Síndrome do Triplo X


A síndrome do Triplo X não é assim tão conhecida na sociedade, porém, se trata de uma condição genética considerada comum entre as mulheres: uma a cada 800 pessoas do sexo feminino possuem essa ‘aberração cromossômica numérica’.

A síndrome do Triplo X, neste caso, atinge uma boa parcela da população feminina e as portadoras apresentam um cromossomo X a mais, ou seja, elas totalizam três ao invés de dois (número de cromossomos considerados normais para formação de nossa estrutura).

Além desse nome, você também pode ouvir falar da síndrome por nomeações como: síndrome da super fêmea, síndrome de Jacob ou síndrome do XX X.

Triplo X

Certamente uma curiosidade acerca da síndrome é que as portadoras do terceiro cromossomo, na grande maioria dos casos, nem sequer sabem que o possuem e essa condição não é algo que passa de mãe para filha.

Mais características da síndrome do triplo X

A anomalia é frequente entre portadores com mais de dois cromossomos. Existem três formas pela qual ela pode se manifestar, sendo elas:

• 47, XXX é considerada a síndrome mais comum, atingindo uma a cada 800 ou 1000 mulheres (o que varia principalmente de região para região);

• 48; XXX – neste caso, os sintomas são mais agravantes, especialmente no que se refere ao retardamento mental;

• 49, XXXXX. As características, neste sentido, são exatamente as mesmas dos dois tipos de síndromes anteriores. Porém, a pessoa com essa anomalia conta com um número de cromossomos muito excessivo (5) e, assim, o retardo mental também pode ser maior.

Neste sentido vale a pena destacar que a mais comum anomalia no número de cromossomos é a estudada neste artigo, a condição da Síndrome do Triplo X. Mesmo assim, a mulher pode ainda apresentar 4 ou até 5 cromossomos, como vimos anteriormente. Neste caso, os sintomas são intensificados, assim como o índice de retardamento mental.

Sintomas da Síndrome do Triplo X

As características mais comuns de quem tem a síndrome também não são muito agravantes durante a infância, o que muitas vezes faz com que o diagnóstico não seja realizado. Geralmente, a bebê com um cromossomo a mais nasce com menos peso e os sintomas físicos da condição não são sentidos.

Porém, no desenvolvimento da criança, alguns sintomas podem ser notados, assim como o atraso no desenvolvimento de algumas funções motoras, por exemplo – como as habilidades de sociabilidade, fala, aprendizado da língua e maturação.

Geralmente as mulheres com a síndrome do Triplo X também são mais altas do que o comum para este gênero e apresentam múltiplas peles mais flácidas na região do pescoço.

Muitas dessas mulheres também são mais férteis, ou seja, contam com maior facilidade para engravidarem e reproduzirem. No entanto, é comum também que elas entrem no período da menopausa mais cedo do que as demais mulheres.

Além disso, muitos podem ser os sintomas sentidos pela mulher com a Síndrome do Triplo X, sendo alguns exemplos deles:

• Nível mais baixo do que o normal no que se refere ao desenvolvimento intelectual;

• Características tanto comportamentais como também sexuais extremamente femininas;

• As mulheres com a doença tendem a serem mais altas;

• São extremamente férteis;

• Há também um determinado grau de retardo mental que varia muito;

• Desenvolvimento da linguagem ou da fala, nas crianças, pode ser mais lento do que em relação às crianças ditas normais;

• Os dedos mindinhos costumam ser mais curtos;

• Estrutura física maior;

• Condição de hipotonia, ou melhor, tônus musculares mais fracos;

• Falência prematura ou demais anormalidades na região dos ovários.

Com o tempo, a mulher com a Trissomia X, ou melhor, com a Síndrome do Triplo X também pode apresentar determinadas enfermidades psicológicas, o que certamente podem – e devem – ser tratadas.

Muitas são as mulheres que são portadoras dessa anomalia cromossômica, porém, a desconhecem completamente. Isso ocorre pelo fato de que não são todas as pacientes que sentem ou apresentam tais sintomas apresentados anteriormente. Alguns deles, além disso, podem não estar diretamente relacionados com essa anomalia.

Algumas outras curiosidades acerca da Síndrome do Triplo X são:

A maioria das mulheres com a anormalidade são mais férteis que o comum, mas em casos mais raros, a mulher pode se tornar estéril, ou seja, não poderá ter filhos;

• As mulheres com a síndrome podem originar crianças totalmente normais, ou seja, por mais que seja genética, ela não passa de mãe para filha;

• A doença é diagnosticada por meio dos estudos do cariótipo, onde é possível notar a presença dos três cromossomos sexuais ao invés de apenas dois, como ocorre na grande maioria de nós.

Por fim, vale ainda destacar que não existe atualmente qualquer tipo de tratamento para a cura da Síndrome do Triplo X. Porém, se a mulher conseguir identificar e diagnosticar esta condição genética precocemente, ou seja, ainda quando garota, os profissionais da saúde podem encontrar métodos na medicina capazes de auxiliar em seu desenvolvimento, tornando-o normal.