Diferenças entre Lâmpadas Fluorescentes e Incandescentes


Quando nos referimos às diferenças entre lâmpadas fluorescentes e incandescentes podemos citar o funcionamento e o consumo de energia como as principais discrepâncias entre ambas.

Primeiramente vamos a alguns fatos: Desde a última década temos percebido uma crescente preocupação com relação ao uso dos recursos naturais e nisso podemos incluir a energia elétrica. Nos últimos tempos grande parte das pessoas trocaram as lâmpadas de sua casa, optando por uma troca de incandescentes para fluorescentes, mas o que esse novo hábito resulta na vida das pessoas? Além disso, o que muda nesses dois tipos de lâmpada?
É o que vamos ver a seguir.

lâmpadas fluorescentes e incandescentes

Funcionamento: lâmpada incandescente e fluorescente

Vamos começar pelas incandescentes, nesse tipo de lâmpada há um tipo de ligamento de tungstênio no interior, o qual, ao sofrer a ação da corrente elétrica que passa por ele aquece alguns átomos, que consequentemente, irão gerar luz.

Durante esse processo boa parte da energia elétrica transforma-se em calor, fato que pode ser confirmado pelo aumento da temperatura nas proximidades da lâmpada.

Já no caso de lâmpadas fluorescentes, ao invés de tungstênio, estas são constituídas por um tipo de tubo com o interior preenchido por um par de eletrodos cada qual em um extremo desse tubo, além disso, há também um gás de baixa pressão e mercúrio.

Neste caso quando uma corrente elétrica é estabelecida devido ao gás ser de baixa pressão é ele quem passa a conduzir a corrente elétrica. Assim, as moléculas de mercúrio acabam se chocando com os elétrons que se originam dos eletrodos, devido a esse choque, produz-se um tipo de excitação e ionização de moléculas, quando este processo de excitação acaba os gases retornam ao estado chamado de “fundamental” de energia, assim, emitem fótons com frequência de luz visível.

Portanto, pode-se dizer que os processos utilizados por lâmpadas incandescentes e fluorescentes para emitir luz são diferentes em cada uma.

Características das incandescentes e fluorescentes

Com relação a durabilidade a lâmpada incandescente perde alguns pontos, afinal, sua durabilidade é muito inferior se comparada as fluorescentes, afinal, a liga de tungstênio avaria de acordo com a utilização da lâmpada.

O tempo de funcionamento de uma lâmpada fluorescente é de cerca de oito mil horas, enquanto que uma incandescente dura, em média, mil horas. Vamos a um rápido raciocínio: levando em consideração o tempo de duração da lâmpada, enquanto se usa uma fluorescente, podem ser utilizadas oito incandescentes. Grande diferença, não acha?

Pontos positivos e negativos

Levando-se em consideração os dados até aqui citados pode-se dizer que o tipo fluorescente resulta em maior economia se comparada as incandescentes, afinal, além de durarem mais, atingem a mesma luminosidade que a outra proporciona, contudo, sua potência é em WATTS, mesma unidade de medida menor que a das incandescentes, quer entender melhor? Então vamos lá: é possível substituir uma lâmpada incandescente de maior potência por uma fluorescente de menor potência sem que você corra o risco de ter um ambiente mais escuro.

Mas é claro, todos esses benefícios têm um preço, afinal, as lâmpadas fluorescentes são muito mais caras que as incandescentes, mas como já vimos, tal aquisição pode ser vantajosa já que as fluorescentes iluminam e duram mais, além disso, são econômicas, o que acaba reduzindo o valor da conta de luz no fim do mês.

Cabe dizer que o descarte de lâmpadas fluorescentes também deve ser realizado com o maior cuidado possível, afinal, estas apresentam em sua composição o mercúrio, um elemento tóxico não apenas aos seres humanos, mas também aos animais.

Sobre algumas particularidades

As lâmpadas fluorescentes indicadas para uso doméstico vêm com um tipo de equipamento que provoca reações elétricas, o qual possibilita que sejam utilizadas em bocais para “lâmpadas comuns”, devido a isso, tais lâmpadas são denominadas “fluorescentes compactas”. Há ainda as lâmpadas fluorescentes utilizadas em ambientes industriais, as quais denominam-se circulares ou tubulares.

Na hora de se adquirir uma fluorescente todo cuidado é pouco, afinal existem diversas diferenças entre estas e as incandescentes. Uma destas discrepâncias diz respeito ao tom da luz emitida. As lâmpadas incandescentes emitem a luz em uma cor que se assemelha ao amarelo, enquanto as fluorescentes emitem uma luz “mais branca”, que por vezes é chamada de fria.

Sendo assim, as luzes com um “aspecto mais frio” podem tornar alguns ambientes desconfortáveis, bons exemplos são quartos e salas que não exigem uma iluminação tão forte, afinal são locais de descanso. Para que esse problema seja evitado, tipos de lâmpadas fluorescentes já começaram a ser produzidas para se assemelhar ao tom de luz das incandescentes.

Recapitulando, em locais de descanso é preferível o tom mais amarelado, enquanto que em locais de intensa atividade – cozinhas e escritórios, por exemplo – as cores claras, ou mesmo brancas são as mais indicadas.

Portanto, na hora da compra se você quiser primar por economia na conta de luz, iluminação mais forte e maior tempo de duração de uma lâmpada é melhor optar pelas fluorescentes.