Necrose Aguda de Retina


A Necrose Aguda de Retina foi originalmente descrita em território japonês na década de 70, quando recebeu o nome de “Uveíte Kirisawa”. Em outras palavras, nada mais é do que uma vasculite oclusiva que ataca algumas das artérias coroidianas e também retinianas, fazendo com que seja desenvolvida uma retinite necrosante.

necrose-aguda-de-retina

Esta doença pode acometer a ambos os sexos e atinge também a pessoas das mais variadas idades. Também vale ressaltar que essa patologia é mais facilmente encontrada em indivíduos imunocompetentes tais como os portadores do vírus HIV que são imunossuprimidos.

O aparecimento deste tipo de necrose pode tanto atingir a retina como um todo quanto a um ou mais quadrantes. A evolução da doença, ou seja, quanto mais o tratamento demorar para ter início, pode fazer com que a necrose se estenda a outras regiões periféricas também.

Outro ponto importante é que com o avanço da patologia pode haver o deslocamento parcial ou completo da retina, uma das principais causas da acuidade visual em baixa.

E atenção: algumas das inflamações podem vir a desaparecer após algumas semanas, em no máximo de 12, mesmo sem que seja dado início ao tratamento. Nestes casos, vale destacar que é notoriamente importante se ater a outros sintomas a fim de cuidar da raiz do problema, visto que a demora pode prejudicar todo o processo de melhoria real.

Principais sintomas da Necrose Aguda de Retina

Veja a seguir alguns dos principais sintomas e alertas que podem indicar o início da Necrose Aguda de Retina. Lembre-se sempre que quanto antes o diagnóstico for feito, mas rápido será também o trabalho de reabilitação do paciente; por isso, todo cuidado e atenção é pouco. Veja:

• Aparecimento de episclerite, que é uma inflamação do tecido subconjuntival, ou ainda de esclerite, que também é uma inflamação bastante prejudicial à saúde visual com potencial risco de causar a cegueira nos pacientes que a apresentam.
• Envolvimento dado como certo da artéria vascular oclusiva, que também configura outras doenças;
• Parcial ou completo comprometimento do nervo óptico sendo este um sintoma que não precisa estar presente no momento da procura profissional;
• Possível avanço de modo circunferencial da Necrose Aguda de Retina;
Progressão acelerada das manchas e focos quando o tratamento não é iniciado prontamente;
• Rápida inflamação na câmara anterior; e
• Surgimento de um ou mais focos na retina de possíveis necroses, ou seja, morte de células ou de tecidos dentro da membrana da face interna dos olhos e em que é possível verificar arestas periféricas na mesma região.

Além de todos esses sintomas elencados, o diagnóstico preventivo da Necrose Aguda de Retina pode incluir outros traços tais como os citados logo a seguir:

• Endoftalmite: Geralmente vinda de origem infecciosa, é uma inflamação que atinge ao globo ocular e que tem potencial risco;
Linfoma intra-ocular: Associado frequentemente a linfomas proeminentes do cérebro, é o chamado câncer de olho;
• Retinite por citomegalovírus: Inflamação grave que atinge principalmente a pessoas com baixa imunidade tais como os portadores do vírus HIV/AIDS;
• Sarcoidose: Proveniente de uma lesão bastante específica conhecida como granuloma tuberculoide sendo que este pode ser encontrado em inúmeros tecidos e órgãos;
• Sífilis: Doença infecciosa que é principalmente transferida a partir do contato sexual desprotegido. As características marcantes desta doença são as mucosas e as lesões da pele;
• Síndrome de Behçet: Vasculite sistêmica que não é contagiosa e que é reconhecida graças às úlceras e inflamações dos vasos sanguíneos;
• Toxoplasmose: Tendo como principal forma de infecção o contato desprotegido com animais infectados, é uma doença congênita cuja causa é um protista; e
• Uveíte intermediária: Potencial inflamação da úvea, o conjunto da íris que abrange ainda aos processos ciliares e toda a membrana coroide.

Qualquer que seja o sintoma, e por menor que ele seja, é de vital importância consultar um profissional médico a fim de obter uma avaliação específica e detalhada do problema. Jamais menospreze tais sinais e preze pela sua saúde. Procure rapidamente um tratamento para não vir a somar novos problemas e novas inflamações que coloquem em risco toda a sua retina e visão. Mantenha-se de olhos abertos!

Tratamento da Necrose Aguda de Retina

Evidentemente, é importante, aliás, imprescindível, consultar um profissional especialista neste tipo de doença para dar início ao tratamento da Necrose Aguda de Retina. Ainda assim, aqui destaca-se parcialmente o que comporta neste processo, sendo vedada a única e exclusiva continuidade com base única neste conteúdo.

O tratamento da Necrose Aguda de Retina, no geral, utiliza-se de antivirais tais como famciclovir, aciclovir e valaciclovir. Entretanto, pode ainda ser usado neste tratamento outros medicamentos como corticosteroides além do tratamento propriamente cirúrgico.

O uso dos remédios costuma ser de 10 a 14 dias em um primeiro momento, através de via endovenosa, e em doses mais altas e concentradas, e posteriormente é dada a continuidade com administração oral de no mínimo 3 meses consecutivos.