Peptídeos: Classificação e Nomenclatura


Os peptídeos são compostos formados pela junção de dois, ou mais, aminoácidos através de ligações peptídicas, são considerados polímeros de aminoácidos. Seu tamanho varia desde moléculas com dois ou três aminoácidos até macromoléculas de aminoácidos.

A ligação peptídica responsável pela união desses compostos acontece da seguinte forma: Por meio de uma ligação peptídica dois aminoácidos se ligam covalentemente, disso resulta um dipeptídeo, o processo não passa de uma reação de condensação onde se remove da célula um grupo de hidroxila – OH – e uma molécula de Hidrogênio – H – que ao se unir forma uma molécula de água.

Peptídeos

Mas, o que são aminoácidos?

São moléculas compostas por um grupo carboxila e outro amina que se ligam a um átomo de carbono, a esse mesmo carbono liga-se ainda um átomo de hidrogênio e mais um radical que vai variar de acordo com o aminoácido, geralmente chamado de grupo R.

Os aminoácidos são fundamentais na produção de cerca de 50 mil proteínas e outras 15 mil enzimas, incluindo as digestivas que devem estar em pleno funcionamento para que o ser humano possa aproveitar da melhor maneira a alimentação e também a suplementação.

Estas moléculas podem ser divididas em essenciais (aqueles que o organismo não é capaz de sintetizar) e naturais (aqueles produzidos por meio do metabolismo do próprio organismo).

Algumas espécies, como por exemplo, as bactérias produzem todos os aminoácidos dos quais necessitam, já os humanos só produzem 12 dos 20 aminoácidos dos quais precisam, os oito restantes devem vir de alimentos ingeridos a partir de uma dieta balanceada.

Nomenclatura

Quando três aminoácidos se ligam por meio de duas ligações peptídicas tem origem um tripeptídeo, se forem quatro quadripeptídeo, e assim sucessivamente.

Se uma molécula for formada por poucos aminoácidos ela vai ser chamada de oligopeptídio, mas ao contrário, se forem muitos aminoácidos ela passa a se chamar polipeptídeo. Fica assim definido:

Dois aminoácidos = Dipeptídeo;

Três a cinquenta aminoácidos = Oligopeptídeo;

Cinquenta e um ou mais aminoácidos = Poliptídeo;

Ao perder um átomo de hidrogênio (H) ou uma Hidroxila (OH) cada unidade de aminoácido passa a se chamar resíduo, por isso definido em grupo denominado R.

Já quando vamos nomear um peptídeo pequeno segue-se a sequência dos aminoácidos que o constituem, inicia-se pelo resíduo aminoterminal – localizado na ponta esquerda – e finalizamos no resíduo carboxilaterminal ou N-terminal – grupo carboxila livre.

Classificação a partir da estrutura

Chama-se estrutura primária uma cadeia linear com ligações peptídicas, já a secundária é onde existem ligações por pontes de hidrogênio que permitem que a proteína tenha uma estrutura a – hélice – cadeia polipeptídica que se enrola sobre si mesma – ou uma estrutura ß – pregueada – com duas cadeias polipeptídicas.

Também temos a estrutura terciária que é resultante das estruturas secundárias, onde há ligações dissulfito ou dissulfureto – dois átomos de enxofre. Por fim há a estrutura quaternária formada por interações químicas existentes entre unidades terciárias.

Importância para o organismo

Assim como diversas outras substâncias presentes no corpo humano os peptídeos também tem seu papel. Estes compostos formam proteínas de grande importância biológica.

Muitos funcionam como neurotransmissores, outros como hormônios, até mesmo antibióticos e analgésicos. Devido a essa gama de importantes funções, cada vez mais esses compostos vem sendo estudados e sintetizados por grandes estudiosos em laboratórios.

São três as técnicas utilizadas para sintetizar os peptídeos em laboratórios, sendo elas: Síntese bicatalisada, síntese com DNA recombinante e síntese química de peptídeos. Os chamados peptídeos sintéticos após serem fabricados acabam sendo levados a um rigoroso controle de qualidade, posteriormente purificados e então (re) analisados, só assim esta substância poderá ser utilizada de maneira segura.

Uma sequência de aminoácidos ligados através de ligações peptídicas compõe proteínas e existem inúmeras combinações entre aminoácidos que vão formar uma infinidade de proteínas, o que resulta em uma gama dessas substâncias no organismo humano.

É bom lembrar: proteínas têm um grande papel para todos os seres vivos, afinal elas são parte de quase todos os processos biológicos, além disso, assumem diversas configurações moleculares, por isso participam ativamente em processos junto a células a aos tecidos.

Entre suas funções destacam-se as estruturais, enzimáticas (afinal a grande maioria das enzimas são proteínas), reserva energética, transporte, proteção (na forma de anticorpos), integração do sistema endócrino e, por fim, função informativa.

Os peptídeos são compostos importantes ao organismo de diversos seres vivos, afinal, são responsáveis por compor diversas proteínas que tem como função melhorar diversos processos biológicos.

Como já mencionado os seres humanos não tem capacidade de produzir todos os aminoácidos de que necessitam, por isso, precisam da ajuda de outras substâncias. Uma ótima maneira de manter o nível desses compostos e substâncias em dia é levar uma vida mais saudável sempre acompanhado de uma alimentação balanceada.

Com isso em dia é possível levar uma vida melhor, sem falhas ou deficiências em muitas funções de nosso organismo.