Resumo sobre a cidade de Ouro Preto


A Vila Rica de Ouro Preto é um dos mais importantes municípios da história brasileira. Situado no estado de Minas Gerais, a história começou por volta do século XVIII. Nesta época a região se tornou um grande polo de descoberta de ouro. Por isso, muitos mineradores e demais aventureiros foram a terra em busca do metal precioso. Aqui vamos dar um resumo sobre Ouro Preto, contando sobre a sua importância histórica para o Brasil.

Resumo sobre a cidade de Ouro Preto

A história da fundação da cidade

A exploração começou a partir do momento que um homem mergulhou um recipiente no rio Tripuí para beber água e encontrou ao fundo do ribeirão algumas pedras escuras. O homem as guardou e levou até a cidade de Taubaté no interior de São Paulo. Segundo a história, essas pedras chegaram as mãos de Artur Medes de Sá e Menezes, governador do Rio de Janeiro. Ele identificou os objetos como ouro.

Aos poucos a notícia se espalhou por todo o Brasil. Diversos exploradores partiram para a região conhecida como Pico do Itacolomi para tentar a sorte de encontrar algum bem precioso. No ano de 1968, o paulista Antônio Dias de Oliveira foi quem encontrou a grande mina e conseguiu extrair uma riquíssima quantidade de ouro. O minerador estabeleceu-se no local junto a seus parentes e amigos que inauguram a primeira capela do local.

Logo mais, forasteiros foram se instalando no local. Toda essa dedicação de várias pessoas a prática da mineração levou a região em um estado de deficiência de alimentos. Mas o ouro facilmente era encontrado naquela região, tanto que com a demanda de pessoas em torno do Itacolomi provocou uma grande guerra entre os forasteiros e os paulistas que controlavam a exploração.

O conflito conhecido como Guerra dos Emboabas iniciou em 1708 e durou até o ano seguinte. No final, os forasteiros foram os grandes vitoriosos e permaneceram na região. O grupo foi liderado pelo explorador Manuel Antunes Viana.

O povoado ao redor de Ouro Preto teve um grande progresso por causa da exploração, tanto que em 1711 fundou-se a Vila Rica, por isso a Coroa Real estabeleceu a coleta do Quinto, lei que determinava que todos os exploradores deviam a coroa 20% de todo o ouro que encontrassem.

Porém a região também passou a ser fonte do material conhecido como Ouro Podre que obteve crescimento pelo português Pascoal da Silva Guimarães. A ideia cobrança do Quinto e a invasão de Portugal não agradou o explorador, tanto que surgiu a Sedição de Vila Rica.

Por ordem de Dom Pedro houve o enforcamento de um dos fortes aliados de Guimarães, Felipe dos Santos. Além disso, determinou-se que a região fosse incendiada. A partir desse episódio o local se popularizou como Morro da Queimada.

A época de decadência do ouro

Ao longo do tempo da exploração, as aldeias cresceram e se aproximaram formando o Núcleo Vila Rica que atualmente se localiza nas proximidades de Ouro Preto. A partir de 1711, a junção abrigou pequenos vilarejos que foram beneficiados pelo desenvolvimento artístico e cultural que podem ser observados nos dias atuais, como festas locais e modelos antigos arquitetônicos.

Apesar da grande junção e desenvolvimento da região, a produção de ouro estava cada vez mais escassa e altos tributos eram arrecadados pela coroa portuguesa. Tanto que novos conflitos e revoluções se instalaram na região em inspiração a movimentos como a Revolução Francesa. A mais conhecida foi a Inconfidência Mineira no ano de 1789 que é de extrema importância para a história brasileira.

A Inconfidência desdobra-se da revolta iniciada por Joaquim José da Silva Xavier, o popular Tiradentes. O movimento foi fracassado devido a delação de Joaquim Silvério dos Reis sobre os planos do grupo para a Coroa. No fim, como castigo ao movimento dos inconfidentes, Tiradentes foi decepado e colocada a mostra em via pública que ficou conhecida como Praça Tiradentes.

A preservação cultural e histórica de Ouro Preto

Nesse resumo sobre Ouro Preto vale destacar sobre a importância cultural e histórica para o país. De 1823 a 1897, Vila Rica ficou intitulada como a capital Minas Gerais, logo depois o título foi transferido a atual Belo Horizonte. Nesse processo, a região foi intitulada como Imperial Cidade de Ouro Preto.

Pela grandiosa importância histórica para o país, o município recebeu em 1839 a primeira Escola de Farmácia da América Latina. Em 1876 a cidade recebeu a Escola de Minas de Ouro Preto que hoje formam a renomada Universidade Federal de Ouro Preto.

Depois que a capital passou a Belo Horizonte, freou o seu desenvolvimento e crescimento da cidade que foi responsável pela conservação de muitas características históricos como grandes casas em estilos coloniais, festas tradicionais, travessas e ruas estreitas, igrejas com decorações em ouro e manifestações do barroco. Devido a conservação cultural e estrutural do município foi tombado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1980.