Filo Platelmintos: Características, Classes Tubelária, Trematoda e Schistosoma mansoni


Filo Platelmintos

O filo dos Platelmintos é composto pelos vermes de corpo achatado. Já são reconhecidas mais de 20 mil espécies, algumas parasitas e outras de vida livre. Os mais comuns são encontrados em ambiente aquático e com a superfície levemente translúcida, embora eles ocupem diferentes habitats.

Características gerais

Os platelmintos são dotados de órgãos originados no mesoderma, possuem esqueleto, sistema excretor e reprodutor, por exemplo, além das estruturas sensoriais na cabeça. O sistema digestório é incompleto, pois não possuem ânus, ou seja, a cavidade da boca serve tanto para ingerir os alimentos quanto para excretar o produto da digestão.

Esses vermes não possuem sistema circulatório e a troca de gases que possibilita a sua respiração acontece pela pele. Eles podem sobreviver em ambientes com ou sem oxigênio.

Classes

Esse filo é subdividido em três classes:

* Turbellaria: abrange animais de vida livre e corpo achatado, tendo como principal representante a planária. Essa classe tem reprodução assexuada, algumas planárias, por exemplo, conseguem fixar uma das extremidades do corpo em no substrato, dividindo-se em duas partes e, assim, formando um novo indivíduo.

* Trematoda: é a classe correspondente ao Schistosoma mansoni, o verme causador da esquistossomose. São parasitas e possuem ventosas para se prenderem ao corpo do hospedeiro. No caso do esquistossomo, o hospedeiro intermediário é um caramujo e o ser humano pode adquirir a doença ao ter contato com água contaminada. O verme penetra pele pele, portanto, os primeiros sinais aparecem ali, como vermelhidão e prurido. Se o quadro não for tratado, acomete os órgãos internos, podendo levar à morte. Existem trematódeos hermafroditas e outros com sexos separados.

* Cestoda: também é formada por vermes parasitas com corpo em formado de fita e ventosas na cabeça. A tênia é o principal representante dessa classe e ela parasita o intestino de animais vertebrados, sendo popularmente conhecida como “solitária”. As tênias não possuem sistema digestivo, por isso, precisam absorver os nutrientes já digeridos do seu hospedeiro.