Tecidos Animais: Tecido Epitelial, Glândulas, Secreção e Tecido Conjuntivo


Tecidos Animais

Os tecidos são grupos de células idênticas que possuem uma mesma finalidade, trabalhando assim em conjunto. Isso permite afirmar ainda que apenas os seres pluricelulares possuem tecidos, uma vez que são necessárias várias células para a formação do tecido.

Assim, os animais possuem alguns diferentes tipos de tecidos, que podem ser classificados em quatro grupos distintos, sendo eles tecido epitelial, tecido muscular, tecido conjuntivo e tecido nervoso.

Tecido epitelial

O tecido epitelial, que pode ser chamado também simplesmente de epitélio, é um tecido formado por um grupo de células justapostas, de forma que praticamente não exista nenhuma substância intercelular entre elas.

O tecido epitelial pode ser dividido ainda em dois tipos diferentes, sendo eles o tecido epitelial de revestimento, que está presente nos órgãos internos, revestindo-os, e o tecido epitelial glandular, que é responsável pela formação das células.

Glândulas

As glândulas compõem uma série de tecidos diferentes do corpo animal, sendo elas divididas em três tipos diferentes: as glândulas exócrinas, as glândulas endócrinas e as glândulas mistas.

As glândulas exócrinas são aquelas que soltam suas secreções para o ambiente externo, como, por exemplo, as glândulas sudoríparas, que expelem o suor para fora do corpo.

Diferentemente, as glândulas endócrinas lançam suas secreções para o sentido interno, lançando assim os hormônios no sangue. Por fim, as glândulas mistas atuam das duas formas ao mesmo tempo, sendo o pâncreas um exemplo de glândula mista.

Secreção

A secreção é o material que é eliminado pelas glândulas, podendo levar também a célula ou parte da célula para fora do corpo junto com a secreção, fazendo com que haja assim a renovação celular dos tecidos.

Tecido conjuntivo

O tecido conjuntivo é o que mais possui funções diferentes entre os tecidos animais, sendo responsável pela sustentação, proteção, armazenamento de gordura, entre outros.

É também o conjunto com menos células, possuindo entre elas a substância celular em uma quantidade muito grande.