Resumo sobre o transtorno Afasia


A afasia é um transtorno que corresponde a uma disfunção de linguagem e também de compreensão, fazendo, de uma forma geral, que os pacientes acometidos por esse problema apresentem dificuldades em nomear tanto objetos quanto pessoas, bem como denotam dificuldades para falar, ler e também escrever.

Resumo sobre o transtorno Afasia

Além disso, por afetar a linguagem e a comunicação, a afasia é um transtorno que pode ser analisado tanto pelo campo da medicina quanto pela área da linguística. As causas desse transtorno geralmente podem ser:

– Lesão no corpo caloso: O corpo caloso está localizado no cérebro dos animais mamíferos. Tal estrutura pode ser encontrada na fissura longitudinal, unindo os dois hemisférios cerebrais, o esquerdo e o direito. A função dessa estrutura é possibilitar que informações sejam transmitidas de um hemisfério para o outro de forma harmônica. Além da afasia, uma legião no corpo caloso tem a capacidade de acarretar a disfasia e a dislalia.

– Doenças infecciosas: Tais doenças, como, por exemplo, a meningite tem a capacidade de acarretar o aparecimento da afasia. A meningite é uma doença que corresponde a uma inflamação meninges, que são as membranas que envolvem a medula espinhal e o encéfalo. Essa infecção pode ser ocasionada por vírus, bactérias e, em casos raros, pelo consumo de determinadas drogas.

– Epilepsia: Corresponde a transtornos neurológicos caracterizados por ataques de longa ou curta duração que podem ser até mesmo imperceptíveis. Esses ataques correspondem a agitação constante e desordenada.

– Traumatismos cranioencefálicos: Ocorre quando um agente externo provoca um ferimento no cérebro.

– AVC: Sigla para o Acidente Vascular Cerebral, é caracterizado pela súbita perda de função cerebral. Tal perda é ocasionada devido a um rompimento (que corresponde a uma hemorragia) ou a uma isquemia (que corresponde a um entupimento) dos vasos sanguíneos localizados no cérebro.

– Tumores cerebrais: O tumor é um tecido que surge devido ao crescimento fora do normal de células. Caso esse transtorno ocorra no cérebro, pode ser um dos agentes da afasia.

A classificação dos tipos de afasia

De acordo com as conceituações da neuropsicologia, é possível classificar a afasia em alguns tipos distintos. São eles:

– A Afasia de Wernicke: Também conhecida como Afasia Sensorial e Receptiva, esse tipo é caracterizado pelo paciente ainda manter uma fala com fluência, porém fazendo pouco ou até mesmo nenhum sentido para a pessoa que está a ouvir. Embora o indivíduo falante acredite que está a falar de maneira correta e concisa.

Não raras vezes, os pacientes que são acometidos pela Afasia de Werneck contam com capacidade para formular palavras de maneira correta, no entanto, são proferidas em frases de pouco sentido lógico.

– A Afasia de Broca: Esse transtorno foi descoberto no ano de 1861 pelo antropólogo e médico francês Paul Broca. A principal característica desse tipo de afasia é o fato de que o paciente apresenta um discurso hesitante, demonstrando uma forte capacidade de repetir determinadas frases ou palavras, com formulação de sentido confuso. De uma forma geral, tais pacientes se expressam por meio de frases com poucas palavras.
Os pacientes que são acometidos pela Afasia de Broca possuem capacidade de ler, no entanto apresentam certa dificuldade para a escrita.

– A Afasia Anômica: É marcada pela dificuldade que os seus pacientes possuem em nomear objetos e pessoas, bem como acontecimentos e lugares. As pessoas que possuem Afasia Anômica, de uma forma geral apresentam uma fala com boa articulação, denotam boa leitura e também uma boa escrita. O empecilho reside na nomeação.

– A Afasia Global: Essa é conhecida como a forma mais grave da manifestação desse transtorno. Os pacientes acometidos por esse problema possuem capacidade de manifestar apenas algumas palavras reconhecíveis. No entanto demonstram ser incapacitados para terem uma compreensão de várias frases ditas para eles. Os indivíduos que manifestam a Afasia Global, de uma forma geral, apresentam toda a linguagem afetada. Ou seja, eles demonstram muita dificuldade de ler ou escrever, assim como a compreensão do que pronunciam é de difícil assimilação.

O diagnóstico e o tratamento da Afasia

O diagnóstico desse transtorno inicia por meio de uma avaliação sensorial, Além disso, o diagnóstico deve levar em consideração uma nítida avaliação da capacidade de assimilação e também de se expressar do paciente. Naqueles casos e que o transtorno é uma consequência de acidentes vasculares cerebrais, é preciso se certificar de que apenas um lado se encontra comprometido.

Já o tratamento da afasia deve envolver procedimentos adotados por profissionais da área da fonoaudiologia. Tais profissionais estão aptos a estimularem o paciente a efetuarem exercícios de linguagem, fala e escrita. Além disso, outros profissionais estão aptos a auxiliarem o tratamento, entre eles é possível citar os terapeutas ocupacionais e os psicólogos. Nesse sentido, o terapeuta ocupacional tem a possibilidade de auxiliar nos exercícios e tarefas para auxiliar no tratamento do paciente.

O tempo de duração do tratamento não possui um limite determinado. Na verdade, o tempo depende bastante de uma série de questões, um deles, por exemplo, é o grau da afasia que acomete o paciente. Aqueles indivíduos que apresentam um grau grave de afasia, como, por exemplo, a afasia global, o foco do tratamento deve estar na devida compreensão das palavras-chaves. Ou seja, o importante é fazer que o paciente, ainda com um nível de dificuldade alto, consiga manter um mínimo de capacidade de comunicação com as pessoas ao seu redor.

Por outro lado, aqueles pacientes que apresentam graus mais leves de afasia, já denotam a capacidade de reestabelecer, aos poucos, mais uma vez a comunicação, ainda que existam determinadas restrições. O fato é que a afasia é um transtorno que exige, tanto do paciente quanto dos médicos, muita dedicação e perseverança. Saber lidar com o paciente e as limitações dele, nesse caso, é essencial.

É muito importante que o paciente que denote o transtorno da afasia efetue exercícios de linguagem para assim melhorar a sua comunicação. Algumas dicas para facilitar a comunicação do paciente consistem em:

  • A utilização de palavras-chave. Ainda que sejam em número limitado, elas funcionam como um bom código de comunicação;
  • A utilização de bilhetes;
  • Desenhos.