Sistema Endócrino: Hipófise, Hormônios, Tireoide, Paratireóides, Supra-renais e Pâncreas


Sistema Endócrino

O sistema endócrino está relacionado às glândulas endócrinas do corpo humano. Essas estruturas são responsáveis pela produção e secreção de hormônios, substâncias compostas por proteínas, aminoácidos ou esteroides que são liberadas na corrente sanguínea e exercem um feito fisiológico específico em determinadas partes do organismo.

Hipófise
Conhecida também como glândula pituitária, a hipófise é considerada a principal estrutura desse sistema, já que seus hormônios também têm a função de regular o funcionamento de outras glândulas do corpo. Está localizada na base do cérebro e se conecta com o hipotálamo.

Ela é dividida em dois lobos. A adenoipófise é a porção responsável pela produção do chamado hormônio do crescimento (GH), da prolactina (que estimula a produção de leite nas glândulas mamárias) e de LH e FSH, substâncias que atuam no sistema reprodutor. Já a neuroipófise produz o hormônio antidiurético e a ocitocina, importante no momento do parto.

Outras glândulas importantes

– Tireoide
Localizada próximo à traqueia, essa glândula é responsável pela produção e regulação dos hormônios tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que regulam o metabolismo, além de outras atividades fundamentais do organismo, como batimentos cardíacos, pressão sanguínea, tônus muscular e as funções sexuais. É importante salientar que a produção hormonal da tireoide é estimulada pelo TSH, liberado pela hipófise.

– Paratireoides
Essas quatro pequenas glândulas posicionadas atrás da tireoide sintetizam o paratormônio, responsável pelo controle da taxa de cálcio na corrente sanguínea.

– Suprarrenais
Elas estão localizadas acima dos rins e são envolvidas com tecido adiposo. Produz dois hormônios que são gerados a partir de situações de estresse, a adrenalina e o cortisol.

Pâncreas
Essa pequena glândula situada atrás do estômago produz glucagon e insulina, dois hormônios essenciais para obtenção de energia. Depois de uma refeição, o nível de glicose no sangue aumenta, e pâncreas secreta insulina a fim de que essas moléculas de energia entrem nas células. Já nos momentos de jejum, a glândula libera o glucagon para atuar em um processo reverso: impedir que a pouca glicose disponível seja consumida.