Fotômetro


O fotômetro nada mais é do que um aparelho integrado às câmeras profissionais, sendo ele utilizado tanto na fotografia, como também no cinema para realizar a medição da intensidade da luz nas mais variadas situações de exposição do dia a dia às quais os profissionais dessas áreas precisam se submeter.

Dessa forma, ele serve exatamente para auxiliar o indivíduo a medir, de uma forma correta, tanto a intensidade, quanto a quantia de luz que precisa ser capturada para que aquela imagem realmente fique boa – seja uma fotografia ou uma gravação.

É então correto afirmar que o fotômetro é fundamental para o trabalho do profissional dessas áreas, uma vez que ajusta a câmera exatamente com base em suas necessidades – de conseguir ótimas imagens, gravações e/ filmes.

Fotômetro

E como ele faz isso?

O fotômetro converte toda a luz do espaço a ser fotografado em corrente elétrica, o que garante que a medição ocorra por meio de valores que se relacionem diretamente com a abertura do diafragma e com a velocidade proporcionada pelo obturador. E é esse conjunto de itens, que, ao complementarem uns aos outros, garantem a boa atuação do fotômetro.

Principais tipos de fotômetros

Os fotômetros podem ser tanto internos, ou melhor, já incorporados à câmera em questão, ou também manuais/externos.

E quais são as diferenças entre eles?

• Fotômetros internos – os fotômetros internos são aqueles em que a medição da luz automaticamente já leva em consideração a luz TTL – through the lens, que na tradução literal seria “através da lente”. Nesse sentido, o fotômetro considera unicamente a luz refletida pela lente da sua câmera, sem qualquer ideia sobre a quantia de luz que verdadeiramente está presente naquela cena ou objeto fotografado.

• Fotômetros externos – já os fotômetros externos, também chamados de manuais, são aqueles em que a medição é realizada quando o aparelho fica exatamente sobre o que será capturado, oferecendo a ele a luz necessária para uma boa captura. Sendo assim, a medição nesse caso é baseada na luz que incidirá no objeto a ser fotografado.

E como eu sei como está a medição?

Os fotômetros podem apresentar a sua medição de luz de duas diferentes formas: por meio de uma escala manual ou ainda por um mostrador digital, integrado em suas versões mais recentes. Ele indica a abertura, a velocidade e ainda oferece a correta exposição de luz para aquela fotografia ou situação específica.

A escala de medição dos fotômetros, por sua vez, deve variar entre-2EV a até +2EV. O ponto médio, ou melhor, o OEV é o que indica a melhor exposição para aquele tipo de exposição.

Os demais ajustes realizados na câmera ou filmadora profissional, como é o caso de velocidade, abertura e ISO também podem alterar o valor da exposição que é mostrada no fotômetro, no caso desse equipamento ser externo. Por outro lado, os internos contam com valores já alterados de maneira automática, o que certamente também facilita a rotina do fotógrafo.

Quais são os tipos de medição

Existem diferentes modos de realizar a medição de luz no momento da fotografia, são eles:

• Medição média

A medição média consiste em um ajuste realizado de maneira padrão e automaticamente por todas as câmeras mais simples, ou seja, as compactas. Para realizar a medição ele tem como base a quantia de luz disponível no ambiente a ser fotografado, além de considerar os valores de diafragma e obturador. Esse medidor é o mais recomendado no caso de cenas com bastante iluminação e baixos níveis de contraste.

• Medição central e média

Já a medição centralizada é um pouco mais precisa, uma vez que prioriza exatamente a luz que se estabelece na região central da sua foto. Esse tipo de medição é recomendado principalmente para as situações em que o objeto central da cena não está assim tão bem iluminado, caracterizando uma diferença entre ele e o fundo da imagem. A medição centralizada e média é uma boa alternativa para os retratos, por exemplo.

• Medição central – spot

Para as cenas em que existe uma grande diferença entre a iluminação presente no fundo e a iluminação do objeto central – de maior significado na imagem – a medição do tipo spot é a mais indicada. Isso ocorre com grande frequência em peças teatrais ou shows, por exemplo, quando o palco é iluminado unicamente pelos holofotes, criando uma boa diferença entre a luz central e a luz dos cantos.

A fotometria, nesse caso, é medida pela região central do visor da sua câmera, descartando todas as outras informações presentes no cenário – que verdadeiramente não importam para a sua fotografia. Nesse modo, o mais importante é mirar o “spot”, ou melhor, ponto central localizado exatamente no objeto que passará pela medição.

Por fim, não se esqueça de que todas as câmeras fotográficas atuais são dotadas com esse recurso, que tem como principal intuito evitar exposições incorretas.