Regras da Luta Livre Feminina – Categorias de 48kg a 72kg


A luta olímpica é uma modalidade esportiva disputada desde os jogos antigos, nos anos de 704 antes de Cristo. Lado a lado com a maratona, esses são considerados os esportes mais antigos de toda a imunidade.

Nos dias de hoje, a luta olímpica é dividida em três diferentes modalidades: a greco-romana, a luta livre masculina e a luta livre feminina. Os três estão presentes em cronogramas olímpicos e em 2016, nos próximos Jogos Olímpicos, serão 72 as medalhas reservadas unicamente para essas modalidades.

Regras da Luta Livre Feminina

Sobre a luta livre feminina

A luta livre feminina foi a última modalidade a surgir, porém, conta com regras tão claras quanto as outras lutas. Para os jogos olímpicos a partir de 2016, algumas coisas mudam para todas as modalidades, inclusive para essa.

A luta livre feminina por anos foi considerada uma conquista para o público feminino, mas a verdade é que já deveria ter sido ela considerada um esporte há muito tempo.

Atualmente, as regras para luta livre feminina são bem abrangentes. Em geral, os objetivos dessa luta são iguais ao estilo de luta livre masculino: é permitido o uso das pernas tanto para o ataque como também para a defesa. Além disso, caso uma das atletas consiga uma vantagem de 10 pontos sob a outra, ela logo é declarada vencedora, sendo declarada superioridade técnica.

Sendo a última categoria que entrou nos olímpicos, sua estreia foi em 2004, nas Olímpiadas de Atenas. Atualmente as categorias foram modificadas para a realização das próximas olímpiadas, sendo elas: até os 48 kg, até 53 kg, até 58 kg, até 63 kg, até 69 kg e até 75 kg.

Novas regras da Luta Livre Feminina categorias de – 48 kg a 72 kg

No que diz respeito às regras da luta livre feminina das categorias de 48 a 72 quilos, devemos destacar que não são muitas as coisas que mudam de uma para a outra.

Em todas as categorias, a única coisa que muda é o limite de peso. Sendo assim, para as provas com até 48 quilos, é obrigatório que só participem mulheres com esse peso. E em todas as outras provas, a mesma coisa: o limite de peso é a única coisa que se altera.

No que diz respeito às outras regras da luta livre feminina, elas são válidas para todas as categorias.

Vamos conhecer um pouco mais sobre elas.

Em primeiro plano, o destaque vai para a possibilidade de vencer por conta da superioridade técnica. Sempre que uma abrir vantagem de 10 pontos contra outra, ela pode vencer na categoria livre. Essa regra também se aplica para o masculino.

Toda vez que alguma mulher cai no chão, as quedas recebem bonificações especiais: são quatro pontos. Antes, elas valiam entre 1, 3 e 5, e agora, valem quatro pontos todas as vezes.

Além disso, a pontuação do par-terre, em que o indivíduo podia prender o outro no chão, mantendo-o imóvel por meio das costas e por cinco segundos, já não existe mais. E agora um falso início pode até mesmo possibilitar uma penalidade de um pontinho extra para o oponente.

A luta livre feminina de 48 kg a 72kg é realizada sempre em três rounds, sendo cada um deles compostos por dois minutos. O objetivo, como já é esperado, é derrotar o adversário pelas costas e no chão, sendo essa técnica caracterizada como “touch”.

Outra característica marcante das lutas livres, não só presente nas femininas como também nas masculinas, é o fato de que as pegadas não contam com muitos limites. Mas por outro lado, elas não devem ser assim tão perigosas, mesmo que possam atingir qualquer parte do corpo do adversário.

Um destaque interessante presente nas regras femininas de luta livre é o fato de que em todas as categorias, sempre há um resultado, mesmo que a atleta não consiga imobilizar a sua oponente durante os três rounds de dois minutos cada.

Quando isso acontece, a luta passa a ser decidida então por meio dos pontos, que vão variar muito conforme a técnica, o conhecimento e as próprias habilidades das mulheres, já que essa contagem é feita a partir das punições e dos golpes que foram aplicados no decorrer dos rounds.

No que diz respeito às técnicas legais, devemos destacar qualquer tipo de chave de panturrilha, perna, tornozelo, pé, ombro, bíceps, braço ou punho. Além disso, é possível realizar estrangulamentos, desde que as mãos não sejam utilizadas para prejudicar a respiração. As quedas também são permitidas de qualquer maneira.

Já as técnicas proibidas são aquelas mais óbvias: não se pode realizar torção em dedos, morder ou puxar cabelo e orelhas, beliscar, colocar as mãos, pés, dedos ou cotovelos nas partes sensíveis como nariz, olhos, ouvido e boca e assim por diante.

Além disso, golpes contundentes e traumáticos como o chute ou soco também não são permitidos. Por fim, também não é autorizado o uso de substâncias químicas na roupa ou no corpo.