Sedentarismo


Sedentarismo é a diminuição, falta ou ausência da prática de exercícios físicos. Essa parcela mínima ou inexistente de atividades motoras influencia num gasto calórico reduzido e pode provocar o surgimento de outras doenças, como hipertensão e diabetes.

sedentarismo

Sem hábitos de vida saudáveis, o sedentarismo se torna um comportamento comum em grande parte da população mundial atual. Considerada por muitos especialistas como um mal do século, uma vida sedentária é caracterizada pelo consumo de alimentos muito calóricos ou com baixo nível de nutrientes, tempo ocioso, muito tempo sentado, dirigindo ou até uma rotina de trabalho inconveniente.

Além dessas características, o fato de muitas pessoas passarem muito tempo sentadas ou deitadas assistindo televisão ou evitando subir escadas também formam os pilares do sedentarismo.

A preocupação maior vem por parte de como esse mau comportamento afeta as crianças. Com um acesso mais fácil para videogames, televisões, smartphones e outros dispositivos tecnológicos as crianças passaram a gastar mais tempo usando esses aparelhos do que brincando ou praticando outras atividades sadias.

A falta de estímulo para fazer exercícios ou simplesmente sair de casa para brincar é algo que tem afetado profundamente a parcela infantil da sociedade mundial. É por isso que muitas pesquisas atestam o surgimento de doenças graves como obesidade atingindo pessoas mais novas, como as crianças.

Causas e consequências

A maior causa do sedentarismo é justamente a falta de exercícios físicos. Práticas simples como uma caminhada ou uma corrida têm se tornado menos frequentes no cotidiano das pessoas. Porém, outras duas causas têm desencadeado um surgimento maior de pessoas sedentárias e que desenvolvem problemas ainda mais graves:

• Falta de uma dieta equilibrada

O ser humano tem se alimentado muito mal com o passar dos anos. Hábitos alimentares com uma grande falta de nutrientes e vitaminas necessárias para o corpo têm prejudicado o desenvolvimento da saúde e assim tornar o indivíduo suscetível a outros males. A produção em larga escala de produtos com altos níveis de gorduras, sódio, corantes e conservantes atrai as pessoas que introduzem ainda mais esses alimentos em seu cardápio. O consumo exagerado desses produtos tem ocupado espaço para o consumo de alimentos mais saudáveis como frutas, verduras, legumes e sucos naturais;

• Troca de atividades saudáveis

Esse aspecto tem um fator relevante tanto para a saúde e também histórico. À medida que o homem foi desenvolvendo meios para facilitar suas atividades diárias, algumas práticas que o ajudariam a prevenir males foram deixadas de lado. Subir uma escada não é algo tão atrativo do que usar um elevador ou subir uma escada rolante. Ir ao trabalho de bicicleta ou caminhando não é tão atrativo do que dirigir o carro até o local de serviço. Essa troca de atividades saudáveis, embora relevantes para o cotidiano, também prejudica o aspecto da saúde do ser humano.

Outro fator importante é a falta de desejo de fazer atividades esportivas. A prática de esportes como vôlei, handebol, ciclismo ou mesmo uma partida de futebol está deixando de ser evidente na rotina das pessoas.

Todos esses motivos fazem com que o corpo sofra uma regressão funcional, de modo que suas articulações percam sua flexibilidade e assim sejam sujeitos a doenças como artrites e contusões. Em alguns casos até hipotrofias podem acometer o corpo humano, quando as fibras musculares começam a ser comprometidas pela ausência de movimentos intensos do corpo.

Associado ao consumo de alimentos gordurosos e com baixo teor de proteínas e outras substâncias importantes, o corpo também começa a sofrer com ataques cardíacos, obesidade e até câncer. Circulação sanguínea afetada, aumento do colesterol e problemas hormonais também podem surgir em decorrência desse mal.

Tratamento e prevenção

Para tratar o sedentarismo ou simplesmente preveni-lo, a maior medida é trocar um hábito nocivo por um mais saudável. Isso inclui algumas mudanças, como:

• Praticar atividades físicas ou esportivas como correr, pedalar, caminhar, nadar, praticar musculação ou realizar outros esportes pelo menos três vezes por semana;

• Estabelecer uma dieta menos calórica e rica com alimentos nutritivos como frutas e verduras. Substituir alimentos com alto teor de gordura e colesterol por outros que contenham índices mais benéficos de vitaminas e substâncias benéficas como ferro, zinco, fósforo entre outros. Grãos, cereais e fibras podem alavancar o metabolismo e fortalecê-lo;

• Mudar a rotina, trocando comportamentos que incentivem a uma vida sedentária por uma vida mais movimentada. Subir escadas, andar pela casa, carregar objetos e outras atividades podem reverter a situação e garantir maior bem-estar.

Caso o indivíduo tenha dificuldades em alterar sua rotina diária, o ideal é consultar um médico para orientar as melhores alternativas para combater esse comportamento. Uma vez analisando os pontos a ser mudados, o médico poderá recomendar atividades que serão cumpridas sem transtornos e que façam um efeito significativo na vida do indivíduo.

Educadores físicos também podem ajudar nesse caso, assim como nutricionistas, profissionais de coaching e até um personal especializado em treinamento físico.