Explicações, Conclusões e Formulação da 1ª Lei De Mendel


Formulação da 1ª Lei De Mendel

Gregor Mendel foi um importante biólogo e botânico, considerado “pai da genética”, graças aos seus experimentos com base no cruzamento de diversas plantas, para observar como as características eram transmitidas das progenitoras para a sua descendência. Os resultados desses estudos foram a base para as duas leis de Mendel.

Primeira Lei de Mendel: Lei da Segregação dos Fatores

Mendel escolheu a ervilha-de-cheiro para realizar seus experimentos, por conta de algumas características próprias da espécie:

* Fácil cultivo;
* Gerações curtas, ou seja, os resultados do experimento apareceriam rapidamente;
* Características bem evidentes;
* Realizam autofecundação, gerando descendentes puros.

Para estabelecer essa primeira lei, foram observadas 7 características das ervilhas, cada uma correspondente a um par de cromossomos: semente lisa ou rugosa; cor da semente amarela ou verde; tegumento da semente cinza ou branco; planta alta ou baixa; flores em posição axilar ou terminal; vagem verde ou amarela; vagem lisa ou ondulada.

A ideia era estabelecer o caráter de dominância dessas características. Por exemplo: ao cruzar uma planta com sementes verdes e outra com sementes amarelas, qual a porcentagem de indivíduos verdes e amarelos que são originados? Para descobrir, Mendel realizou a fecundação cruzada, para impedir a auto-polinização e observar a consequência da interação entre plantas com características diferentes.

Resultados e conclusão

Mendel descobriu que cada “característica” estudada é determinada por dois fatores, um materno e um paterno. No caso das cores, as sementes verdes foram consideradas “recessivas”, porque não apareceram na primeira geração do cruzamento, apenas na segunda e em menor quantidade. Enquanto isso, as sementes amarelas não “pularam” geração e apareceram em maior quantidade, por isso, foram consideradas dominantes.

Quando as ervilhas (e isso pode ser replicado a outros seres vivos) produzem seus gametas, cada fator vai para um dos gametas, portanto, eles são separados, Mendel percebeu isso ao constatar que linhagens diferentes geravam sementes puras. Ervilhas de sementes amarelas produziam todos os seus descendentes com sementes também amarelas.

A geração “parental” eram os primeiros indivíduos a serem cruzados e mesmo tendo sementes de cores diferentes, toda a primeira geração (F1) foi de indivíduos amarelos. Foi assim que o biólogo percebeu a separação dos genes e a relação de dominância, lançando as bases para a genética moderna.