Teorias da Evolução: Lamarckismo, Darwinismo e Neodarwinismo


Teorias da Evolução

Lamarckismo: lei dos caracteres adquiridos

O francês Lamarck foi o primeiro cientista a apresentar uma teoria sobre a evolução das espécies. O Lamarckismo tem duas leis principais: a Lei do Uso e Desuso e a Lei dos Caracteres Adquiridos. Essa teoria foi publicada no livro “Filosofia Zoológica”, em 1809.
De acordo com Lamarck, as modificações ocorridas no organismo decorrem de processos adaptativos ao meio onde a espécie vive. O uso de partes do corpo para garantir a sobrevivência levaria a alterações do organismo, transmitidas, posteriormente aos descendentes. E, no sentido contrário, o desuso de uma parte do corpo provocaria a atrofiação da mesma, característica que também seria transmitida de geração em geração.

Um exemplo utilizado para justificar essa teoria é a girafa. Segundo o Lamarckismo, a girafa tem o pescoço comprido devido ao esforço que seus antepassados fizeram para alcançar os galhos mais altos das árvores. Anos depois, a lei dos caracteres adquiridos foi refutada por cientistas.

Darwinismo: seleção natural e evolução das espécies

O inglês Charles Darwin é o cientista mais conhecido quando se fala sobre evolução das espécies. Em “Origens das Espécies”, livro publicado, em 1859, Darwin apresentou, ao mundo, a teoria da evolução. O ponto central do Darwinismo é a seleção natural que confere características diferentes a seres da mesma espécie.

Essas características fundamentais aumentam as chances de reprodução e sobrevivência no meio natural. A evolução ocorre, gradativamente, ao longo de muitos anos, e essas modificações no organismo, imperceptíveis no começo, são acumuladas e transmitidas de geração em geração. Todas as espécies possuem ancestrais comuns, os quais, através da seleção natural, que preserva os indivíduos com características mais apropriadas ao meio onde vivem, continuam evoluindo.

Neodarwinismo: herança genética, mutação e recombinação de genes

No século XX, surgiu o Neodarwinismo, a moderna teoria da evolução das espécies. Os estudos estão fundamentados na teoria de Darwin, associados aos conhecimentos sobre genética difundidos pelo botânico Gregor Mendel. Mendel, a partir dos resultados de experiências realizadas com o cruzamento de espécies vegetais, como as ervilhas, postulou duas leis: Segregação dos Fatores e Segregação Independente. Todos os estudos de Mendel e outros biólogos, como Willhelm Johannsen e Walter Sutton, sobre herança genética, mutação e recombinação de genes ajudaram a explicar as lacunas da teoria de Darwin.

O Neodarwinismo tornou-se a principal referência para explicar o processo de evolução das espécies.