Espanhol: Gentilicios (adjetivos pátrios)


Aprender a língua espanhola não é difícil, já que sua origem é a mesma do português, e algumas palavras são bastante semelhantes. É apenas questão de prestar atenção em pequenas mudanças na pronúncia ou na forma de se referir ao feminino e masculino dos adjetivos, por exemplo.

Espanhol Gentilicios (adjetivos pátrios)

Assim como na língua portuguesa, o espanhol também conta com os gentílicos (adjetivos pátrios) para designar a nacionalidade de uma determinada pessoa. A maioria desses adjetivos inclusive é muito semelhante aos utilizados em português, mudando apenas alguns acentos e letras. Então, fica muito fácil estudar os adjetivos gentílicos em espanhol e assim saber dizer corretamente na língua espanhola de onde você é.

Vamos conhecer um pouco mais sobre os gentílicos (adjetivos pátrios) e analisar exemplos de como sua aplicação pode ser feita:

Adjetivos pátrios em espanhol

Para responder a pergunta “¿De dónde eres tu?” (De onde você é) ou “¿Usted es de dónde?” (Você é de onde?), é possível se dizer em qual país se vive ou qual é sua nacionalidade, sendo ambas as respostas aceitas para as perguntas. Em um exemplo, o interlocutor poderia responder: “Soy de Canadá.” (Sou do Canadá) ou utilizar-se de gentílicos (adjetivos pátrios) e dizer: “Sou canadiense.” (Sou canadense).

Dentre os principais países, seus gentílicos (adjetivos pátrios) são descritos abaixo:

  • Afeganistán: Afegano
  • África: Africano
  • Alemania: Alemán
  • Argentina: Argentino
  • Austrália: Australiano
  • Belgica: Belga
  • Bolivia: Boliviano
  • Brasil: Brasileño
  • Canadá: Canadiense
  • Chile: Chileno
  • China: Chino
  • Colombia: Colombiano
  • Dinamarca: Dinamarqués ou danés
  • Ecuador: Ecuatoriano
  • Egipto: Egipcio
  • Eslovaquia: Eslovaco
  • España: Espanhol
  • Estados Unidos: Estadounidense
  • Francia: Francés
  • Grecia: Griego
  • Guatemala: Guatemalteco
  • Hungria: Húngaro
  • India: Hindú
  • Inglaterra: Inglés
  • Irlanda: Irlandés
  • Irán: Iraní
  • Israel: Israelí
  • Itália: Italiano
  • Japón: Japonés
  • Marruecos: Marroquí
  • México: Mexicano
  • Nicaragua: Nicaragüense
  • Noruega: Noruego
  • Perú: Peruano
  • Polonia: Polonés
  • Portugal: Portugués
  • Puerto Rico: Puertorriqueño
  • Rusia: Ruso
  • Suecia: Sueco
  • Suiza: Suizo
  • Turquia: Turco
  • Uruguay: Uruguaio
  • Venezuela: Venezolano

Se for preciso se referir ao continente no qual uma pessoa reside, utilizamos:

  • Ásia: Asiatico
  • Europa: Europeo
  • America: Americano

Como se pode perceber, a grande maioria dos adjetivos pátrios em espanhol possui escrita muito semelhante ao português, ficando fácil identificar de onde é a pessoa com quem se está dialogando ou a quem se está descrevendo.

Como utilizar os gentílicos (adjetivos pátrios)

Na tabela acima foi descrito apenas adjetivos pátrios masculinos; no entanto, para se falar de uma mulher que seja de alguma dessas nacionalidades, será preciso mudar um pouco a forma como são escritos os gentílicos.

Basicamente, é muito semelhante ao português, e na grande maioria apenas se trocará a letra “o” do final do adjetivo pela letra “a” para se referir a uma figura feminina. Para aqueles que termina em “s” ou “n”, basta acrescentar a letra “a” ao final. Já os adjetivos pátrios que terminam em “e” ou “i” não são modificados, pois não possuem masculino e feminino, e a mesma palavra é utilizada para descrever tanto homens como mulheres.

Veja abaixo alguns exemplos para facilitar a compreensão:

Exemplo 1:

Carlos: ¿De dónde eres tu? (De onde você é?)
Gabriel: Soy puertorriqueño. (Sou porto-riquenho)
Carlos: ¿Y Camila, de dónde es?”(E Camila, de onde é?)
Gabriel: Ella también es puertorriqueña. (Ela também é porto-riquenha)

Nesse primeiro exemplo, Gabriel, uma figura masculina é puertorriqueño e Camila, uma figura feminina, é puertorriqueña. Ou seja, há uma troca da letra “o” pela letra “a” ao se referir à nacionalidade de uma mulher.

Exemplo 2:

Larissa: ¿De dónde son usted y su esposa? (De onde você e sua esposa são?)
Andrés: Soy portugués, pero mi esposa es japonesa. (Sou português, mas minha esposa é japonesa)

Nesse segundo exemplo vemos a questão dos gentílicos (adjetivos pátrios) terminados em “s”. Andrés – figura masculina – é portugués, mas sua esposa – figura feminina – é japonesa.

Como é possível verificar na tabela acima, um homem que nasceu no Japão é descrito como japonés; uma mulher, portanto, seria japonesa. Se a nacionalidade é terminada em “s” quando utilizada no masculino, basta acrescentar a letra “a” quando se referir a uma mulher. O mesmo é válido no caso de alemán; uma mulher alemã é chamada em espanhol de alemana.

Exemplo 3:

Blanca: ¿Usted y su compañero son de Canadá? (Você e seu companheiro são do Canadá?)

Thaís: No. Yo soy canadiense y David es estadounidense. (Não. Eu sou canadense e David é estadunidense.)

Nesse terceiro exemplo vemos a questão de gentílicos (adjetivos pátrios) terminados com a letra “e”. Na pergunta, Blanca quer saber se Thaís e seu companheiro são do Canadá, ao que ela responde que não. Thaís é canadiense e David estadounidense. Em resumo, não há feminino e masculino para se referir a nacionalidades quando as mesmas terminam com a letra “e”.

Essa regra também é válida no caso de pessoas que são do Marrocos, por exemplo, que são chamadas de marroquí. Tanto homem quanto mulher responderão a pergunta: “¿De dónde eres tu?” com “Soy marroquí.” para se referir a sua nacionalidade.

Agora você já sabe como utilizar os gentílicos quando estiver praticando seu espanhol. As diferenças são poucas em relação ao português, e é preciso apenas prestar atenção para saber quando existe uma versão feminina dos adjetivos.