água pela energia da luz do Sol. Os elétrons liberados são usados para substituir os elétrons perdidos pela clorofila no fotossistema e produzir oxigênio.
Fase escura
Já a fase escura pode ocorrer na ausência ou presença de luz, no estroma do cloroplasto. Durante essa fase, a glicose é formada por meio do CO2. Na fase luminosa se fornece energia, na fase escura, é fixado o carbono.
Ciclo de Calvin:

1. Fixação do Carbono
A cada volta do ciclo, uma molécula de CO2 é adicionada, sendo necessárias seis voltas completas para produzi uma molécula de glicose.
Seis moléculas de ribulose difosfato (RuDP), com cinco carbonos, mais seis moléculas de CO2 produzem 12 moléculas de ácido fosfoglicérico (PGA).
2. Produção de compostos orgânicos
As 12 moléculas de ácido fosfoglicérico (PGAL) são reduzidas a 12 moléculas de aldeído fosfoglicérico.
3. Regeneração da ribulose difosfato
Dessas 12 moléculas de aldeído fosfoglicérico, 10 combinam-se entre si e formam 6 moléculas de RuDP.
As duas moléculas de aldeído fosfoglicérico que sobraram dão início à síntese de amido e outros componentes celulares.
A glicose produzida ao final da fotossíntese é quebrada e a energia liberada nesse processo permite a realização do metabolismo celular.