Aristotelismo e Escolástica


Escolástica
O Aristotelismo é uma das escolas filosóficas mais importantes, com foco mais realista e que foi criada sob a influência do pensamento de Aristóteles. Os seguidores originais, ainda na Grécia, faziam parte da escola peripatética e o Aristotelismo surgiu para preservar o trabalho de Aristóteles ainda no período romano.

Na Idade Média, a filosofia como um todo e em especial o Aristotelismo, sofreram grande influência cristã e que redefiniram sua própria escola filosófica chamada Escolástica. Ela passou a ser ensinada nos meios acadêmicos das escolas medievais, valorizando o pensamento crítico conciliado com a fé cristã. Já no renascimento, a escolásticas perdeu força para o retorno do Aristotelismo.

Aristóteles e a escolástic

Aristóteles era discípulo de Platão e foi preceptor de Alexandre Magno, sendo considerado um dos maiores pensadores da história da humanidade. Seu trabalho mais conhecido é na filosofia, mas também foi um importante cientista especialmente na física, sendo o criador da metafísica. Sob sua visão, a realidade é uma entidade própria, capaz de levar ao conhecimento,que não retrocede e sim acrescenta.

Após a queda do Império Romano, que marcou o início da Idade Média, muito foi perdido dos pensamentos e artes clássicas. Os monges foram os responsáveis por preservar essa cultura, resguardando os livros, abrindo espaço para o debate de ideias que fizeram despontar pensadores cristãos para dar uma nova roupagem a filosofia clássica.

Santo Agostinho foi o primeiro e mais importante pensador do início da Idade Média, no início bastante inspirado nas ideias de Platão. Mas com a divergência de ideias foram os conceitos de Aristóteles que o tornou um dos mais conhecidos propagador da Aristotelismo e depois da Escolástica. Ao contrário do que se diz sobre a Idade Média como sendo o período das trevas da cultura e da filosofia, a época marcou a criação de universidades e da valorização de pessoas letradas.

No século XII a filosofia Aristotélica ascende sobre a de Platão, sendo a base principal do ensino superior. A Escolástica é uma transformação do Aristotelismo, sob a ótica da fé cristã e das mudanças sociais que ocorriam na época. Além disso, era na Igreja onde se concentrava o conhecimento ocidental e clássico.

A escola escolástica

A escolástica tem seu marco na obra de Thomas de Aquino, onde expressava sua máxima fé e amor a vida religiosa. Ele reinterpretou a filosofia de Aristóteles, elevando Deus a primeira causa de tudo e alterando a Teoria das Causas ao construir a Teoria do Conhecimento. Essa filosofia sofreu influencias cristãs, judaicas, clássicas e helênico, com a intenção de harmonizar a fé e a razão.

A escola escolástica era dividida em três partes durante o processo educacional: a introdução ao latim, os textos bíblicos e as artes liberais. As artes liberais eram separadas em triviu, que incluía a gramática, dialética e retórica, e quadrivium, com geometri, astronomia, música e aritmética.

Mesmo com as inovações na educação, a escolástica se mantém inspirando alunos e professores que buscam estimular o pensamento.