Resumo Botânica


A área de botânica estuda o Reino Plantae, incluindo todos os vegetais. Eles são autotróficos, eucariontes e multicelulares, ou seja, produzem o próprio alimento e tem células de núcleo delimitado pela carioteca. Além disso, possuem mais de uma célula. A variedade desse reino é bem ampla, existem espécies simples, sem folhas, raízes e caule, enquanto outras têm frutos carnosos e flores.

Resumo Botânica

Para facilitar o estudo foram criadas quatro classificações de grupos principais a partir da presença ou não de sementes, flores, vasos condutores e frutos:

  • Briófitas;
  • Pteridófitas;
  • Gimnospermas;
  • Angiospermas.

Em breve detalharemos mais sobre cada classificação

Histórico

Portanto a botânica estuda a fisiologia, ecologia, evolução, morfologia, anatomia, doenças, distribuição e outros aspectos das plantas. O reconhecimento da área de estudo ocorreu em 1979 assim como os cursos de Biologia. Mas a história da botânica começa muito antes: conta-se que em 370 antes de Cristo, um filósofo chamado Teofrastus, discípulo de Aristóteles, classificou as plantas a partir da presença e ausência de flores.

No século 16 o alemão Otto Brunfels publicou a obra chamada Herbarium com informações sobre espécies de plantas. Já no século 19 o botânico sueco chamado Lineu iniciou a nomenclatura a partir de dois nomes para facilitar a classificação. Baseou-se no número de estames da flor e na posição.

Tempos depois foi a vez de Eicher que iniciou a subdivisão do Reino Plantae em fanerógamas e criptógamas, ou seja, sem e com flores. Propôs, ainda, os nomes talófitas e cormófitas, relacionando a ter ou não caule, folhas e raiz.

No Brasil os estudos começaram a se efetivar com a corte portuguesa, com a criação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 1808. Com os avanços nas pesquisas em biologia molecular novas classificações surgiram.

Classificação

  • Briófitas: são as mais simples, normalmente pequenas, sem caule, avasculares, sem raízes ou folhas. Habitam locais úmidos e precisam de água para que ocorra a reprodução. Os musgos e as hepáticas são as principais plantas briófitas.
  • Pteridófitas: são plantas que possuem vasos condutores de seiva, como as raízes, caules e folhas. Elas, assim como as briófitas, também dependem muito de água para conseguir se reproduzir. As avencas e as samambaias são as principais pteridófitas.
  • Gimnospermas: são mais complexas e possuem sementes. As sementes protegem o embrião bem como fornecimento de alimento. As sementes nas gimnospermas são nuas, portanto sem fruto em volta. Pinheiros e araucárias são as principais.
  • Angiospermas: estes exemplares contêm flores e frutos que atraem polinizadores e dispersores. É o caso dos coqueiros e cactos.

Glossário da Botânica

Conheça alguns conceitos fundamentais da área da botânica:

  • Androceu: estames da flor
  • Antera: área do ápice do filete onde ficam os grãos de pólen.
  • Cálice: sépalas da flor;
  • Carpelo: área de formação do gineceu em que ficam os óvulos;
  • Caule: eixo da planta que possui gemas e folhas;
  • Endosperma: tecido nutritivo da semente;
  • Esporófitos: área de produção dos esporos;
  • Estima: área do carpelo em que ficam os grão de pólen;
  • Estômato: estrutura onde ocorrem trocas gasosas, feitas de células-guarda;
  • Gametângio: estrutura de produção de gametas;
  • Gineceu: carpelos da flor;
  • Oosfera: gameta feminino.

Uso das plantas

Diversas plantas são usadas para fins medicinais. Um exemplo é a aspirina que no início era retirada da casca de salgueiros. Além disso, café, tabaco, chá e chocolate se originam de plantas bem como bebidas alcoólicas por meio da fermentação como é o caso das uvas e do lúpulo.

Algodão, madeira, linho, óleos vegetais, papel, borracha, cordas também são itens muito usados fornecidos a partir das plantas. Biocombustíveis são feitos a partir da cana-de-açúcar como alternativa aos combustíveis fósseis. Por isso destaca-se a importância da preservação vegetal, afinal é matéria-prima para inúmeros processos.

Profissão e botânico

Diversas universidades fora do país têm cursos específicos para área de botânica, mas esta declinou nos últimos tempos e os estudantes visam mais ciências ambientais e naturais. Por outro lado a área de biologia possui matérias para estudo da botânica que pode ser mais especializado em pós-graduação.

Os botânicos, portanto, estudam diversas áreas do vegetal, desde processos fisiológicos, fotossíntese, história evolutiva, nível molecular, relação com os ambientes e fauna. Alguns se voltam mais para aplicação agrícola como alimentos, combustíveis e fibras. Outros visam à área de respostas para estresse como medicamentos, evitar pragas e doenças.

Outra atuação é em melhoramento de plantas para torná-las mais resistentes. Há também quem estude a melhoria do rendimento, resistência (às doenças e seca), além do valor nutricional das plantas.

Trabalham-se normalmente em centros de pesquisas, laboratórios de engenharia genética, empresas de biotecnologia e farmacêuticas. Outros em jardins botânicos, museus e parques.

Trata-se uma ciência muito ampla e com inúmeras possibilidades de estudo e aplicação. De qualquer forma, os botânicos são fundamentais para manutenção da flora, sua preservação bem como suas pesquisas para prever possíveis problemas e tentar saná-los desde já.