Feno


O feno corresponde a uma mistura de leguminosas e gramíneas, sendo utilizadas para o consumo de animais, essencialmente ovinos, bovinos, caprinos e equinos.
De uma forma geral, é possível dizer que o feno consiste em uma reunião (gramíneas ou leguminosas), devidamente ceifadas, cortadas e secas.
feno

É possível aferir que o feno é um elemento essencial para a atividade agricultura e a pecuária, especialmente nos períodos mais frios e chuvosos do ano, em que as condições climáticas impossibilitam o fornecimento de alimentação mais farta para os animais.

As características do processo de produção do feno

O processo de produção de feno recebe o nome de fenação.
A fenação, que é uma das práticas mais antigas da atividade agrícola, exerce até os dias de hoje uma relevante atuação no manejo das pastagens, possibilitando o aproveitamento dos excedentes de forragem que ocorrem durante os períodos de crescimento acelerados de forrageiras. Por isso, é pertinente afirmar que a produção de feno corresponde a uma das opções viáveis para promover a conservação de forragens, com o intuito de sanar as necessidades de alimentação durante os períodos de seca.

Além disso, é válido salientar que, dependendo das condições de clima e de temperatura, a produção de feno pode ser feita de maneira bem rápida, sendo realizada inclusive em um dia.

Quando se trata de pouca quantidade, o feno tem condições de ser produzido de maneira manual. Para cumprir esse fim, são utilizadas ferramentas como a enfardadeira manual, o garfo, o alfanje, entre outros.

A produção de feno passa por quatro complementares:

– Ceifa: Essa fase deve ser efetuada em condições de temperatura e clima favoráveis, mediante um tempo seco, é importante também que ela seja realizada após a secagem do orvalho.

– Viragem: Após o processo de ceifa ser devidamente efetuado, é necessário virar o material mais de uma vez. O objetivo é possibilitar que o sol e o vento atuem sobre ele, deixando o seco e com mais rigidez.

– Enleiramento: Caso o processo de secagem esteja demorado, é possível aglomerar o material, evitando assim que uma eventual chuva posa interromper o processo por completo. O enleiramento é muito importante para a proteção do feno.
Quando o material apresentar cerca de 15% de umidade, que é o chamado “Ponto de Feno”, ele estará apto para o processo de enfardamento.

– Enfardamento: Consiste na etapa final do processo. O enfardamento é realizado após as viragens comprovarem que ele já atingiu a secura adequada.

Materiais utilizados para a fenação

A realização da colheita da forragem por meio de máquinas acopladas com equipamentos condicionadores aptos para a quebra, o esmagamento e também a trituração dos talos e de outras partes mais grossas das plantas possui vários benefícios, já que ela diminui o período de secagem, reduzindo de maneira significativa os riscos de exposição do feno diante do clima chuvoso.

Além disso, ela tem a capacidade de estabelecer a padronização da secagem, minimizando os riscos de exposição do feno ao tempo chuvoso, além de tornar o processo de secagem mais uniforme.

Além das etapas de produção do feno, é importante estar a par também de alguns materiais que são utilizados nessas etapas. São eles:
– Ceifadeira: Consiste em um artefato agrícola que tem por objetivo efetuar o corte do material por meio de lâminas.

– Ancinho: Também é um outro elemento utilizado para o corte.

– Enfardadeira: Material utilizado para efetuar o enfardamento. É possível contar hoje em dia com os mais variados tipos de enfardadeira.

O feno, propriamente dito, não conta com uma grande umidade, por isso, a forragem utilizada para a produção do mesmo deve ser de qualidade comprovada e a secagem deve ser feita perdendo uma quantidade mínima de nutrientes.

A área para a realização do processo de fenação deve ser livre valetas, tocos de árvores, cupins, entre outros empecilhos.

Para assegurar um bom sistema de produção de feno, é pertinente conferir uma adubação de manutenção depois de cada corte; pois isso denota retirar uma satisfatória quantia de nutrientes do solo, especialmente o nitrogênio, o potássio, o cálcio, o magnésio e fósforo.

Os fenos de melhor qualidade são obtidos por capins que contam com mais folhas do que talos. Entre esses capins é possível citar:

– Quicuio
– Pangola
– Jaraguá
– Tiffon

Além disso, é importante destacar que o corte no ponto ideal também favorece para que o feno obtido tenha uma boa qualidade. Quando o feno é submetido a chuva, ele perde bastante dos seus valore nutritivos.

Em situações adequadas, é estimado que 5 kg de feno por dia é a quantidade satisfatória para fornecer uma alimentação saudável a um bovino adulto. Diante disso, um produtor rural que possui condições de fenar todo o material produzido na estação do ano adequada, não apenas assegura a alimentação do seu rebanho, bem como tem condições de comercializar o excesso de feno para outros produtores, desde que ele possua, obviamente, um material nutritivo e com qualidade.