O que são e Como Descobrir Genótipos


Quando estudamos biologia, muita gente espera ansiosa pela área de genética. É por ela que descobrimos genótipo, fenótipos e cruzamentos que antes nunca imaginamos ser possível, além de descobrir os genes e suas características.

No entanto, assim como a biologia, a área de genética e bem ampla e abrangente e, por isso, é comum que durante o colégio nós estudemos apenas uma parte dessa área e muitas dúvidas acabam acontecendo, como, por exemplo, como descobrir genótipos?

Mas, afinal, o que é genótipo?

Antes de respondermos a pergunta feita anteriormente, é preciso entender o que é um genótipo para depois podermos saber como é feito o cálculo para descobri-lo. O genótipo nada mais é do que o conjunto de genes de qualquer ser vivo. Esses genes são segmentos de nosso DNA que são formados por bases nitrogenadas e proteínas.

Como Descobrir Genótipos

Essas bases formam os conhecidos aminoácidos, que acabam por codificar a produção de todas as proteínas, que por sua vez comandam as atividades de todos os genes que são os responsáveis pelas características de todos os seres, e nos humanos caracterizam a cor dos olhos, do cabelo, da pele, a forma do corpo, o funcionamento dos órgãos, entre outros.

Quando começamos a falar de genótipo, é como se falássemos do código de barras de cada ser humano, ou todas as suas constituições genéticas que nós herdamos de nossos pais, seja em maior ou menor quantidade. Eles são representados por letras maiúsculas e minúsculas, sendo as maiúsculas de característica dominante e para as minúsculas para os recessivos.

Nossos genes estão sempre em duplas e nas células não somáticas que são provenientes uma da mãe e outra do pai, ou seja, por isso são células somáticas, não sexuais. E são elas que farão com que possamos descobrir os genótipos.

Como descobrir genótipos

Para descobrir genótipos é preciso que nós possamos observar os pais do indivíduo assim como seus filhos e também o seu fenótipo, podendo ser até mesmo organizados por uma sequência de genoma.

Nos seres humanos, a determinação de todos os padrões possíveis de herança vai depender de um levantamento genético de nossos familiares e observando em quais indivíduos as características estudadas aparecem. Assim, conseguiremos saber quais são as características genéticas e quais não são. Para isso, é necessária a construção de um heredograma, que nada mais e do que a representação por meio de símbolos das relações de parentesco e também dos indivíduos de cada família.

Normalmente usamos o símbolo do quadrado para representar os indivíduos do sexo masculino e uma bola para representar os do sexo feminino. Se esses indivíduos são casados, os representamos por meio de uma reta que liga os dois símbolos. Se possuem filhos essa reta será ramificada nos símbolos que representem seus filhos. Agora, se houve um casamento consanguíneo, a reta do casamento é duplicada. E assim por diante, inclusive para divórcios e filhos gêmeos monozigóticos ou dizigóticos.

Quando fazemos isso, estamos normalmente buscando uma pergunta para descobrir genótipos, se o gene ao qual o caráter é condicionado é dominante ou recessivo.

Por exemplo: vamos supor que uma pessoa nasça albina e nenhum de seus pais é albino. Com isso, nós podemos descobrir duas coisas: a primeira é que o albinismo é uma característica recessiva, ou seja, pode ser representada pelo aa, já se seus pais não possuem albinismo e um filho deles possui, eles são heterozigotos, ou seja, Aa. Com isso, na hora de fazer o cruzamento, teremos 25% de chances de um filho nascer homozigoto dominante, ou seja, sem albinismo AA, 50% poderão ser heterozigotos, sem albinismo, assim como os pais, ou seja, Aa, e os outros 25% poderão ser homozigotos recessivos, ou seja, aa.

Esses cruzamentos podem ser feitos com diversos genótipos, como, por exemplo, a cor dos olhos e explica porque pais de olhos escuros podem ter filhos de olhos claros. Isso também acontece com a cor da pele, dos cabelos, o tamanho, entre outros. Em alguns casos, é mais fácil descobrir o genótipo, em outros mais complicados.

Para que esses cruzamentos sejam possíveis e se possa descobrir genótipos, é preciso então que você conheça sua árvore genealógica e assim consiga fazer todos os cruzamentos possíveis.

O mais comum na hora de descobrir genótipos é aprendido com o tipo sanguíneo. Por exemplo: vamos supor que uma mulher do Tipo A, se case com um homem do tipo B, e eles têm três filhos. Dois deles possuem o tipo A, um o tipo AB e o quarto o tipo O. Com isso, conseguimos concluir duas coisas: para que os pais tenham filhos desses três grupos sanguíneos, é porque eles são heterozigotos Ao e Bo, e que o tipo O é um tipo recessivo, ou seja, não dominante. Com isso, ele tem filhos Ao, que são do tipo A, filhos do AB que são do tipo AB e filhos oo que são do tipo O.