Glicídios: A composição química da célula, a água e os sais minerais


Os componentes químicos são semelhantes em todos os seres vivos, podendo ser divididos em dois grandes grupos: substâncias inorgânicas (água e sais minerais) e substâncias orgânicas (carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos).

No passado, os químicos definiram como substâncias orgânicas como sendo aquelas que só poderiam ser fabricadas e encontradas no interior dos seres vivos, enquanto as substâncias inorgânicas seriam encontradas também, fora dos seres vivos. No ano de 1928, Woler conseguiu sintetizar, pela primeira vez, uma molécula orgânica em laboratório, a ureia, que é um componente da urina, a partir de um composto inorgânico, o cianeto de amônio. Tal efeito acabou esses conceitos inadequados para os tempos atuais e sendo assim, modernamente, consideramos substâncias orgânicas como sendo aquelas cuja estrutura molecular está fundamentada em uma cadeia de carbonos.

Glicídios

A água por exemplo, é considerado o componente mais abundante das células, sendo sua molécula formada por dois átomos de hidrogênio ligados a um átomo de oxigênio (H20). Suas propriedades permitem que ela tenha diversas funções nos seres vivos.

Ela age como solvente de diversas substâncias químicas, possibilitando assim a distribuição e o transporte no interior das células e também fora delas, além de facilitar o intercâmbio entre os meios intra e extracelular. A água facilita a ocorrência de reações químicas, atua como reagente em diversas reações químicas, principalmente em reações de síntese por desidratação e reações de quebra de hidrólise. Ela também ajuda a manter a temperatura corporal, em nível compatível com a vida, ou seja, participa da regulação térmica dos seres vivos. Além disso, ela atua como lubrificante, diminuindo o atrito entre os tecidos e os órgãos.

A quantidade de água também varia de acordo com a idade, decrescendo à medida que ela avança, por exemplo: um feto humano com 3 meses tem 94% de água e quando nasce tem aproximadamente 69%.

Espécies diferentes podem apresentar diferentes porcentagens do seu peso em água, por exemplo: o homem 63%, fungos 83%, águas-vivas 98% e sementes de 10 a 20%. De qualquer modo, a quantidade de água não pode varia muito. No homem, por exemplo, a perda de 10% do total de água, em 24 horas, leva à morte.

Os sais minerais podem ser encontrados nos seres vivos de duas maneiras diferentes. No caso dos sais minerais insolúveis, eles se encontram na forma molecular e imobilizados, fazendo parte de estruturas esqueléticas, como os fosfatos de cálcio, que fazem parte dos ossos dos vertebrados, conferindo-lhes dureza e também resistência, carbonatos de cálcio nos corais de recife e sais de silício em certas algas.

Já os sais minerais solúveis, encontram-se na forma iônica, e dissolvidos em água, sendo considerados importantes em diversos fenômenos e reações químicas.

Carboidratos – os glicídios

Os carboidratos são moléculas orgânicas formadas por átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio. Também são conhecidos como glicídios, glucídios, açúcares, sacarídeos ou hidratos de carbono. Podem ser divididos em três grandes grupos: monossacarídeos, dissacarídeos ou polissacarídeos.

Os monossacarídeos são carboidratos mais simples e podem ser representados pela fórmula geral CN(H2O)N, sendo que o valor de n pode variar de 3 até 7. Os monossacarídeos são classificados de acordo com o número de átomos de carbono.

Os monossacarídeos mais importantes são as pentoses e hexoses. O grupo da pentose é subdividido em dois outros grupos: ribose (constituinte obrigatório da molécula de RNA) e desoxirribose (constituinte obrigatório da molécula de DNA). O grupo da hexose também é subdivido, em três outros: glicose (fabricada através da fotossíntese pelos vegetais, sendo a principal fonte de energia para o trabalho celular), frutose (mesma função da glicose, ou seja, fornecer energia para o trabalho celular) e galactose (também fornece energia para o trabalho celular).

Já os dissacarídeos são moléculas formadas pela ligação entre dois monossacarídeos. Esta ligação do tipo síntese por desidratação, ou seja, os dois monossacarídeos se unem, liberando uma molécula de água.

Este grupo é subdividido em outros três grupos: a sacarose, a lactose e a maltose. A sacarose (glicose + frutose) é encontrada nos vegetais, tendo função energética. A lactose (glicose + galactose) é encontrada no leite e também tem função energética. Já a maltose (glicose + glicose) é produzida a partir da digestão do amido, tendo função energética.

Os polissacarídeos são macromoléculas, formadas por centenas ou ainda milhares de monossacarídeos, que se encontram ligados entre si, através da síntese por desidratação. Este grupo é subdividido em 4 outros grupos: amido, glicogênio, celulose e quitina. Todas elas são constituídas por diversas moléculas de glicose.

O amido é encontrado nos vegetais, sendo utilizado como uma espécie de reserva energética. O glicogênio é encontrado nos animais, utilizado também como reserva energética. Já a celulose, tem função estrutural, fazendo parte da parede celular das células vegetais. A quitina, tem função estrutural, fazendo parte do exoesqueleto dos artrópodes.