Regras da Natação estilo costas provas de 100 e 200 metros


A natação é um dos esportes olímpicos mais antigos do mundo. No entanto, o estilo costas de natação não é tão antigo, tendo sido utilizado nas Olimpíadas apenas em 1912. De lá para cá, este estilo foi incluído como nova modalidade para as provas em campeonatos de todo o mundo.

Ao pensar sobre a natação você certamente deve imaginar que não devem existir tantas regras numa competição em piscinas. E você está certo. Segundo a Federação Internacional de Natação, existem apenas cinco regras básicas para as provas de natação ao estilo costas em geral.

Natação estilo costas

As provas mais clássicas deste estilo são as de 100 e de 200 metros. Para ambas as regras são as mesmas. Você conhecerá as regras da natação estilo costas para provas de 100 e 200 metros. Mas antes conheça um pouco sobre a natação em geral.

A piscina

Piscinas oficiais podem medir 25 ou 50 metros de comprimento. Mas a piscina considerada olímpica possui 50 metros. Existem, por convenção, oito raias em cada piscina. Raias são as faixas separadas por cordas flutuantes onde cada competidor pode se deslocar. Em qualquer competição de natação é terminantemente proibido invadir a raia de outro competidor. A largura de cada raia deve ser de 2,5 metros.

Roupas e acessórios

Uma nova atualização nas regras da natação diz que é proibida a utilização de itens de vestuário ou acessórios que melhorem a condição de flutuação ou deslizamento do atleta na água. Isso inclui adesivos corporais e braceletes energéticos. Cada atleta pode utilizar os óculos de natação e toca apropriada. A roupa deve ser apropriada e permitida pela Federação Internacional de Natação.

As regras da natação estilo costas para provas de 100 e 200 metros

São cinco as regras para o nado de costas nas provas de 100 e 200 metros e nas demais provas deste estilo.

• A saída: antes da saída é necessário que o atleta fique de costas para a piscina apoiado sobre os suportes de agarre, fixados ao bloco de saída. Para provas estilo peitos os suportes de agarre ficam em posições especiais em relação a outros estilos justamente pelo fato de ser um estilo de nado em que a saída é feita de forma diferente. Os pés podem ficar fora da água, mas não é permitido dobrar os dedos sobre o rebordo da calha;

• O nado em si: após a saída e após as viradas (no caso da prova de 100 metros existirão duas viradas e na de 200 metros existiram quatro viradas em piscinas olímpicas), o nadador deve sempre executar as braçadas de costas. Quando fizer as viradas, o nadador pode executar alguns movimentos diferentes, mas isso é tratado em outra regra;

• A posição na água: durante todo o processo de braçadas do atleta é necessário que alguma parte do seu corpo esteja fora da água, ou seja, acima da superfície. Há duas exceções que são os momentos de saída e após as viradas, quando é permitido ao nadador permanecer por até 15 metros totalmente submerso. A regra fala que antes de completar os 15 metros o nadador deve começar a realizar as braçadas (sempre de costas);

• A virada: como são provas de 100 e 200 metros, as regras da natação estilo costas se fazem necessárias principalmente na hora das viradas, já que as piscinas não possuem o comprimento total da prova. Durante a virada é permitido ao nadador deixar seus ombros na posição vertical após dar uma única braçada contínua ou uma dupla braçada no modo crawl, ou seja, no modo tradicional para iniciar o movimento. No entanto, no momento imediato a estas braçadas, o nadador deve retornar a posição de costas. Ao fazer a virada o atleta também deve tocar com alguma parte do seu corpo na parede da piscina;

• O fim da prova: para que a prova seja completada pelo nadador é necessário um toque com os dedos sobre a parede da piscina. A prova sempre termina no seu início, ou seja, o último toque deve acontecer na parede de onde o nadador saiu.

O resultado final é definido pelo tempo em que cada atleta demorou para realizar a prova. Logicamente, aquele que demorou menos tempo para completar a prova (tocar com o dedo na parede da piscina de onde ele saiu) é o vencedor. Para medição do tempo de prova existem geralmente dois cronometristas por raia. No entanto, uma regra antiga dizia que era obrigatória a presença de três cronômetros por raia. Hoje, após a última atualização das regras, não existe mais esta obrigatoriedade, mas a Federação Internacional de Natação aconselha, mesmo assim, o uso dos três cronômetros.

Nas provas mais importantes e em locais que dispõem de tal tecnologia são utilizados cronômetros automatizados para garantir a veracidade das informações. Mesmo assim, a presença de cronometristas é essencial para garantir a conclusão das provas de forma correta.