Sistemas Sanguíneos ABO e MN: Heranças, Cruzamentos e Transfusão de Sangue


sistemas-sanguineos-abo-e-mn-herancas-cruzamentos-e-transfusao-de-sangue

O sistema sanguíneo ABO que conhecemos hoje foi descoberto por um austríaco, chamado Landsteiner, em 1990. Ao fazer uma junção de diferentes tipos sanguíneos ele observou que alguns formavam aglutinação de glóbulos vermelhos, culminando em destruição do sangue.

A herança de grupos ABO

Depois dessa descoberta, foi possível determinar quais tipos sanguíneos compõe o grupo ABO. Cada tipo possui um alelo múltiplo diferente, IA, IB e i. O gene IA para a formação do aglutinogênio tipo A, o gene P para a formação do aglutinogênio tipo B e o gene i não forma nenhum aglutinogênio.

Com a interação constatou que IA e P não possuem dominância, entretanto, tanto IA como P são dominantes em relação a i. Por isso, se o indivíduo possui alelos IA e IB é tipo O.

Transfusões de sangue

O indivíduo AB é tipo como receptor universal, graças à ausência de aglutininas no soro. O tipo O não possui aglutinogênio, por isso é considerado doador universal. Tipos A e B recebem apenas doações de mesmo tipo sanguíneo.

Sistema RH

Os indivíduos que possuem o homozigoto dominante possui a proteína RH em seu sangue, se apresentar homozigoto recessivo não há fator RH, ou seja, ausência da produção de RH na membrana das hemácias.

Sistema sanguíneo de MN

O sistema em MN não utiliza critério de dominância, alelos MM ou NN possuem, respectivamente, tipo M ou N, não há a ocorrência de recessivos. Se o indivíduo apresentar MN será então um caso de codominância.

Cruzamentos

Em cruzamentos é analisado um caráter específico, fenótipos para expressões visuais e genótipo para características biológicas. Os genes serão determinantes para as ocorrências, serão dois genes por caráter. Pelo critério de dominância, os cruzamentos entre RR ou Rr, o R será dominante.Em cruzamentos de genes recessivos o resultado será predominância do gene recessivo, por consequência n.