Resumo do Evolucionismo


Desenvolvida através de anos de pesquisa e observação das espécies por Charles Darwin, a teoria da evolução, ou evolucionismo, foi uma importante etapa para a ciência mundial.

O Evolucionismo surgiu por volta de 1850, e tem como base a ideia de que as características das espécies passam por seleção ao longo das gerações. Essas características não são escolhidas por acaso, mas sim por conseguirem sobreviver ao meio.

Podemos dizer que em resumo do evolucionismo a teoria foi criada e desenvolvida por diversos cientistas, entre eles destacam-se o naturalista Charles Darwin. Inglês, nascido em 1809 publicou juntamente com Alfred Wallace uma série de estudos sobre os mecanismos de evolução das espécies em 1859, a obra A Origem das Espécies. A obra marcou época por apresentar um diferente ponto de vista, onde os principais tópicos das ideias de Darwin eram os seguintes:

Evolucionismo

– Em todas as suas características seres da mesma espécie podem apresentar variações, logo conclui que não são idênticos entre si.

– Organismo possuem uma enorme capacidade de reprodução, porém isso não significa que todos os descendentes chegarão à idade adulta

– A quantidade de seres de uma espécie é relativamente constate ao longo das gerações

– Com isso, existe uma grande luta pela vida entre estes seres, porque apesar de nascerem muitos, um número limitado consegue chegar a maturidade o que mantém constate o número de indivíduos.

– Organismos com variações favoráveis ao meio conseguem sobreviver mais do que organismos com variações menos favoráveis

– Por suas variações favoráveis estes seres tem mais chances de garantir descendência. Como as características são transmitidas de pais para filhos, os descendentes também ganham essas variações

– Podendo se concluir que ao longo das gerações a influência da seleção natural sobre os seres é o que mantém ou melhora o grau de adaptação ao ambiente.

Charles Darwin chegou a essas conclusões após uma pesquisa feita em várias partes do mundo em uma viagem de circum-navegação entre os anos 1831 e 1836. Foi nesta viagem que o cientista pode notar que diversas espécies parentes tinham diferentes características dependendo de sua localidade.

Ele ainda pode perceber que entre seres extintos e seres presentes da mesma espécie que vivem no mesmo ambiente há características comuns. Essas observações o levaram a afirmar que havia um caráter mutável entre as espécies e não imutável como era se pensado antes. Chegando à conclusão de que as espécies não se mantinham da mesma forma ao longo do tempo, elas “evoluíam”.

Mas é preciso salientar que para ele, o significado de evoluir não é necessariamente se tornar algo melhor. Evoluir, em resumo do evolucionismo, é mudar biologicamente com o intuito de se adaptar ao meio em que se vive. Esse processo Darwin, deu o nome de Seleção Natural.

O conceito de Seleção Natural, em resumo do evolucionismo, proposto por Charles Darwin, parte do primórdio da adequação de um aspecto atraente ao ambiente. O fato deste aspecto se conservar o torna favorável conforme ele é transmitido para as gerações futuras.

Enquanto esse aspecto ou característica favorável se estabelece na população como uma característica padrão, sendo transmitida para várias gerações, os aspectos que não são favoráveis a esse organismo, se tornam cada vez menos frequentes, até não se perpetuarem reprodutivamente.

Agindo diretamente no conjunto de características particulares, a Seleção Natural, dá mais importância aos meios favoráveis, o que acaba por provocar adaptação do mesmo. Sendo possível a sobrevivência do organismo portador destas características, pois, essas variações são bem sucedidas. O organismo se torna mais preparado reprodutivamente, com condições para provocar o nascimento de uma nova espécie.

No meio científico, a teoria da evolução, acabou causando uma grande polêmica. Apesar de existir antigos indícios de cientistas que já acreditavam que todas as mudanças no mundo orgânico e inorgânico eram por causa de uma lei. Contrariando a ideia de que essas mudanças ocorriam por intervenção geradas por algum milagre, como escreveu o naturalista Jean-Baptiste de Lamarck.

Outra crença bem definida na época era que as características das espécies eram imutáveis, ou seja, desde sua origem eram as mesma. Não existindo o ideal de mudança sem uma intervenção divina apontada por Darwin.

Essas percepções eram bastantes influenciadas pela religião cristã, onde todos os seres vivos desde o início do mundo foram criados por Deus. Até mesmo Charles Darwin, teve dúvidas sobre suas convicções religiosas após os resultados de seus estudos, o que o fez atrasar a apresentação de sua teoria por 20 anos.

Outra polêmica que rodeia a teoria é relacionada aos seres humanos. Em resumo do evolucionismo, existe a indicação de que os humanos têm um ancestral comum com algumas espécies de macacos, como o chimpanzé, por exemplo. Alguns recentes estudos de decodificação genética mostram a semelhança de 98% em genes de humanos e chimpanzé. Entretanto é importante destacar que isso não significa que o homem vem do macaco, mas que tem ancestrais em comum.