Bases para uma Filosofia Cristã


Filosofia Cristã

A filosofia cristã tem como base maior a crença na existência de um Deus onipotente, onisciente e onipresente que redimiu os pecados da humanidade ao enviar seu primogênito, Jesus, para sacrifício e ressurreição. E enquanto esteve na terra, entre os humanos e viveu como homem, Jesus Cristo deixou uma série e orientações acerca da vida de seus seguidores e sobre as leis já aderidas pela Igreja.

A salvação é justificada pela fé em Jesus Cristo como salvador da humanidade, tendo a razão também como instrumento para essa fé. A filosofia remete à existência de Deus justificada por meio da ciência. A filosofia foi iniciada e disseminada pela Igreja Católica e hoje está presente em diversas crenças, denominações pelo protestantismo e até outras religiões.

Os primeiros filósofos a propagar essas crenças foram: São Paulo, São João, Santo Ambrósio, Santo Eusébio e Santo Agostinho. Dentre as principais ordenanças de Jesus Cristo para seus seguidores é o amor a Deus sobre todas as coisas, amor ao próximo como a si mesmo e obviamente a crença de Cristo como filho de Deus, salvador de todos os seres humanos que tenham a fé como justificação de seus pecados.

Dentre as principais doutrinas estão: Deus é manifesto pela trindade (Deus Pai, Filho e Espírito Santo), a separação entre o mundo material e espiritual, a crença de um mundo espiritual (anjos, arcanjos, serafins, demônios e o Diabo), a ação do mal sobre as pessoas e a matéria, a crença em Cristo para salvação, a alma humana como participante da divindade, entre outros.

A crença judaica do povo Hebreu como escolhido e único a ser salvo por Deus permaneceu entre os preceitos judaicos, um dos grupos religiosos que não aceitam a vinda de Cristo como filho de Deus. Para os cristãos todos aqueles que acreditam têm a oportunidade de aderir a essa filosofia de vida.