Resumo Sistema Respiratório


Para conseguir a energia necessária às suas atividades, as células que fazem parte da composição do corpo do animal, necessitam realizar a respiração, ou seja, quebrar a molécula de glicose, e assim liberar a energia nela contida. E esse processo, depende de um organoide celular específico, denominado mitocôndria e pode ser representado pela equação a baixo:

C6H1206 + 6O2 ————————-> 6CO2 + 6H2O

O oxigênio, participa como reagente e o gás carbônico é um produto dessa reação. Isso significa que um animal consome O2 e libera CO2 e para tanto, realiza trocas com o meio ambiente, ou seja, absorve O2 e libera CO2.

Sistema Respiratório

A troca de gases ocorre por difusão, através de uma superfície que permite o contato entre o animal e o ambiente. Para que isso ocorra, essa superfície de contato deve ser fina, úmida e permeável aos gases da respiração. Os diversos tipos de trocas gasosas, na verdade, diferem apenas em relação ao local onde se encontra a superfície de contato, já que o processo é sempre o mesmo, ou seja, a difusão. Tipos de trocas gasosas:

Cutânea: neste caso, o animal não apresenta um sistema respiratório, portanto, as trocas gasosas vão ocorrer através da pele, em toda a superfície do corpo. A parte destes animais deve ser fina e permeável e o ambiente, obrigatoriamente úmido, para que a difusão de gases seja permitida. Neste tipo de troca gasosa, pode ocorrer ou não a participação do sistema circulatório no transporte de gases.

Branquial: brânquias são prolongamentos da superfície corporal, que entram em contato direto com a água, possibilitando a ocorrência da difusão de gases. As brânquias apresentam maior ou menor complexidade dependendo do grupo animal. Nas trocas gasosas branquiais, ocorre sempre a participação do sistema circulatório no transporte de gases.

Traqueal: traqueias são tubos extremamente finos e ramificados, que conduzem o ar do exterior para os tecidos, onde se ramificam em tubos ainda menores, denominados traquéolas ou traqueídes, que permitem trocas gasosas diretas entre as células e o ar. As traqueias se comunicam com o exterior através de aberturas denominadas espiráculos. Este tipo de troca gasosa não depende do sistema circulatório para o transporte de gases.

Pulmonar: pulmões são bolsas ou sacos, que estão localizados dentro do corpo, próprias de animais terrestres. Os pulmões enchem-se de ar, permitindo que ocorra a troca de gases entre o ar que chega e o sangue que circula em suas superfícies.

O sistema de respiração dos humanos apresenta em sua composição dois pulmões e ainda um tubo que se divide em diversas partes: bronquíolos, fossas nasais, traqueia, faringe, brônquios e laringe.

As fossas nasais são duas cavidades, que ligam o meio exterior à faringe. São separadas por uma parede denominada septo nasal. O tecido epitelial que reveste as fossas nasais é composto de células excretoras e de pelos, que são responsáveis pela produção de um muco aderente. Pêlos e muco, juntos, retêm partículas estranhas, dificultando o seu acesso às vias respiratórias. O epitélio nasal contém também células sensoriais, responsáveis pelo sentido do olfato (sentido que permite a percepção de diferentes odores).

A faringe é um tubo que serve tanto ao tubo de respiração quanto aso sistema de digestão. O alimento, proveniente da boca passa primeiramente pela faringe e depois vai para o esôfago. O ar que chega das fossas nasais passa pela faringe e segue diretamente até a laringe.

A glote, que é a região localizada entre a laringe e a faringe e a laringe, é uma espécie de lâmina cartilaginosa e atua como uma válvula, permitindo a passagem de ar para a laringe e, no momento da deglutição, obstruindo-a, orientando o bolo alimentar para o esôfago.

A laringe e um tubo constituído de cartilagem e de tecido muscular. Nela está localizada as cordas vocais, e que a torna um órgão de fonação.
A traqueia é um tubo formado por cerca de 16 a 20 anéis de cartilagem que estão ligados entre si. Tem de 12 a 15 cm de comprimento e 1,5 cm de diâmetro. No final, a faringe acaba originando os brônquios.

Os brônquios são dois tubos pequenos ligam a traqueia aos pulmões.

O ser humano apresenta ainda dois pulmões, um do lado direito e outro do lado esquerdo, localizados na cavidade torácica. São órgãos móveis, esponjosos e que podem se expandir-se e ainda são capazes de voltar ao tamanho normal. Estão divididos em lobos, três no direito e dois no esquerdo.
No homem, assim como nos demais mamíferos, o movimento respiratório e por consequência, a ventilação pulmonar, depende da ação dos músculos intercostais e do diafragma:

Inspiração: é quando o ar entra nos pulmões, graças aos músculos intercostais e através da contração do diafragma. O diafragma abaixa e as costelas se elevam, aumentando o volume e diminuindo a pressão interna da caixa torácica, forçando dessa maneira que o ar entre nos pulmões.

Expiração: é o processo quando o ar deixa os pulmões, que é possível graças ao relaxamento do diafragma e dos músculos intercostais. O diafragma eleva-se, diminuindo o volume e aumentando a pressão interna da caixa torácica, o que força o ar a sair dos pulmões.