Teoria da Relatividade


Muito do que as pessoas dizem no dia a dia, quase sempre sem se darem conta, é um tributo ao pensamento do físico e pensador alemão Albert Einstein, um dos personagens mais admirados e proeminentes do século XX, ainda que tenha nascido no século XIX, no dia 14 de março de 1879. O mais incrível na trajetória de Einstein é perceber como o físico construiu uma compreensão do ser humano, da religião, de Deus e da sociedade em sintonia com os estudos científicos, chegando à conclusão de que a ciência e Deus são conceitos complementares e interdependentes para a compreensão das coisas.

Teoria da Relatividade

Em linhas gerais, a visão de Einstein é de que o grande desafio do homem é se libertar daquilo que limita sua percepção do mundo. Na visão do pensador, o nacionalismo é uma “doença infantil” da humanidade. É uma extensão do microssistema ilusório criado pelo ser humano que o afasta da compreensão do seu real papel no mundo, que é interagir com amor com todas as formas de vida da natureza, inclusive o semelhante. Para Einstein, o homem sábio não é aquele que conhece tudo que foi dito e escrito, mas aquele capaz de pensar por conta própria e criar valores, pois só assim é possível que a humanidade avance moralmente.

O que escandalizava Albert Einstein era a forma como a evolução científica e tecnológica de seu tempo superava de forma constrangedora a capacidade de evolução do pensamento humano e de vencer os preconceitos.

Apesar de ter a paz como o elemento que pode expressar da forma mais completa a essência humana, acabou, com seu trabalho e sua genialidade, abrindo caminho para a construção de uma verdadeira abominação: a bomba atômica. Seus estudos sobre o efeito fotoelétrico, que consiste na emissão de elétrons por material submetido a radiação eletromagnética, abriram caminho para que tivesse início, no ano de 1941, o desenvolvimento do artefato, através do “Projeto Manhattan”, que seria usado pelos Estados Unidos para devastar cidades inteiras, o que veio a corroborar com a tese do físico alemão de que a única coisa comprovadamente infinita é a estupidez humana.

O que é a Teoria da Relatividade

A Teoria da Relatividade é, sem dúvida alguma, a grande contribuição de Einstein à ciência. Apresentou-a em 1915 e publicou o “Fundamento Geral da Teoria da Relatividade em 1916. Em 1921, foi condecorado com o Prêmio Nobel de Física” e publicou o estudo “Sobre a Teoria da Relatividade Especial e Geral”.

A Teoria da Relatividade é a soma dos estudos realizados por Einstein que comprovaram a relatividade de fatores antes tidos como absolutos. O tempo, por exemplo, segundo Einstein, é relativo. Não é o mesmo em todas as situações, dependendo da combinação das condições de espaço, gravidade e velocidade.

Um dos princípios que bem sintetiza o que é a Teoria da Relatividade é o “Paradoxo dos Gêmeos”, segundo o qual se há dois irmãos gêmeos no planeta Terra e um deles é colocado numa aeronave, que viaja na velocidade da luz, com destino a um ponto distante da galáxia; ao retornar à Terra o viajante será muitos anos mais jovem que o outro irmão.

Segundo a Teoria da Relatividade, quando um corpo permanece no estado de inércia o tempo passa mais rápido, enquanto se este corpo está em movimento, na velocidade da luz, que corresponde a 1,07 bilhão de km/h, o tempo deixa de passar.

Segundo Einstein, a velocidade da luz é um valor absoluto para todo o universo, mas o tempo e o espaço são grandezas subjetivas, enquanto a gravidade é uma distorção no “tecido” do espaço, provocada por determinada massa.

A revisão do Universo

A Teoria da Relatividade é o resultado de um estudo do universo, de como se relacionam fatores como espaço, tempo e matéria para proporcionar uma realidade que é, na verdade, a perspectiva de quem a vê. É, na verdade, um estudo de tudo, que influenciou o conhecimento e mudou a forma como essas relações são vistas.

Einstein comprovou que, ao contrário do que se pensava, é o espaço entre as galáxias que está em expansão. As observações de Edwin Hubble, de 1929, davam conta de que as galáxias estavam se afastando, o que não deixa de ser verdade, mas uma verdade relativa, pois o afastamento entre elas seria consequência da expansão do espaço. O Big Bang seria uma explosão do próprio espaço e não uma explosão dentro do espaço, que teria dado origem ao universo. A explosão é um processo ainda em curso, o que explica a expansão e o afastamento permanentes.

Einstein abriu caminho para a compreensão do universo com a alusão à força misteriosa, que atualmente é chamada “constante cosmológica”. Apesar de se prestar a comprovar que o universo era estático por ocasião do desenvolvimento da Teoria Geral, a força misteriosa de Einstein acabou por explicar o contrário, qual seja a expansão do universo.